Parasita Archives - Cinema Sinergia 
Publicidade

Cinema Sinergia

por Thiago Sampaio

Parasita

Bong, Scorsese e a importância da consolidação de “Parasita”

Por Thiago Sampaio em Opinião

10 de Fevereiro de 2020

Foto: Reprodução

Martin Scorsese viu o seu “O Irlandês” sair de mãos vazias no Oscar 2020, mas teve o seu valor reconhecido pelo grande vencedor da noite, Bong Joon-ho. Sorrisos sinceros que simbolizam a importância da consagração de “Parasita”, o primeiro longa falado em língua não inglesa a levar o troféu de Melhor Filme. Na verdade, todo real apreciador do cinema se deu como satisfeito pela vitória do longa sul-coreano, ainda que tivesse outros preferidos.

É costumeiro ver obras de tom “neutro”, de difícil rejeição, serem premiadas. Assim, “O Discurso do Rei” tirou o prêmio de “A Rede Social” ou “Cisne Negro” em 2011, “Spotlight” tirou de “Mad Max – Estrada da Fúria” em 2016 e, ano passado, o de péssimo gosto “Green Book” tirou de “Infiltrado na Klan” ou “Roma”. Tudo indicava que em 2020 o escolhido seria “1917”. É correto e visualmente deslumbrante. Mas felizmente desviaram da aposta “segura”.
Leia mais

Publicidade

Oscar 2020: Em noite história, Academia surpreende e premia “Parasita” como Melhor Filme

Por Thiago Sampaio em Oscar

10 de Fevereiro de 2020

Foto: Instagram/TNT

O Oscar 2020, realizado neste domingo (9), parecia mais uma cerimônia sonolenta como de costume. Mas na reta final, veio uma surpresa histórica: “Parasita” foi o primeiro longa de língua não inglesa a levar o principal prêmio da Academia. A obra de Bong Joon-ho saiu com quatro troféus de alta relevância: Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original e Melhor Filme Estrangeiro.

No mais, prêmios previsíveis como o de Melhor Ator para Joaquin Phoenix por “Coringa” e Renée Zellweger de Melhor Atriz por “Judy”, além de Brad Pitt e Laura Dern nas categorias de coadjuvantes.

Entre os poucos destaques, uma apresentação musical de Eminem cantando “Lose Yourself” com 17 anos de atraso (ele não compareceu em 2003 quando a canção foi premiada por “8 Mile”) e um momento cômico com Rebel Wilson e James Corden vestidos como gatos ao anunciar o prêmio de Melhores Efeitos Visuais, satirizando o execrado “Cats”.
Leia mais

Publicidade

Confira os tradicionais pitacos para o Oscar 2020

Por Thiago Sampaio em Oscar

08 de Fevereiro de 2020

Foto: Montagem/Divulgação

A cerimônia do Oscar 2020 acontece neste domingo (9) e, como faço todos os anos, aponto os meus pitacos sobre quem acho que vai vencer e quem eu gostaria que levasse o prêmio.

Tudo baseado nas últimas premiações (Globo de Ouro, BAFTA, DGA, SAG, PGA, WGA, Spirit, etc) e como as campanhas estão reverberando nos bastidores. Vamos lá!
Leia mais

Publicidade

Confira a lista dos melhores filmes lançados em 2019

Por Thiago Sampaio em Top 10

31 de dezembro de 2019

O ano de 2019 acabou e, definitivamente, foi muito melhor em termos de qualidade cinematográfica do que 2018 (convenhamos, qualquer coisa que levar o Oscar em 2020 será melhor do que “Green Book”).

Tivemos os mestres Martin Scorsese e Quentin Tarantino; filme solo de vilão da DC Comics surpreendendo e um novo clássico do diretor coreano Bong Joon Ho!

Para o cinema brasileiro, nada a reclamar, destacando o arrebatador o “Bacurau”, de Kléber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, e o sensível “A Vida Invisível”, de Karim Aïnouz, que infelizmente ficou de fora de uma possível indicação ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

Como já é tradição, segue a minha lista de favoritos do ano (lembrando que as escolhas são 100% pessoais). Desta vez, cada integrante do Top 10 vem com sua respectiva crítica por este que vos escreve.
Leia mais

Publicidade

Crítica: “Parasita” passeia por gêneros e faz crítica social com absurda precisão

Por Thiago Sampaio em Crítica

16 de dezembro de 2019

Foto: Divulgação

Não é de hoje que o diretor Bong Joon Ho (“Memórias de Um Assassino”, 2003; “O Hospedeiro”, 2006; “Okja”, 2017) insere críticas sociais disfarçadas em obras comerciais, sejam elas de terror, comédia ou aventura. Um dos maiores destaques entre a crítica internacional de 2019 e que provavelmente irá figurar entre as principais premiações de 2020, “Parasita” (Parasite, 2019) é talvez o longa em que o cineasta sul-coreano melhor aplique a sua visão de desigualdade social, transitando entre gêneros de uma maneira funcional e nada fácil. Tudo é milimetricamente planejado para ter a sua função na narrativa, tornando a produção de uma riqueza rara.

Na trama, toda a família de Kim está desempregada, vivendo num porão sujo e apertado. Uma obra do acaso faz com que o filho adolescente da família comece a dar aulas de inglês à garota da rica família Park. Fascinados com a vida luxuosa destas pessoas, pai, mãe, filho e filha elaboram um plano para se infiltrarem na burguesia, um a um. No entanto, os segredos e mentiras necessários à ascensão social custarão caro a todos.
Leia mais

Publicidade

Crítica: “Parasita” passeia por gêneros e faz crítica social com absurda precisão

Por Thiago Sampaio em Crítica

16 de dezembro de 2019

Foto: Divulgação

Não é de hoje que o diretor Bong Joon Ho (“Memórias de Um Assassino”, 2003; “O Hospedeiro”, 2006; “Okja”, 2017) insere críticas sociais disfarçadas em obras comerciais, sejam elas de terror, comédia ou aventura. Um dos maiores destaques entre a crítica internacional de 2019 e que provavelmente irá figurar entre as principais premiações de 2020, “Parasita” (Parasite, 2019) é talvez o longa em que o cineasta sul-coreano melhor aplique a sua visão de desigualdade social, transitando entre gêneros de uma maneira funcional e nada fácil. Tudo é milimetricamente planejado para ter a sua função na narrativa, tornando a produção de uma riqueza rara.

Na trama, toda a família de Kim está desempregada, vivendo num porão sujo e apertado. Uma obra do acaso faz com que o filho adolescente da família comece a dar aulas de inglês à garota da rica família Park. Fascinados com a vida luxuosa destas pessoas, pai, mãe, filho e filha elaboram um plano para se infiltrarem na burguesia, um a um. No entanto, os segredos e mentiras necessários à ascensão social custarão caro a todos.
(mais…)