2 de Março de 2020 - Vagas Online 
Publicidade

Vagas Online

por Márcia Catunda

2 de Março de 2020

Prefeitura de Fortaleza segue com inscrições abertas para estágio na PGM

Por Márcia Catunda em Direito, Estágio

02 de Março de 2020

nteressados podem se inscrever até o dia 15 de março no Canal de Concursos e Seleções

A Prefeitura de Fortaleza está com inscrições abertas para estágio em Direito na Procuradoria Geral do Município (PGM). São ofertadas 20 vagas e as inscrições devem ser feitas, exclusivamente, pela internet, no Canal de Concursos e Seleções da Prefeitura, no período de 20 de fevereiro a 15 de março de 2020.

Podem participar da seleção os estudantes do curso de Direito que estejam devidamente matriculados, a partir do 4º semestre, ou que já tenham cursado, no mínimo, 80 créditos ou 1.280 horas. Das 20 vagas ofertadas, 18 são destinadas a candidatos da ampla concorrência e duas para candidatos com deficiência.

Para se inscrever, os interessados devem acessar o Canal de Concursos e Seleções até o dia 15 de março, informar o RG e CPF e em seguida, pagar o boleto até a data do vencimento. O valor da inscrição é de R$ 75,00. Para os candidatos que desejam requerer isenção da taxa de inscrição, o processo também deve ser feito pelo Canal de Concursos e Seleções, do dia 18 ao dia 19 de fevereiro de 2020.

A seleção será composta por uma única etapa, que consistirá na aplicação de duas provas (objetiva e dissertativa) que versarão sobre o conteúdo indicado no Edital. A data prevista para aplicação da prova objetiva é 5 de abril.

O estágio terá duração de um ano, podendo ser prorrogado por igual período. A bolsa-estágio será no valor de R$ 904,83, além do auxílio-transporte, correspondentes à carga-horária de 20 horas semanais.

leia tudo sobre

Publicidade

Vendedor Interno

Por Márcia Catunda em Ensino Médio

02 de Março de 2020

A Contracte Consultoria seleciona para Empresa Cliente:

VENDEDOR INTERNO (Clínica Popular)

2 Vagas – Fortaleza – CE

Atividades / Habilidades:

Prospectar clientes,
Realizar e atualizar cadastros de clientes,
Apresentar o portfólio de serviços da empresa,
Enviar de propostas comerciais e elaborar relatórios,
Trabalhar com metas, negociação e fechamento de contratos/vendas,
Organização, comunicação, criatividade, paciência e persistência.

Requisitos:

Conhecimento gerais de informática (Pacote Office),
Boa fluência verbal e boa comunicação escrita,
Ensino Médio Completo.

Remuneração: R$ 1.098,00 + VA + VT + Comissão

Horário: comercial de seg. à sex e 8hs às 12hs sábados.

Interessados, enviar currículo para e-mail vagas@contracteconsultoria.com.br , com o título da vaga no “Assunto” do e-mail

leia tudo sobre

Publicidade

Analista de MKT

Por Márcia Catunda em Marketing, Publicidade e Propaganda

02 de Março de 2020

ANALISTA DE MARKETING
ATIVIDADES:
Analisar o mercado e a concorrência; Desenvolver plano estratégico de marketing. Fortalecer a imagem da marca e o posicionamento, através de trabalho de branding. Planejar, gerenciar e acompanhar as redes sociais da empresa, buscando a construção de um relacionamento forte com o público. Otimizar os canais digitais da empresa. Planejar, criar, gerenciar e monitorar campanhas pagas, seja para branding, vendas ou outro objetivo estratégico. Criar um plano de inbound marketing, atingindo os públicos nos diferentes estágios da jornada do consumidor e conquistando novos clientes. Fortalecer o relacionamento e a fidelização, apoiando vendas para o fechamento dos negócios. Orientar todas as equipes da empresa sobre os objetivos estratégicos. Medir e acompanhar todas as métricas e KPIs estratégicos, auxiliando a alta gestão na tomada de decisões.
REQUISITOS:
– Ensino superior completo em Publicidade e Propaganda ou Marketing
– Experiência anterior na função
– Conhecimento em marketing estratégico, mídias digitais, informática e inglês intermediário
Interessados enviar currículo para o e-mail vagas@personarh.com colocando o título da vaga
Publicidade

A diversidade nas empresas e as relações humanas

Por Márcia Catunda em Artigo

02 de Março de 2020

Por Viviane Xavier de Avelar Rocha – Professora do Curso de Gestão de Recursos Humanos da UniAteneu 

No momento atual, nos deparamos com um mercado de trabalho onde a diversidade tem se feito presente nas suas mais variadas formas. Pessoas de várias tribos reunidas em um mesmo espaço de trabalho, mas que pensam, se vestem, vivem e se relacionam de diferentes formas, acabam gerando conflitos de ideias.

Os especialistas têm sido unânimes em afirmar que os novos colaboradores têm uma boa formação técnica. Contudo, no quesito relações humanas, deixam muito a desejar. Na era das mídias sociais, onde todos se autopromovem e expõem suas opiniões e pensamentos sem regras ou sanções, lidar com pessoas no real tornou-se mais difícil ainda, porque não há a sensação de proteção que se tem por trás de uma tela e nem como desligar uma situação de imediato, como ocorre no virtual.

O colaborador do século XXI tem se mostrado despreparado para lidar com discordâncias ou rejeições tanto nas questões de cunho pessoal como profissional, e o enfrentamento no ambiente de trabalho, muitas vezes, é inevitável porque faz parte das relações e é fruto da convivência. Entretanto, esse confronto não precisa se tornar uma desavença onde a falta de respeito e a intolerância impere.

Conviver com a diferença, de maneira geral, nos proporciona a oportunidade de conhecer novas visões de mundo, personalidades e histórias. Nos incentiva a ver com outros olhos e a perceber que existem soluções tão boas ou até melhores que as nossas, para as mais variadas situações, além de nos mostrar que quanto maior a diferença entre as pessoas, tanto maior será o potencial gerador de inovações.

As empresas buscam hoje pessoas para serem o capital humano da organização, e não mais somente o recurso produtivo. Privilegiam quem sabe ser audacioso e não tem medo de lidar com o novo.

Com a globalização, o crescimento da concorrência, a pluralidade da sociedade e, consequentemente, das relações, não há mais espaço para a intransigência, a inflexibilidade e o preconceito. Há de se exercitar a empatia no dia a dia visando sempre conciliar, sem abrir mão de suas ideias, mas aceitando que acolher a diversidade que há no mundo é infinitamente mais recompensador do que lutar contra ela, entendendo que o trabalho hoje é uma atividade conjunta, grupal e solidária e que, como diz Carvalho (2009), partilhando experiências e enfrentando conflitos com os que nos cercam descobrimos muito mais sobre nós mesmos.

 

Referências: 

 

Carvalho, Maria do Carmo Nacif de. Relacionamento Interpessoal: Como preservar o sujeito coletivo: Rio de Janeiro: LTC, 2009.

leia tudo sobre

Publicidade

A diversidade nas empresas e as relações humanas

Por Márcia Catunda em Artigo

02 de Março de 2020

Por Viviane Xavier de Avelar Rocha – Professora do Curso de Gestão de Recursos Humanos da UniAteneu 

No momento atual, nos deparamos com um mercado de trabalho onde a diversidade tem se feito presente nas suas mais variadas formas. Pessoas de várias tribos reunidas em um mesmo espaço de trabalho, mas que pensam, se vestem, vivem e se relacionam de diferentes formas, acabam gerando conflitos de ideias.

Os especialistas têm sido unânimes em afirmar que os novos colaboradores têm uma boa formação técnica. Contudo, no quesito relações humanas, deixam muito a desejar. Na era das mídias sociais, onde todos se autopromovem e expõem suas opiniões e pensamentos sem regras ou sanções, lidar com pessoas no real tornou-se mais difícil ainda, porque não há a sensação de proteção que se tem por trás de uma tela e nem como desligar uma situação de imediato, como ocorre no virtual.

O colaborador do século XXI tem se mostrado despreparado para lidar com discordâncias ou rejeições tanto nas questões de cunho pessoal como profissional, e o enfrentamento no ambiente de trabalho, muitas vezes, é inevitável porque faz parte das relações e é fruto da convivência. Entretanto, esse confronto não precisa se tornar uma desavença onde a falta de respeito e a intolerância impere.

Conviver com a diferença, de maneira geral, nos proporciona a oportunidade de conhecer novas visões de mundo, personalidades e histórias. Nos incentiva a ver com outros olhos e a perceber que existem soluções tão boas ou até melhores que as nossas, para as mais variadas situações, além de nos mostrar que quanto maior a diferença entre as pessoas, tanto maior será o potencial gerador de inovações.

As empresas buscam hoje pessoas para serem o capital humano da organização, e não mais somente o recurso produtivo. Privilegiam quem sabe ser audacioso e não tem medo de lidar com o novo.

Com a globalização, o crescimento da concorrência, a pluralidade da sociedade e, consequentemente, das relações, não há mais espaço para a intransigência, a inflexibilidade e o preconceito. Há de se exercitar a empatia no dia a dia visando sempre conciliar, sem abrir mão de suas ideias, mas aceitando que acolher a diversidade que há no mundo é infinitamente mais recompensador do que lutar contra ela, entendendo que o trabalho hoje é uma atividade conjunta, grupal e solidária e que, como diz Carvalho (2009), partilhando experiências e enfrentando conflitos com os que nos cercam descobrimos muito mais sobre nós mesmos.

 

Referências: 

 

Carvalho, Maria do Carmo Nacif de. Relacionamento Interpessoal: Como preservar o sujeito coletivo: Rio de Janeiro: LTC, 2009.