Artigo Archives - Vagas Online 
Publicidade

Vagas Online

por Márcia Catunda

Artigo

O que Recrutadores buscam e evitam em um Candidato

Por Márcia Catunda em Artigo

27 de Janeiro de 2020

 

contato@crismoutella.com.br

www.cristinamoutella.com.br/

 

Não vou mentir para você não… O LinkedIn orienta os recrutadores quanto a métodos para identificar os melhores candidatos a uma vaga. Fique ligado!

Se você tiver algum dos “problemas” apontados abaixo:

  • corrija rapidamente;
  • NÃO MINTA;
  • e prepare-se para EXPLICAR na entrevista.

 

QUEM NÃO DEVE, NÃO TEME.

O QUE OS RECRUTADORES DEVEM BUSCAR EM UM CANDIDATO

 

1 – Adequação cultural

Comparar sua empresa com as que você já trabalhou, em termos de porte e cultura.

 

2 – Lealdade

Quais os motivos do tempo de permanência em cada empresa? É padrão do setor?

 

3 – Flexibilidade

Sua disposição para assumir mais ou diferentes responsabilidades.

 

4 – Foco

Seus objetivos são claros ou você mudou várias vezes de rumo na carreira?

 

5 – Crescimento

Você tem ambição? Evoluiu continuamente na carreira?

 

 

POSSÍVEIS CARACTERÍSTICAS DE CANDIDATOS DE ALTO DESEMPENHO

 

1 – Estatísticas e Resultados

Você inclui fatos e números relacionados às suas realizações? Isso pode indicar um candidato analítico e focado em resultados.

 

2 – Perfil Completo

Seu perfil LinkedIn está completo? Pode indicar alguém detalhista e sério na busca por um emprego.

 

3 – Recomendações

Depoimentos de ex-empregadores ou colegas do setor podem ser um bom indicativo do seu desempenho e da sua personalidade.

 

4 – Envolvimento com grupos e comunidades

Participar de Grupos no LinkedIn ou ser voluntário em organizações demonstra outros interesses e conexões sólidas com determinados setores e com a comunidade.

 

 

CANDIDATOS A SEREM EVITADOS – OS 7 SINAIS DE ALERTA

 

1 – Falta de profissionalismo online

Como é seu comportamento na internet? Cuide da sua imagem.

  • 43% dos empregadores utilizam as redes sociais para pesquisar candidatos.
  • 51% dos empregadores que verificaram candidatos nas mídias sociais, os desclassificaram. *

 

*Recruiterbox, #FirstInHR: Resume Red Flags to Look For

 

2 – Discrepâncias

Seu perfil LinkedIn está consistente em relação ao seu currículo e a possíveis candidaturas prévias?

 

3 – Curta permanência em empregos anteriores

Perfis que mostram mudanças constantes de emprego podem indicar problemas de relacionamento ou motivação.

 

4 – Linguagem imprecisa

Escrever no seu CV que “participou de…” ou “conhecimentos em…” deixa margem para mais ou para menos. Seja claro e preciso ao dar uma informação.

 

5 – Foto de perfil pouco profissional

Pode indicar que você não sabe se apresentar em um ambiente profissional.

 

6 – Desonestidade

Não exagere na formação ou nas responsabilidades assumidas, confira referências e histórico. Tudo será checado!

As mentiras mais comuns:

  • 40% dos candidatos inflacionam seus salários
  • 30% exageram nos cargos
  • 30% alteram datas de emprego*

 

* Inc., 85 Percent of Job Applicants Lie on Resumes Here’s How to Spot a Dishonest Candidate

 

7 – Erros gramaticais e de digitação

Esses e uma formatação sem clareza, poluída, mostram que você não tem atenção a detalhes.

  • 58% dos currículos apresentam erro de digitação!*

 

* Inc., 85 Percent of Job Applicants Lie on Resumes Here’s How to Spot a Dishonest Candidate

 

 

10 TOP #dicasCrisMoutella

 

1 – Currículo bem feito – http://bit.ly/2u04wqQ

 

2 – Currículo otimizado para buscas e adequado às vagas – http://bit.ly/2P8MKKn

 

3 – Perfil completo – http://bit.ly/30isxWe

 

4 – Use o LinkedIn para ajudar você a se recolocar – http://bit.ly/2sTovHu

 

5 – 10 passos para arrasar no LinkedIn e chamar a atenção dos recrutadores – http://bit.ly/34Kg0LZ

 

6 – Atraia mais recrutadores ao seu perfil pelas suas Competências e Recomendações – http://bit.ly/2Mf0gdh

 

7 – Criando Oportunidades e fazendo Networking – http://bit.ly/2tAQJa4

 

8- Por que uma empresa iria contratar você? E por que escolheria o outro? – http://bit.ly/392hFzZ

 

9 – Como garantir que seu currículo passe pelos Robôs? – http://bit.ly/35RKb4j

 

10 – Como fazer seu CV passar pelos Robôs – Poder de Síntese – http://bit.ly/2stlde8

 

 

 

leia tudo sobre

Publicidade

Como garantir que seu currículo passe pelos robôs?

Por Márcia Catunda em Artigo

13 de Janeiro de 2020

Por Cris Moutella – Consultora de Carreira

contato@crismoutella.com.br

www.cristinamoutella.com.br/

Antes de chegar às mãos de um ser humano, é provável que seu CV passe por um software de triagem de candidatos. A maior parte das empresas já utiliza para simplificar o processo de recrutamento.

 

Pense nisso quando fizer seu currículo. Pode custar a vaga desejada.

 

COMO PASSAR PELOS ROBÔS?

 

  • Use um modelo SEM IMAGENS, fotos, ícones, gráficos ou tabelas, com formatação simples e legível.
  • Opte por FONTES como Calibri, Verdana, Arial ou Tahoma. Tamanho mínimo de 10,5 ou 11. Utilizar maior para títulos e subtítulos, até mesmo outra cor. Para o corpo use preto ou cinza.
  • Textos espaçados, visual clean.
  • O grande segredo está nas PALAVRAS-CHAVE. Use palavras relativas ao cargo, experiências, competências e habilidades exigidas na vaga. Se estiver concorrendo a um novo setor, inclua palavras específicas do segmento em questão.
  • Organize seu currículo em sessões com títulos.
  • Não deixe de informar sua Cidade.
  • Não use cabeçalho ou rodapé, a não ser para numerar as páginas.
  • Envie seu CV em formato Word ou PDF.
  • Não invente! Simplicidade no layout, organização das informações e uso de palavras-chave é o melhor caminho.
  • Como fazer seu currículo: http://bit.ly/2P8MKKn.

leia tudo sobre

Publicidade

Centro Universitário oferece 5 mil vagas em cursos gratuitos

Por Márcia Catunda em Artigo, Cursos, Eventos

03 de Janeiro de 2020

É com objetivo de oportunizar capacitação nas áreas de Humanas, Exatas e Saúde que a UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau Fortaleza realiza, de 20 a 30 de janeiro, mais uma edição do Projeto Capacita. Ao todo, cerca de 5 mil vagas são oferecidas em mais de 80 atividades gratuitas, distribuídas entre palestras, cursos e oficinas. As inscrições devem ser feitas pelo site extensao.uninassau.edu.br.

As atividades serão sediadas nos campi Doroteias e Parangaba, nos turnos manhã e noite. Entre as oportunidades, a Instituição oferece os cursos de Noções básicas de Libras; Marketing Digital; Fotografia Surrealista; Cuidados com o Marketing Pessoal; Empreendedorismo Jurídico; Contabilidade para leigos; Entrevista e Postura profissional; Inovação e Criatividade na Gastronomia; Curso básico de adestramento de cães; Auditoria Digital; Importância da Oratória no mercado de trabalho; Nutrição e Sustentabilidade, entre outros. A lista completa com os cursos e horários disponíveis pode ser acessada no site de inscrição.

 

Serviço

Projeto Capacita

Data: 20 a 30 de janeiro

Horário: Manhã e Noite

Local: Sede Doroteias – Av. Aguanambi, nº 251

Sede Parangaba – Rua Germano Franck, nº 613

Inscrições: extensao.uninassau.edu.br + 1 kg de alimento não perecível, que deve ser entregue no dia da atividade escolhida.

leia tudo sobre

Publicidade

Dicas aumentam chances de recolocação no mercado de trabalho

Por Márcia Catunda em Artigo

25 de dezembro de 2019

Analista de Recursos Humanos da UNINASSAU dá conselhos para se sair bem em seleções de emprego

 

Se recolocar no mercado de trabalho ou conseguir o tão sonhado primeiro emprego não foi uma tarefa fácil no ano de 2019. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IGBE) apontam que, no estado do Ceará, no último trimestre deste ano, houve aumento na taxa de desemprego, saindo de 10,9% para 11,3%. Mas, e para 2020? Quais as perspectivas de trabalho e como se destacar para alcançar um emprego?

 

A analista de Recursos Humanos da UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau Fortaleza, Kilvia Lima, dá dicas de como se sair bem em entrevistas de emprego. A primeira delas se refere a sempre manter o currículo atualizado, retificando o documento sempre que houver algo relevante para a carreira. “Palestras, congressos, capacitações profissionais, trabalhos voluntários, tudo isso é válido e conta a favor do indivíduo”, afirmou.

 

Além disso, Kilvia orienta não enviar currículos para todas as vagas. “O profissional precisa ter a ciência da sua aptidão para a vaga de trabalho que está se candidatando. Enviar currículos aleatoriamente não é bem visto no mercado”, ressalta. Outro ponto comentado pela gestora de RH é que o candidato busque empresas que ele se identifique, com missão, visão e valores que se conectem com o procurado pelo profissional para sua carreira.

 

Segundo a analista, as redes sociais também são essenciais para quem busca a primeira oportunidade no mercado de trabalho. “O LinkedIn, por exemplo, é uma rede exclusiva para contatos profissionais. Nele, o indivíduo consegue interagir com outras pessoas da mesma área, ou não, visualizar vagas e até participar de processos seletivos”, comentou.

 

E o que fazer quando o RH chama para uma entrevista? Kilvia relata que o nervosismo pode atrapalhar, mas o candidato precisa manter a calma e transparecer as informações de forma mais objetiva possível. “Muitos candidatos chegam no processo de entrevistas sem conhecer os produtos da empresa. O profissional precisa conhecer, mesmo que minimamente, com o que a empresa trabalha e o que ela oferece no mercado. Além disso, deve-se cuidar da higiene pessoal e, principalmente, não mentir”, completou, ressaltando ainda que esse é um dos principais motivos para desclassificação de um candidato.

leia tudo sobre

Publicidade

O que NÃO incluir no seu currículo?

Por Márcia Catunda em Artigo

22 de dezembro de 2019

contato@crismoutella.com.br

 

 

  • N° de documentos tipo RG, CPF, PIS etc.
  • Filiação, estado civil e n° de filhos.
  • Data de nascimento e idade
  • Tipo sanguíneo.
  • Naturalidade, mas informe se for de outra Nacionalidade.
  • Endereço completo – Basta a cidade e estado. Se achar necessário por conta do transporte, inclua o bairro também.
  • Foto – A não ser que seja importante para sua profissão.
  • Cursos sem relação com sua formação, experiência ou a vaga em questão.
  • Adjetivos de si próprio, como pontual, responsável, organizado ou criativo. Alguns podem ser demonstrados com FATOS e DADOS.
  • Outros softskills, deixe para o recrutador fazer o trabalho dele.

 

Quanto mais objetivo e claro estiver seu currículo, mais fácil de ser analisado e maior as chances de ser selecionado, tanto por pessoas quanto por robôs/softwares de seleção.

 

Seja assertivo focando nos REQUISITOS DA VAGA e nos VALORES DA EMPRESA.

 

Sim, você precisa adaptar seu currículo para cada vaga que responder. Fique atento aos detalhes da vaga.

 

Dá um pouco de trabalho, mas é melhor enviar menos currículos bem feitos do que perder tempo enviando o mesmo para todas as vagas.

 

leia tudo sobre

Publicidade

COMO FUNCIONA O RECESSO REMUNERADO DO ESTAGIÁRIO?

Por Márcia Catunda em Artigo

19 de dezembro de 2019

Não é certo confundir estágio com emprego. Afinal, são duas propostas completamente diferentes, não só quando falamos das atividades exercidas, como também pelas normas de realização, direitos e benefícios. Um dos exemplos disso é o recesso remunerado. Entenda!

Na Lei 11.788/2008, é garantido a todo estudante de nível médio, técnico, superior ou EJA – Ensino de Jovens e Adultos a possibilidade de ingressar no mercado como estagiário. A partir dessa informação, já é possível compreender o caráter educacional do projeto. Por isso, promover a evolução profissional do indivíduo é imprescindível.

Justamente por estarmos falando de um estilo de contratação com dispositivo legal próprio, as regras são diferenciadas daquelas aplicadas aos funcionários efetivos. Por isso, quando abordamos o tema do descanso dos universitários ou secundaristas, não falamos em férias! Isso também se aplica ao pagamento. Enquanto no estilo de admissão assinada na CLT nos referimos ao salário, no outro, é bolsa-auxílio.

Na mesma legislação, são oferecidos a cada mês estagiado, 2,5 dias de folga. Ou seja, ao completar 6 meses, por exemplo, são 15 dias a serem gozados. Se a vivência for de um ano completo, deve-se destinar um mês para repor as energias. Detalhe: esse intervalo deve ser concedido preferencialmente combinado com as pausas escolares.

Como incentivo para a abertura de vagas, as corporações ficam isentas de pagar encargos trabalhistas, como o FGTS, 13º salário, ⅓ sobre férias, entre outros. Sendo assim, os proveitos para quem contrata são incalculáveis, especialmente quando consideramos os talentos recém-chegados nas equipes.

Admitir uma pessoa sem vivências é vantajoso, principalmente porque o gestor poderá moldá-la em seu time para favorecer seu desenvolvimento e crescimento dentro da companhia. Com isso, ganha o mercado, com profissionais qualificados e o empreendimento, com colaboradores motivados, engajados e preparados para enfrentar desafios.

Portanto, ofereça essa chance para quem precisa entrar no universo empresarial e mude o cenário social do país!

*Seme Arone Junior, presidente da Abres – Associação Brasileira de Estágios

Sobre a Abres

A Associação Brasileira de Estágios é a maior entidade de representação de agentes de integração do país, ou seja, empresas responsáveis pela seleção e gerenciamento de vagas de estágio. A instituição tem como objetivo promover e divulgar a modalidade junto às comunidades do Brasil, estimulando a formação profissional de jovens talentos. Também executa ações para fortalecer os agentes de integração e a inserção de estudantes no mercado de trabalho.

leia tudo sobre

Publicidade

Investimento em cursos técnicos é opção para ingresso de jovens e adultos no mercado de trabalho

Por Márcia Catunda em Artigo

19 de dezembro de 2019

 

O interesse por cursos técnicos tem sido uma alternativa para muitos jovens e adultos que buscam se profissionalizar, seja porque está buscando se qualificar e ter uma profissão para obter melhores oportunidades no mercado de trabalho, seja por falta de condições financeiras para investir em um curso de ensino superior ou porque está tentando uma recolocação profissional após ter concluído um curso de graduação, devido à situação de empregabilidade na área ou a alta concorrência. Atualmente, 1,9 milhão de estudantes no Brasil estão matriculados na modalidade técnica. Segundo os dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Estatísticas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), no último Censo da Educação Superior publicado no ano de 2017, o ensino técnico cresceu 5,6% em comparação ao censo anterior.

Segundo a publicação do Inep intitulada Panorama da Educação, que apresenta e comenta os destaques do Education Education at a Glance 2019 (EAG), uma publicação anual da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), que na edição deste ano contou com dados do Brasil e de mais 40 países, 57% dos concluintes do ensino técnico de nível médio são do sexo feminino. O percentual apresentado na pesquisa colocou o Brasil entre os cinco países que apresentam maior participação feminina, à frente do Reino Unido (52%) e Colômbia (55%) e atrás de Irlanda (61%) e Nova Zelândia (63%). De uma forma geral, quanto às áreas de estudos no ensino técnico no Brasil, o campo de ciências empresariais, administração e direito é o mais procurado, com 22% dos alunos matriculados. Já a área da engenharia, indústria e construção aparecem em segundo lugar com 18%, seguidas por educação (16%) e tecnologia da informação e da comunicação (15%).

Na Educação, por exemplo, existe considerável procura pelo Curso Técnico em Secretariado Escolar, inclusive do público feminino. A capacitação técnica na área habilita o profissional para exercer atividades administrativas e de gestão em secretarias de instituições de ensino com atendimento ao público e organização de documentos e arquivos, além de demais atividades pertinentes ao campo educacional. É o (a) secretário (a) escolar que faz a operacionalização dos processos de matrícula e transferência dos estudantes, organiza as turmas e faz registros do histórico escolar dos alunos, além de só ele poder assinar como secretário escolar, porque tem a habilitação para a tal função. Com o objetivo de atender a demanda, o Centro Universitário Ateneu está com inscrições abertas para o Curso Técnico em Secretariado Escolar nas modalidades (EaD) a distância e semipresencial. Os interessados podem acessar o link http://uniateneu.edu.br/ e obter mais informações, entrar em contato pelo telefone 0800 006 1717 ou o e-mail tecnicos@uniateneu.edu.br.

leia tudo sobre

Publicidade

Empreendedorismo Feminino em pauta

Por Márcia Catunda em Artigo, Entrevista

16 de dezembro de 2019

O Blog Vagas Online realizou entrevista com a coach, consultora e palestrante Haline Cordeiro sobre empreendedorismo feminino. Haline é diretora executiva da H2 Assessoria & Educação e idealizadora do Programa Eu S/A Mulheres. Confira:

  No Brasil existem 25 milhões de mulheres que empreendem. Por que cada vez mais as mulheres estão investindo no empreendedorismo?

É muito importante destacar esse número, pois isso indica que estamos apenas poucos números atrás do universo masculino do empreendedorismo, que abrange 25,4 milhões no Brasil. Isso são dados de uma pesquisa realizada pelo Sebrae junto com o Anuário dos Negócios em março deste ano. Sabemos o quanto uma pesquisa é importante. Sobre a pergunta, devo ressaltar: não devemos destacar apenas o espírito empreendedor da mulher, mas muitas delas investem em negócios por necessidade, porque ela precisa para sustentar sua família, ter sua renda. E também há uma grande parcela que está saindo do mercado formal. Investir no empreendedorismo é a resposta que muitas dessas mulheres têm encontrado para garantir a própria sobrevivência. Nessa questão de abrir o próprio negócio por necessidade, as mulheres também superam os homens.

  Quais os requisitos para ser uma boa empreendedora?

 Um perfil empreendedor colabora para o sucesso. Deve-se buscar informação sobre o ramo que você investir. Sair do achismo “ Ah, eu acho que assim dá certo”. Buscar o máximo de informações sobre público-alvo, concorrentes, localização. Investir também em redes sociais, mesmo se não trabalhar apenas de casa. Usar o mundo virtual a seu favor. E é esse mundo virtual que vai possibilitar que a empreendedora consiga as informações necessárias para o seu negócio. É bem comum de acontecer quando alguém abre o próprio negócio em um bairro, nos meses seguintes aparecem outros estabelecimentos oferecendo estabelecimentos com o mesmo ramo ou serviço. E acaba que ninguém sai ganhando. É preciso redefinir o foco. É preciso resolver problemas e buscar oportunidades. Busque algo que ninguém está oferecendo, ou se for algo que já tem gente oferecendo, busque um diferencial. Também tem que ter planejamento. E quando eu falo de planejamento, eu falo de planejar passo a passo. Não há noção, por exemplo, do quanto você vai gastar, entre outros detalhes. Quantas horas por dia você vai dedicar a esse negócio? Se esse empreendimento novo não representa a sua principal fonte de renda, então é ainda mais importante o planejamento. Qual o retorno que eu desejo? Quero que possibilite o pagamento do aluguel, da escola das crianças? Quanto eu quero ter de retorno com esse negócio? Tem que estabelecer metas. Qual minha meta no primeiro mês? E nos próximos? E, claro, sempre buscar bater essa meta.

    Qual a diferença entre empreendedora e empresária?

Chega um determinado momento que aquela mulher que investiu no seu pequeno negócio e passou a vender de porta em porta ou que está pensando em ampliar, ou que simplesmente percebeu uma oportunidade, é uma mulher empreendedora. Esse empreendedorismo deve responder a uma oportunidade ou de uma necessidade sua ou de sua clientela. A empreendedora é aquela que inicia. Mas vai chegar o momento que ela vai sair dessa posição de empreendedora e se tornar empresária. O pequeno negócio cresce. Quando o negócio exige que não seja mais tocado por você e que seja necessário o apoio com outros profissionais, e isso é muito difícil. As atividades terão que ser distribuídas, tem que buscar pessoas que compreendam a importância do teu negócio, que queiram estar contigo no cotidiano, fazendo com que o negócio cresça e você se torne uma empresária.

   Quais as dicas para quem quer empreender? Por onde começar?

“Por onde começar” imagino que seja uma pergunta que está na mente de todos que querem empreender. Primeiro você tem que refletir se é isso mesmo que você quer. Seguir as dicas das respostas anteriores. Pesquisar sobre o negócio e o mercado. Muita gente relaciona empreendedorismo com uma habilidade pessoal. Você não vai estar escolhendo o amor da sua vida, e sim um negócio que deve prosperar e te dar lucro. Precisa ter a clareza de que o negócio deve dar certo. Conheça bem o mercado. Tenha objetivos claros e metas. Empreendedor tem meta diária de lucro, clientes, ele só para quando aquilo é alcançado. É preciso ter uma proximidade grande com quem vai consumir nosso produto. Tem que pensar diferenciais. Você sempre terá concorrente direto ou indireto. “Qual o meu diferencial ao meu concorrente?”. Teu diferencial nunca pode ser somente preço. Quando você tiver tudo isso em mãos, você pode iniciar. O processo de melhoria deve ser algo contínuo.

   As mulheres enfrentam muitas vezes uma dupla ou tripla jornada. Como driblar essas dificuldades?

 A questão da mulher nos negócios é um grande desafio, justamente por causa disso. É fundamental saber administrar o tempo. Saber distribuir bem as tarefas  no seu tempo e buscar pessoas que possam ser parceiras para ajudar a dar conta de tudo. Quais dias da semana tenho para estudar? Quanto tempo tenho para administrar os clientes? As redes sociais ajudam a agilizar as tarefas e a divulgar sua marca. Tem que  estabelecer prioridades que possam melhorar o seu negócio. Com o que realmente vale à pena gastar seu tempo e seu dinheiro? A mulher tem que saber avaliar como administrar o próprio negócio e a vida pessoal, tudo é uma questão de planejamento e organização.

    Começar sozinha ou montar logo uma equipe? O que é melhor?

 Montar uma equipe geralmente é decorrência do crescimento do negócio. A maioria das mulheres começa sozinha, mas isso não significa que não deve procurar parceiros logo no início para ajudar. É preciso ter os pés no chão, tem gente que acha que só amor ao negócio é suficiente, mas é preciso muito mais que isso. A equipe vai ser montada conforme a tua necessidade. Deve buscar parceiros sempre com intuito de somar. Essa pessoa tem outras competências para o seu negócio que possa agregar? Que parcerias pode fazer com essa equipe? Tudo isso depende das características do seu negócio. Anote tudo isso em um papel e avalie. Que perfil de pessoas seria válido para somar? Começar sozinho ou em equipe é uma reflexão que cabe somente ao empreendedor fazer, de acordo com as características do negócio, conforme falei anteriormente.

     A concorrência em alguns ramos é bem alta. Como se destacar entre os concorrentes?

É praticamente impossível imaginar um negócio sem concorrência. Você pode não ter concorrente direto, mas é bem provável que tenha concorrente indireto. Deve buscar formas para se destacar. Você cria economia pro seu cliente? Seja economia de tempo, esforço, dinheiro. Que resultados você traz pro seu cliente? Seus resultados podem ir além das expectativas do cliente? Pode oferecer também algo que o seu cliente não teve acesso ainda. Estabelecer vínculo também é um diferencial. Eu posso diferenciar a minha relação com o cliente de que forma? Acho que essa é a grande questão. Saber trabalhar essas diferenciações, que devem ir além de questão de preço.

    Qual a importância do empreendedorismo feminino para a sociedade?

Gostaria que cada mulher percebesse que cada vez que o empreendedorismo feminino é apoiado ou estimulado e que ela se percebesse como empreendedora. O empreendedorismo feminino é transformador para a sociedade. De acordo com a ONU, alavancar o empreendedorismo feminino significa alavancar famílias, porque na maioria dos casos, cabe às mulheres a responsabilidade do acolhimento e do sustento da família. Quando se fala em empreendedorismo feminino, especialmente em famílias com renda mais baixa, nós estamos falando de uma possibilidade de melhorar a condição de vida dessas famílias. Que a gente possa ver o negócio de uma mulher não somente como um negócio dela, mas de toda uma família.

 

Instagram: @halinecordeiro

Site: www.halinecordeiro.com.br

Publicidade

Empregos temporários podem se tornar fixos

Por Márcia Catunda em Artigo

10 de dezembro de 2019

A treinadora comportamental Camilla Martins ensina alguns pontos para garantir a tão sonhada vaga de trabalho. Instagram: @profcamillaoficial

 

Agora no fim do ano, é corriqueiro abrir milhares de vagas de empregos temporárias, o que é uma ótima opção para quem busca recolocação no mercado de trabalho.

Você sabia que um emprego temporário pode virar um emprego fixo?

Para isso é preciso alguns requisitos fundamentais, e jamais esquecer que você será avaliado do primeiro até o último dia. O primeiro passo é o processo seletivo, acompanhe algumas dicas para se dar bem na entrevista:

-Conheça um pouco a empresa que está realizando o processo seletivo. Qual produto ou serviço ela oferece.

– Qual é a missão, valores e objetivos da empresa (você se conecta com estes valores?)

– Há quanto tempo a  empresa está no ramo de atividade? Não tem estas informações na internet?  Ligue e pergunte, assim você se prepara melhor para as perguntas.

– Se for um processo seletivo para área da saúde, pergunte se deve ir de branco ou não.

-Nunca vá para uma entrevista de shorts, bermuda, boné, piercing, maquiagem pesada, decotes ou roupas curtas.

-Preste atenção nas pegadinhas, nunca fale mal do seu último emprego, por pior que tenha sido para você.

-Seja sincero e se mostre disposto a aprender.

Tenha em mente as respostas para as seguintes perguntas:

– Por que devo te contratar?

– Como você pode contribuir com a empresa?

-Quais são seus planos para o futuro?

As duas primeiras respostas têm muito a ver com resultados. Empresas querem colaboradores que deem resultados e vistam a camisa.

Se você deseja ficar na empresa, dizer a eles que entre seus planos estão o desejo de fazer parte do quadro fixo é uma grande sacada.

Essas são dicas preciosas para conquistar uma vaga, depois basta se dedicar e mostrar serviço.

leia tudo sobre

Publicidade

Posicionamento nas mídias digitais impacta diretamente vida profissional

Por Márcia Catunda em Artigo

03 de dezembro de 2019

Marcelo Camorim destaca que postura do funcionário pode afetar a empresa

 

Pesquisa desenvolvida pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic), divulgada este ano, apontou que o número de brasileiros que usam a internet com regularidade chega a 126,9 milhões. O número representa 70% da população do  país. Dados do Facebook apontam que o Brasil tem 130 milhões de usuários na rede social. O número garante a terceira posição no ranking internacional. No Instagram, o Brasil lidera o ranking com 16 milhões de usuários. No Linkedin são 29 milhões de inscritos. Outro levantamento realizado pela rede de agências de marketing e relações públicas Ecco, presente em 40 países,  revelou que houve um crescimento de 55% na quantidade de CEOs ativos no Linkedin no Brasil.

De acordo com Marcelo Camorim, especialista em gestão e governança, a presença dos altos executivos nas redes sociais é positiva por aproximar a empresa dos clientes e públicos de interesse e  por permitir um acompanhamento mais próximo do que que é compartilhado e comentado sobre a empresa e seu mercado nesses canais. Ele destaca que eles devem ser ser orientados para não cometerem gafes nessas plataformas. “É preciso cautela para que os líderes não manifestem posições pessoais controversas e em desacordo ao posicionamento institucional. O executivo não pode esquecer que representa uma empresa o tempo todo. Isso acontece  mesmo quando fala em um perfil pessoal privado, somente para seguidores autorizados numa rede social”, explicou.

Recrutadores usam redes sociais como ferramenta para seleção

O especialista ressalta que a  premissa vale também para profissionais de outros setores da empresa. Segundo ele, o  processo seletivo, em muitas organizações passa por uma visita pelos perfis nas redes sociais. Por este motivo, quem busca  colocação ou uma promoção, a comunicação nestas plataformas se torna fundamental para êxito ou fracasso.

“É aconselhável que os posicionamentos sejam realizados com bom senso e equilíbrio,  levando em consideração aquilo que deve ser postado ou comentado e aquilo que deve ser ignorado para que os perfis sociais permaneçam apropriados e alinhados com a sua trajetória profissional”, disse Camorim. Ele enfatiza ainda que bons perfis, com publicações relacionadas a área de atuação contam em favor do profissional, por mostrar dedicação e interesse.

Camorim revela que a atenção deve ser redobrada quando já se está empregado. “Mesmo que o profissional não exerça um papel de liderança é importante que busque, nas suas plataformas digitais, manter uma conduta condizente com o perfil da empresa para evitar desgastes com colegas e com clientes”, explica.

 

*Dicas para não se prejudicar profissionalmente nas redes sociais*

 

Para auxiliar os profissionais a manter uma conduta correta e que o auxilie a crescer, Camorim deixou algumas dicas. Confira:

 

  •  Não critique o local em que você trabalha ou trabalhou;
  • Lembre-se que a sua imagem é ou será associada ao local em que trabalha, portanto mesmo nas redes sociais é preciso lembrar que tudo que você fizer pode prejudicar a sua imagem ou da empresa;
  • Não faça comentários maldosos sobre clientes. Isso pode gerar rescisão de contratos e afastar  potenciais novos clientes;
  • Fique atento às regras gramaticais. Escrever corretamente é fundamental;
  • Jamais faça comentários racistas, homofóbicos e/ou misóginos.  É muito rude e pode ter grandes consequências, além da demissão;
  • Controle a privacidade do que é publicado: é possível escolher se o post será visto por todos ou apenas pelos seus amigos;
  • Escolha uma boa foto para colocar no seu perfil;
  • Preocupe-se com a sua aparência, afinal ela é também um cartão de visitas.

leia tudo sobre

Publicidade

Posicionamento nas mídias digitais impacta diretamente vida profissional

Por Márcia Catunda em Artigo

03 de dezembro de 2019

Marcelo Camorim destaca que postura do funcionário pode afetar a empresa

 

Pesquisa desenvolvida pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic), divulgada este ano, apontou que o número de brasileiros que usam a internet com regularidade chega a 126,9 milhões. O número representa 70% da população do  país. Dados do Facebook apontam que o Brasil tem 130 milhões de usuários na rede social. O número garante a terceira posição no ranking internacional. No Instagram, o Brasil lidera o ranking com 16 milhões de usuários. No Linkedin são 29 milhões de inscritos. Outro levantamento realizado pela rede de agências de marketing e relações públicas Ecco, presente em 40 países,  revelou que houve um crescimento de 55% na quantidade de CEOs ativos no Linkedin no Brasil.

De acordo com Marcelo Camorim, especialista em gestão e governança, a presença dos altos executivos nas redes sociais é positiva por aproximar a empresa dos clientes e públicos de interesse e  por permitir um acompanhamento mais próximo do que que é compartilhado e comentado sobre a empresa e seu mercado nesses canais. Ele destaca que eles devem ser ser orientados para não cometerem gafes nessas plataformas. “É preciso cautela para que os líderes não manifestem posições pessoais controversas e em desacordo ao posicionamento institucional. O executivo não pode esquecer que representa uma empresa o tempo todo. Isso acontece  mesmo quando fala em um perfil pessoal privado, somente para seguidores autorizados numa rede social”, explicou.

Recrutadores usam redes sociais como ferramenta para seleção

O especialista ressalta que a  premissa vale também para profissionais de outros setores da empresa. Segundo ele, o  processo seletivo, em muitas organizações passa por uma visita pelos perfis nas redes sociais. Por este motivo, quem busca  colocação ou uma promoção, a comunicação nestas plataformas se torna fundamental para êxito ou fracasso.

“É aconselhável que os posicionamentos sejam realizados com bom senso e equilíbrio,  levando em consideração aquilo que deve ser postado ou comentado e aquilo que deve ser ignorado para que os perfis sociais permaneçam apropriados e alinhados com a sua trajetória profissional”, disse Camorim. Ele enfatiza ainda que bons perfis, com publicações relacionadas a área de atuação contam em favor do profissional, por mostrar dedicação e interesse.

Camorim revela que a atenção deve ser redobrada quando já se está empregado. “Mesmo que o profissional não exerça um papel de liderança é importante que busque, nas suas plataformas digitais, manter uma conduta condizente com o perfil da empresa para evitar desgastes com colegas e com clientes”, explica.

 

*Dicas para não se prejudicar profissionalmente nas redes sociais*

 

Para auxiliar os profissionais a manter uma conduta correta e que o auxilie a crescer, Camorim deixou algumas dicas. Confira:

 

  •  Não critique o local em que você trabalha ou trabalhou;
  • Lembre-se que a sua imagem é ou será associada ao local em que trabalha, portanto mesmo nas redes sociais é preciso lembrar que tudo que você fizer pode prejudicar a sua imagem ou da empresa;
  • Não faça comentários maldosos sobre clientes. Isso pode gerar rescisão de contratos e afastar  potenciais novos clientes;
  • Fique atento às regras gramaticais. Escrever corretamente é fundamental;
  • Jamais faça comentários racistas, homofóbicos e/ou misóginos.  É muito rude e pode ter grandes consequências, além da demissão;
  • Controle a privacidade do que é publicado: é possível escolher se o post será visto por todos ou apenas pelos seus amigos;
  • Escolha uma boa foto para colocar no seu perfil;
  • Preocupe-se com a sua aparência, afinal ela é também um cartão de visitas.