O exemplo de Camilo - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

O exemplo de Camilo

Por Wanfil em Ceará

13 de Maio de 2016

Gente da assessoria do governador Camilo Santana (CE), repetindo queixumes do ressentimento petista com o impeachment, critica o fato de não haver na equipe ministerial de Michel Temer negros, mulheres ou “representantes das classes mais pobres”.

Falso problema
A preocupação, nesse momento, é saber o que a equipe ministerial de Temer, independentemente de cores, credos, raças ou gênero, fará para consertar o monumental estrago feito por Dilma nas contas públicas. A prioridade é saber como acomodar a dívida dos estados na meta fiscal do ano que vem. Isso sim é problema de verdade.

Vidraça
De resto, fui conferir mais uma vez o perfil, digamos assim, social, do secretariado de Camilo. Vejam só: não há um negro! Seria racismo? Tem gente rica e apenas um ex-representante das classes mais pobres: Inácio Arruda. E contemplando as mulheres tem Nicolle Barbosa, que na verdade foi nomeada por critérios políticos, na condição de representante das classes mais ricas, o que é perfeitamente legítimo. Quem é governo tem que ter cuidado redobrado antes de falar de outros governos.

Exemplo
Por isso mesmo o próprio Camilo Santana, mesmo sendo aliado e correligionário de Dilma, evitou criticar Temer na declaração que postou quinta no Facebook lamentando o impeachment. Na verdade, o governador foi na direção contrária aos discursos belicosos, dizendo estar “amparado no diálogo e na busca de consensos”. Fica a lição para a sua assessoria, afinal, o estado já tem muito com o que se preocupar, a começar pelo ajuste dos servidores. O resto é perda de tempo. O Brasil está quebrando e Dilma perdeu as condições de governar. Se não houver uma reação estados e municípios quebram juntos e os culpados, para os eleitores, serão os governadores e prefeitos, brancos ou pretos, homens ou mulheres.

CORREÇÃO
A assessoria de comunicação do Governo do Ceará, gentilmente, entrou em contato comigo para fazer uma correção, pelo que sou grato. Além de Nicolle Barbosa, também compõe o time feminino do secretariado Aline Bezerra (Políticas sobre Drogas). Lembrou ainda de Socorro França na Controladoria Geral de Disciplina, que não é secretaria, e a vice-governadora Izolda Cela. Todas brancas e bem posicionadas socialmente, se é que isso importa como critério.

Publicidade aqui

O exemplo de Camilo

Por Wanfil em Ceará

13 de Maio de 2016

Gente da assessoria do governador Camilo Santana (CE), repetindo queixumes do ressentimento petista com o impeachment, critica o fato de não haver na equipe ministerial de Michel Temer negros, mulheres ou “representantes das classes mais pobres”.

Falso problema
A preocupação, nesse momento, é saber o que a equipe ministerial de Temer, independentemente de cores, credos, raças ou gênero, fará para consertar o monumental estrago feito por Dilma nas contas públicas. A prioridade é saber como acomodar a dívida dos estados na meta fiscal do ano que vem. Isso sim é problema de verdade.

Vidraça
De resto, fui conferir mais uma vez o perfil, digamos assim, social, do secretariado de Camilo. Vejam só: não há um negro! Seria racismo? Tem gente rica e apenas um ex-representante das classes mais pobres: Inácio Arruda. E contemplando as mulheres tem Nicolle Barbosa, que na verdade foi nomeada por critérios políticos, na condição de representante das classes mais ricas, o que é perfeitamente legítimo. Quem é governo tem que ter cuidado redobrado antes de falar de outros governos.

Exemplo
Por isso mesmo o próprio Camilo Santana, mesmo sendo aliado e correligionário de Dilma, evitou criticar Temer na declaração que postou quinta no Facebook lamentando o impeachment. Na verdade, o governador foi na direção contrária aos discursos belicosos, dizendo estar “amparado no diálogo e na busca de consensos”. Fica a lição para a sua assessoria, afinal, o estado já tem muito com o que se preocupar, a começar pelo ajuste dos servidores. O resto é perda de tempo. O Brasil está quebrando e Dilma perdeu as condições de governar. Se não houver uma reação estados e municípios quebram juntos e os culpados, para os eleitores, serão os governadores e prefeitos, brancos ou pretos, homens ou mulheres.

CORREÇÃO
A assessoria de comunicação do Governo do Ceará, gentilmente, entrou em contato comigo para fazer uma correção, pelo que sou grato. Além de Nicolle Barbosa, também compõe o time feminino do secretariado Aline Bezerra (Políticas sobre Drogas). Lembrou ainda de Socorro França na Controladoria Geral de Disciplina, que não é secretaria, e a vice-governadora Izolda Cela. Todas brancas e bem posicionadas socialmente, se é que isso importa como critério.