Começou a chuva... de promessas - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

Começou a chuva… de promessas

Por Wanfil em Política

23 de Fevereiro de 2018

Quem acompanha o noticiário já deve ter observado que se intensificaram os anúncios de centenas de milhões e milhões e milhões de reais de verbas federais para o Ceará. A última cifra estava em R$ 1,7 bilhão. Ocasiões sempre festivas que viram palco para apresentar a reaproximação do PT e PDT com o MDB no estado como uma necessidade incontornável, com seus protagonistas colocando o interesse coletivo acima das questões pessoais.

Não custa lembrar, porém, que o governo federal avisou que sem a reforma da Previdência o Orçamento para 2019 sofrerá um corte de R$ 14 bi. Como a votação ficou para depois das eleições, ou mesmo para a próxima gestão, é bem possível que o aperto fiscal comece já neste ano, com os habituais contingenciamentos de gastos.

Como PT e PDT são contra a reforma, atuam, de acordo com o MDB, para comprometer a saúde fiscal do País, dificultando a execução dos que foi anunciado, ou melhor, prometido para estados e municípios.

A união em nome da atração de investimentos e a sublimação das diferenças para superar crises são posturas desejáveis. O problema é quando se manifestam apenas em ano eleitoral, permitindo chuvas de anúncios grandiosos, sem que ninguém lhes testemunhe a colheita.

Por isso, para quem já foi enganado com promessas alvissareiras e redentoras, como a refinaria da Petrobras ou a inauguração da transposição do São Francisco, o melhor mesmo é ver antes para crer depois. 

Publicidade aqui

Começou a chuva… de promessas

Por Wanfil em Política

23 de Fevereiro de 2018

Quem acompanha o noticiário já deve ter observado que se intensificaram os anúncios de centenas de milhões e milhões e milhões de reais de verbas federais para o Ceará. A última cifra estava em R$ 1,7 bilhão. Ocasiões sempre festivas que viram palco para apresentar a reaproximação do PT e PDT com o MDB no estado como uma necessidade incontornável, com seus protagonistas colocando o interesse coletivo acima das questões pessoais.

Não custa lembrar, porém, que o governo federal avisou que sem a reforma da Previdência o Orçamento para 2019 sofrerá um corte de R$ 14 bi. Como a votação ficou para depois das eleições, ou mesmo para a próxima gestão, é bem possível que o aperto fiscal comece já neste ano, com os habituais contingenciamentos de gastos.

Como PT e PDT são contra a reforma, atuam, de acordo com o MDB, para comprometer a saúde fiscal do País, dificultando a execução dos que foi anunciado, ou melhor, prometido para estados e municípios.

A união em nome da atração de investimentos e a sublimação das diferenças para superar crises são posturas desejáveis. O problema é quando se manifestam apenas em ano eleitoral, permitindo chuvas de anúncios grandiosos, sem que ninguém lhes testemunhe a colheita.

Por isso, para quem já foi enganado com promessas alvissareiras e redentoras, como a refinaria da Petrobras ou a inauguração da transposição do São Francisco, o melhor mesmo é ver antes para crer depois.