Filme da Turma da Mônica é uma agradável viagem nostálgica para ver nas férias

DOS GIBIS PARA O CINEMA

Filme da Turma da Mônica é uma agradável viagem nostálgica para ver nas férias

A partir desta quinta-feira (27), os fãs poderão ver nas telonas Mônica, Cebolinha, Magali e Cascão em forma humana

Por Lyvia Rocha em Cinema

26 de junho de 2019 às 10:30

Há 4 meses
Os atores e o diretor durante a pré-estreia do filme em Fortaleza (FOTO: Iza Marques)

Os atores e o diretor durante a pré-estreia do filme em Fortaleza (FOTO: Iza Marques)

Ao ler os gibis da Turma da Mônica era impossível não imaginar aqueles personagens como humanos. Apesar do nosso imaginário sempre nos levar a alguém próximo de nós. E isso aconteceu. Com o grande boom de live-actions do cinema, a turminha criada por Maurício de Souza foi criada e finalmente personificada. A partir da quinta-feira (27), os fãs poderão ver nas telonas Mônica, Cebolinha, Magali e Cascão em forma humana.

Em uma seleção criteriosa que durou meses e teve acompanhamento e aprovação do criador, os atores realmente não deixam a desejar e conseguiram trazer de forma harmônica esses personagens que estão na nossa memória afetiva e causa nostalgia.

O grande desafio foi realizado pelo diretor Daniel Rezende, que já tinha sido elogiado pelo filme Bingo – Rei das Manhãs, sua estreia na direção cinematográfica. Para ele, agradar milhões de fãs era impossível, então precisava de uma aprovação em especial.

“É impossível agradar a todos os fãs que acompanharam a trajetória da Turma da Mônica. Fiz o filme pensando na aprovação do criador, de Maurício de Souza. Quando o olho dele brilhou, se emocionou, vi que tinha ido por um caminho certo”, afirmou o diretor durante a pré-estreia do longa metragem em Fortaleza, no domingo (23), no Nort Shopping Fortaleza.

E as crianças são o ponto alto do filme. Com um carisma que vai crescendo durante o longa, elas prendem e mostram que encorporaram de uma forma única os personagens dos quadrinhos. Outro ponto que agrada a quem assiste são as formas sutis que elementos humanos são preenchidos no filme.

Apesar de toda a força, Mônica também demonstra fragilidade em determinado momento do filme. Aliás, ela não é a única. Cebolinha, Magali e Cascão passam momentos que precisam superar seus medos. Algo que acontece de forma bem delicada e necessária.

O filme é uma adaptação da graphic novel “Turma da Mônica – Laços”, criada por Vitor e Lu Cafaggi. O gancho para a história é a procura dos quatro garotos em busca de resgatar Floquinho, cachorrinho verde de Cebolinha. Para conseguir isso, o personagem que ama implicar com Mônica pensa em – mais um – plano infalível.

A aventura dos quatro amigos tem momentos de desentendimentos, enfrentamento dos medos, aceitação do outro, e claro a grande amizade, o que certamente é a grande lição do filme. Nesse meio tempo há momento que merece destaque: a participação do personagem Louco, interpretado pelo consagrado ator Rodrigo Santoro. Algo que poderia ter sido explorado em outro momento do filme seria o Louco, acho que traria mais humor ao longa, mas nada que afete diretamente a narrativa.

Em meio às aventuras da Turma, também vale destaque para as caracterizações dos personagens. É algo que também nos faz levar para os quadrinhos e a criar um laço afetivo com o filme. Ah! Tenho que citar também a participação mega especial do mentor de tudo: Maurício de Sousa. Apesar da concorrência nessas férias de julho com Toy Story 4, a Turma da Mônica merece demais nossa atenção e com certeza nossa ida ao cinema.

Confira mais detalhes na matéria de Ariane Cajazeiras da Tribuna BandNews FM:

Publicidade

Dê sua opinião

DOS GIBIS PARA O CINEMA

Filme da Turma da Mônica é uma agradável viagem nostálgica para ver nas férias

A partir desta quinta-feira (27), os fãs poderão ver nas telonas Mônica, Cebolinha, Magali e Cascão em forma humana

Por Lyvia Rocha em Cinema

26 de junho de 2019 às 10:30

Há 4 meses
Os atores e o diretor durante a pré-estreia do filme em Fortaleza (FOTO: Iza Marques)

Os atores e o diretor durante a pré-estreia do filme em Fortaleza (FOTO: Iza Marques)

Ao ler os gibis da Turma da Mônica era impossível não imaginar aqueles personagens como humanos. Apesar do nosso imaginário sempre nos levar a alguém próximo de nós. E isso aconteceu. Com o grande boom de live-actions do cinema, a turminha criada por Maurício de Souza foi criada e finalmente personificada. A partir da quinta-feira (27), os fãs poderão ver nas telonas Mônica, Cebolinha, Magali e Cascão em forma humana.

Em uma seleção criteriosa que durou meses e teve acompanhamento e aprovação do criador, os atores realmente não deixam a desejar e conseguiram trazer de forma harmônica esses personagens que estão na nossa memória afetiva e causa nostalgia.

O grande desafio foi realizado pelo diretor Daniel Rezende, que já tinha sido elogiado pelo filme Bingo – Rei das Manhãs, sua estreia na direção cinematográfica. Para ele, agradar milhões de fãs era impossível, então precisava de uma aprovação em especial.

“É impossível agradar a todos os fãs que acompanharam a trajetória da Turma da Mônica. Fiz o filme pensando na aprovação do criador, de Maurício de Souza. Quando o olho dele brilhou, se emocionou, vi que tinha ido por um caminho certo”, afirmou o diretor durante a pré-estreia do longa metragem em Fortaleza, no domingo (23), no Nort Shopping Fortaleza.

E as crianças são o ponto alto do filme. Com um carisma que vai crescendo durante o longa, elas prendem e mostram que encorporaram de uma forma única os personagens dos quadrinhos. Outro ponto que agrada a quem assiste são as formas sutis que elementos humanos são preenchidos no filme.

Apesar de toda a força, Mônica também demonstra fragilidade em determinado momento do filme. Aliás, ela não é a única. Cebolinha, Magali e Cascão passam momentos que precisam superar seus medos. Algo que acontece de forma bem delicada e necessária.

O filme é uma adaptação da graphic novel “Turma da Mônica – Laços”, criada por Vitor e Lu Cafaggi. O gancho para a história é a procura dos quatro garotos em busca de resgatar Floquinho, cachorrinho verde de Cebolinha. Para conseguir isso, o personagem que ama implicar com Mônica pensa em – mais um – plano infalível.

A aventura dos quatro amigos tem momentos de desentendimentos, enfrentamento dos medos, aceitação do outro, e claro a grande amizade, o que certamente é a grande lição do filme. Nesse meio tempo há momento que merece destaque: a participação do personagem Louco, interpretado pelo consagrado ator Rodrigo Santoro. Algo que poderia ter sido explorado em outro momento do filme seria o Louco, acho que traria mais humor ao longa, mas nada que afete diretamente a narrativa.

Em meio às aventuras da Turma, também vale destaque para as caracterizações dos personagens. É algo que também nos faz levar para os quadrinhos e a criar um laço afetivo com o filme. Ah! Tenho que citar também a participação mega especial do mentor de tudo: Maurício de Sousa. Apesar da concorrência nessas férias de julho com Toy Story 4, a Turma da Mônica merece demais nossa atenção e com certeza nossa ida ao cinema.

Confira mais detalhes na matéria de Ariane Cajazeiras da Tribuna BandNews FM: