La Casa du’z Vetin: Cearenses criam versão da série "La Casa de Papel" em Fortaleza

ARTE PIRANGUEIRA

La Casa du’z Vetin: Cearenses criam versão da série “La Casa de Papel” em Fortaleza

“La Casa du’z Vetin” é uma produção independente, que promete fazer referência à série original, mas adaptada à realidade da periferia de Fortaleza

Por Vitória Barbosa em Cinema

8 de agosto de 2019 às 07:00

Há 2 meses
"La Casa du'z Vetin" promete fazer referência à série original, mas adaptando à realdiade periférica de Fortaleza (FOTO: Lucas Calisto)

Os 10 protagonistas da “La Casa du’z Vetin” terão como codinomes os bairros de de Fortaleza (FOTO: Lucas Calisto)

Inspirados na série espanhola La Casa de Papel, um grupo de jovens de Fortaleza resolveu recriar as cenas do seriado de sucesso na Netflix em uma versão cearense. “La Casa du’z Vetin” é uma produção independente de internet, que promete fazer referência à série original, mas adaptando à realidade da periferia da capital cearense.

Leonardo Souza, mais conhecido por Léo Suricate e cocriador do Suricate Seboso, é um dos protagonistas e idealizadores da série. O jovem explica que a ideia inicial era fazer apenas um trailer, uma espécie de paródia de La Casa de Papel. Porém, ele e o grupo de amigos desenvolveram melhor a ideia e resolveram produzir uma série de episódios completos.

No seriado modelo, atualmente com três temporadas, um grupo de nove ladrões é liderado por um professor para roubar a Casa da Moeda da Espanha e fabricar o próprio dinheiro. Na versão criada pelos cearenses, o foco é mostrar a realidade da área periférica da cidade. “A gente veio para, justamente, mostrar essa cultura de periferia, que é conhecida, explorada, mas não é valorizada”, esclareceu.

Mesmo sem entrar em detalhes do roteiro, ainda em criação, Léo adianta que os 10 protagonistas da “La Casa du’z Vetin” terão como codinomes os bairros de Fortaleza, assim como na série original, que nomeia os protagonistas com cidades do mundo. Ele também destaca que os atores do projeto já produzem conteúdo de periferia para internet e são pessoas estereotipadas como “pirangueiros”.

Além dos protagonistas e coadjuvantes, por trás das câmeras, outras pessoas trabalham na gravação, produção e edição da série. No total, 18 pessoas fazem parte do projeto. A Nigéria Filmes, produtora audiovisual independente, também aderiu à ideia e dirige a produção, que será assinada pelo Movimento DiFavela, grupo cultural de periferia do qual Léo participa.

Léo faz questão de ressaltar que cada integrante da equipe de “La Casa du’z Vetin” é importante e está trabalhando sem qualquer cachê. Além de Léo Suricate, fazem parte do elenco: Pobretion, Moisés Loureiro, Napoleão, Talmon Lima, Dudu Suricate, Neguinha Opressora, Thaís Opressora, Rodolfo Rodrigues, Ruivinha do Passinho e Everton Cassio. Na produção e direção, estão Camilo, Yargao, Bruno Xavier, Roger Pires, Lucas Calisto e JosiasGab. Para conhecer todo o pessoal, basta acessar o perfil no Instagram da série.

A série ainda não tem previsão de estreia. Nesta semana, as primeiras locações foram feitas na cidade. Léo explicou que, por enquanto, o grupo está preocupado em preparar roteiro e gravar as cenas simultaneamente.

“Nossa vontade é que saia o mais rápido possível e com a máxima qualidade”. Os episódios serão disponibilizados no canal do Suricate Seboso, no YouTube.

Confira todos os detalhes no Gente na TV, da TV Jangadeiro/SBT:

Publicidade

Dê sua opinião

ARTE PIRANGUEIRA

La Casa du’z Vetin: Cearenses criam versão da série “La Casa de Papel” em Fortaleza

“La Casa du’z Vetin” é uma produção independente, que promete fazer referência à série original, mas adaptada à realidade da periferia de Fortaleza

Por Vitória Barbosa em Cinema

8 de agosto de 2019 às 07:00

Há 2 meses
"La Casa du'z Vetin" promete fazer referência à série original, mas adaptando à realdiade periférica de Fortaleza (FOTO: Lucas Calisto)

Os 10 protagonistas da “La Casa du’z Vetin” terão como codinomes os bairros de de Fortaleza (FOTO: Lucas Calisto)

Inspirados na série espanhola La Casa de Papel, um grupo de jovens de Fortaleza resolveu recriar as cenas do seriado de sucesso na Netflix em uma versão cearense. “La Casa du’z Vetin” é uma produção independente de internet, que promete fazer referência à série original, mas adaptando à realidade da periferia da capital cearense.

Leonardo Souza, mais conhecido por Léo Suricate e cocriador do Suricate Seboso, é um dos protagonistas e idealizadores da série. O jovem explica que a ideia inicial era fazer apenas um trailer, uma espécie de paródia de La Casa de Papel. Porém, ele e o grupo de amigos desenvolveram melhor a ideia e resolveram produzir uma série de episódios completos.

No seriado modelo, atualmente com três temporadas, um grupo de nove ladrões é liderado por um professor para roubar a Casa da Moeda da Espanha e fabricar o próprio dinheiro. Na versão criada pelos cearenses, o foco é mostrar a realidade da área periférica da cidade. “A gente veio para, justamente, mostrar essa cultura de periferia, que é conhecida, explorada, mas não é valorizada”, esclareceu.

Mesmo sem entrar em detalhes do roteiro, ainda em criação, Léo adianta que os 10 protagonistas da “La Casa du’z Vetin” terão como codinomes os bairros de Fortaleza, assim como na série original, que nomeia os protagonistas com cidades do mundo. Ele também destaca que os atores do projeto já produzem conteúdo de periferia para internet e são pessoas estereotipadas como “pirangueiros”.

Além dos protagonistas e coadjuvantes, por trás das câmeras, outras pessoas trabalham na gravação, produção e edição da série. No total, 18 pessoas fazem parte do projeto. A Nigéria Filmes, produtora audiovisual independente, também aderiu à ideia e dirige a produção, que será assinada pelo Movimento DiFavela, grupo cultural de periferia do qual Léo participa.

Léo faz questão de ressaltar que cada integrante da equipe de “La Casa du’z Vetin” é importante e está trabalhando sem qualquer cachê. Além de Léo Suricate, fazem parte do elenco: Pobretion, Moisés Loureiro, Napoleão, Talmon Lima, Dudu Suricate, Neguinha Opressora, Thaís Opressora, Rodolfo Rodrigues, Ruivinha do Passinho e Everton Cassio. Na produção e direção, estão Camilo, Yargao, Bruno Xavier, Roger Pires, Lucas Calisto e JosiasGab. Para conhecer todo o pessoal, basta acessar o perfil no Instagram da série.

A série ainda não tem previsão de estreia. Nesta semana, as primeiras locações foram feitas na cidade. Léo explicou que, por enquanto, o grupo está preocupado em preparar roteiro e gravar as cenas simultaneamente.

“Nossa vontade é que saia o mais rápido possível e com a máxima qualidade”. Os episódios serão disponibilizados no canal do Suricate Seboso, no YouTube.

Confira todos os detalhes no Gente na TV, da TV Jangadeiro/SBT: