Flutebox: cearense une flauta e beatbox em criações musicais de arrepiar


Flutebox: cearense une flauta e beatbox em criações musicais de arrepiar

Rodrigo Araújo, de 22 anos, desenvolveu a habilidade sozinho, em casa, apenas vendo vídeos da internet

Por Wolney Batista em Música

18 de janeiro de 2015 às 07:00

Há 5 anos
Rodrigo aprendeu a técnica do flutebox vendo vídeos na internet (FOTO: Tribuna do Ceará/ Wolney Batista)

Rodrigo aprendeu a técnica do flutebox vendo vídeos na internet (FOTO: Tribuna do Ceará/ Wolney Batista)

O ditado “assobiar e chupar cana” nunca fez tanto sentido desde que surgiu o flutebox, uma técnica em que uma pessoa toca flauta e faz beatbox ao mesmo tempo. E isso não é coisa de gringo. O cearense Rodrigo Araújo, de 22 anos, desenvolveu a habilidade sozinho, em casa, apenas vendo vídeos da internet.

O talento para a flauta veio primeiro, há cerca de quatro anos, quando começou a participar de um projeto na igreja. Um ano depois foi que o jovem começou a arriscar colocar o beatbox quando tocava. “Pra unir é um pouco complicado porque [cada técnica] trabalha a respiração de forma diferente, mas com treinamento foi dando certo”.

O repertório de Rodrigo é bastante amplo e abrange pop internacional, hip hop, rap e composições cristãs. Ele conta que pode “brincar” com o funk carioca, forró ou sertanejo, porém o as músicas brasileiras são mais difíceis de serem adaptadas por ter mais melodia. Segundo ele, os ritmos de fora são mais “quadrados” do ponto de vista técnico.

Veja vídeo com o tema do jogo Mário Bros

[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/15335522″]

A multi-habilidade o levou para concorrer no quadro “Se Vira nos 30”, no programa Domingão do Faustão, da Rede Globo. Antes disso, as apresentações eram restritas apenas a alguns recitais no projeto da comunidade religiosa. O estudante de música da Universidade Estadual do Ceará (Uece) pretende agora investir nesse diferencial e divulgar o talento em todo o país.

Família musical

Apesar de tocar por um grupo inteiro, Rodrigo pode até criar uma banda na família. Além dele também tocar violão, teclado e cavaquinho, o casal de irmãos e o pai enveredaram para o lado musical e dominam alguns instrumentos – apesar de ter a arte como carreira principal. “Minha mãe fica só na plateia”, diverte-se.

Veja vídeo com tema da série de filmes Missão Impossível 

[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/15335519″]

Publicidade

Dê sua opinião

Flutebox: cearense une flauta e beatbox em criações musicais de arrepiar

Rodrigo Araújo, de 22 anos, desenvolveu a habilidade sozinho, em casa, apenas vendo vídeos da internet

Por Wolney Batista em Música

18 de janeiro de 2015 às 07:00

Há 5 anos
Rodrigo aprendeu a técnica do flutebox vendo vídeos na internet (FOTO: Tribuna do Ceará/ Wolney Batista)

Rodrigo aprendeu a técnica do flutebox vendo vídeos na internet (FOTO: Tribuna do Ceará/ Wolney Batista)

O ditado “assobiar e chupar cana” nunca fez tanto sentido desde que surgiu o flutebox, uma técnica em que uma pessoa toca flauta e faz beatbox ao mesmo tempo. E isso não é coisa de gringo. O cearense Rodrigo Araújo, de 22 anos, desenvolveu a habilidade sozinho, em casa, apenas vendo vídeos da internet.

O talento para a flauta veio primeiro, há cerca de quatro anos, quando começou a participar de um projeto na igreja. Um ano depois foi que o jovem começou a arriscar colocar o beatbox quando tocava. “Pra unir é um pouco complicado porque [cada técnica] trabalha a respiração de forma diferente, mas com treinamento foi dando certo”.

O repertório de Rodrigo é bastante amplo e abrange pop internacional, hip hop, rap e composições cristãs. Ele conta que pode “brincar” com o funk carioca, forró ou sertanejo, porém o as músicas brasileiras são mais difíceis de serem adaptadas por ter mais melodia. Segundo ele, os ritmos de fora são mais “quadrados” do ponto de vista técnico.

Veja vídeo com o tema do jogo Mário Bros

[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/15335522″]

A multi-habilidade o levou para concorrer no quadro “Se Vira nos 30”, no programa Domingão do Faustão, da Rede Globo. Antes disso, as apresentações eram restritas apenas a alguns recitais no projeto da comunidade religiosa. O estudante de música da Universidade Estadual do Ceará (Uece) pretende agora investir nesse diferencial e divulgar o talento em todo o país.

Família musical

Apesar de tocar por um grupo inteiro, Rodrigo pode até criar uma banda na família. Além dele também tocar violão, teclado e cavaquinho, o casal de irmãos e o pai enveredaram para o lado musical e dominam alguns instrumentos – apesar de ter a arte como carreira principal. “Minha mãe fica só na plateia”, diverte-se.

Veja vídeo com tema da série de filmes Missão Impossível 

[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/15335519″]