Quer mudar de emprego? Saiba o que levar considerar antes de se decidir


Quer mudar de emprego? Saiba o que levar considerar antes de se decidir

Apesar de o cenário não parecer propício a mudanças, existem muitos trabalhadores que não estão satisfeitos em seus empregos

Por Tribuna do Ceará em Carreira

15 de julho de 2015 às 06:00

Há 5 anos
Apesar de o cenário não parecer propício a mudanças, existem muitos trabalhadores que não estão satisfeitos em seus empregos (FOTO: Marcos Santos / USP Imagens)

Apesar de o cenário não parecer propício a mudanças, existem muitos trabalhadores que não estão satisfeitos em seus empregos (FOTO: Marcos Santos / USP Imagens)

O cenário atual do mercado de trabalho no Brasil é um dos mais pessimistas dos últimos anos. Dados divulgados no dia 09 de julho pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) demonstram que a taxa de desemprego subiu nos últimos três meses, até maio deste ano, e chegou a 8,1%. Segundo o instituto de pesquisa, esta já é maior taxa da série histórica, que começou a ser medida em 2012.

A redução nos postos de trabalho também afeta, indiretamente, aqueles que estão empregados, mas que cada vez mais sentem medo de perder o emprego. O Índice de Medo do Desemprego, medido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), e divulgado no dia 03 de julho, passou de 98,8 pontos em março para 104,1 pontos em junho, o que representa crescimento de 5,4%.

Apesar de o cenário não parecer propício a mudanças, existem muitos trabalhadores que não estão satisfeitos em seus empregos. É o que demonstra uma pesquisa da Isma Brasil (International Stress Management Association), que constatou que 72% dos entrevistados estão insatisfeitos com o trabalho. A insatisfação em 89% dos casos tem a ver com reconhecimento, em 78% com excesso de tarefas e em 63% com problemas de relacionamento.

Para Renato Mendes, consultor de carreiras da plataforma de empregos Job1, a falta de motivação no trabalho geralmente é silenciosa, mas pode ser percebida através de sintomas como falta de concentração e de foco, produção reduzida e distração.

Existem casos nos quais o funcionário pode encontrar ajuda em si mesmo e na empresa para ter uma nova motivação, mas em outros, mudar de emprego passa ser a única alternativa possível. Para quem está em dúvida se este é ou não o melhor momento para deixar o emprego atual e buscar uma nova colocação no mercado, o especialista orienta o que levar em consideração na hora da decisão:

Você deve considerar mudar de emprego quando:

1. Percebe que não tem perspectivas de crescimento profissional, nem salarial

2. Nos últimos três anos, não teve um aumento salarial por mérito, só por lei

3. Você acumula responsabilidades e não tem o reconhecimento da chefia

4. Você propõe melhorias para o crescimento da empresa e o projeto é engavetado

5. Você percebe que os gestores (diretoria) demonstram medo de mudança e preferem ficar na mesmice

Você deve considerar ficar no mesmo emprego quando:

1. Perceber que as suas ideias são valorizadas

2. Notar que o seu superior imediato divide com você os projetos e compartilha as ideias

3. Se sentir valorizado pela empresa

4. Acreditar que, quando os negócios melhorarem, você terá reconhecimento, inclusive salarial

5. Estiver certo de que poderá contribuir ainda mais para o avanço do negócio e, consequentemente, isso fará com que você tenha um crescimento na carreira e no próprio conhecimento

Renato Mendes conclui: “A insatisfação no trabalho pode se manifestar negativamente na saúde, qualidade de vida e comportamento do trabalhador. Isso não é bom nem para o funcionário, nem para as organizações. Se este é o seu caso, mudar pode de emprego, certamente, é a alternativa mais sensata”.

Publicidade

Dê sua opinião

Quer mudar de emprego? Saiba o que levar considerar antes de se decidir

Apesar de o cenário não parecer propício a mudanças, existem muitos trabalhadores que não estão satisfeitos em seus empregos

Por Tribuna do Ceará em Carreira

15 de julho de 2015 às 06:00

Há 5 anos
Apesar de o cenário não parecer propício a mudanças, existem muitos trabalhadores que não estão satisfeitos em seus empregos (FOTO: Marcos Santos / USP Imagens)

Apesar de o cenário não parecer propício a mudanças, existem muitos trabalhadores que não estão satisfeitos em seus empregos (FOTO: Marcos Santos / USP Imagens)

O cenário atual do mercado de trabalho no Brasil é um dos mais pessimistas dos últimos anos. Dados divulgados no dia 09 de julho pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) demonstram que a taxa de desemprego subiu nos últimos três meses, até maio deste ano, e chegou a 8,1%. Segundo o instituto de pesquisa, esta já é maior taxa da série histórica, que começou a ser medida em 2012.

A redução nos postos de trabalho também afeta, indiretamente, aqueles que estão empregados, mas que cada vez mais sentem medo de perder o emprego. O Índice de Medo do Desemprego, medido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), e divulgado no dia 03 de julho, passou de 98,8 pontos em março para 104,1 pontos em junho, o que representa crescimento de 5,4%.

Apesar de o cenário não parecer propício a mudanças, existem muitos trabalhadores que não estão satisfeitos em seus empregos. É o que demonstra uma pesquisa da Isma Brasil (International Stress Management Association), que constatou que 72% dos entrevistados estão insatisfeitos com o trabalho. A insatisfação em 89% dos casos tem a ver com reconhecimento, em 78% com excesso de tarefas e em 63% com problemas de relacionamento.

Para Renato Mendes, consultor de carreiras da plataforma de empregos Job1, a falta de motivação no trabalho geralmente é silenciosa, mas pode ser percebida através de sintomas como falta de concentração e de foco, produção reduzida e distração.

Existem casos nos quais o funcionário pode encontrar ajuda em si mesmo e na empresa para ter uma nova motivação, mas em outros, mudar de emprego passa ser a única alternativa possível. Para quem está em dúvida se este é ou não o melhor momento para deixar o emprego atual e buscar uma nova colocação no mercado, o especialista orienta o que levar em consideração na hora da decisão:

Você deve considerar mudar de emprego quando:

1. Percebe que não tem perspectivas de crescimento profissional, nem salarial

2. Nos últimos três anos, não teve um aumento salarial por mérito, só por lei

3. Você acumula responsabilidades e não tem o reconhecimento da chefia

4. Você propõe melhorias para o crescimento da empresa e o projeto é engavetado

5. Você percebe que os gestores (diretoria) demonstram medo de mudança e preferem ficar na mesmice

Você deve considerar ficar no mesmo emprego quando:

1. Perceber que as suas ideias são valorizadas

2. Notar que o seu superior imediato divide com você os projetos e compartilha as ideias

3. Se sentir valorizado pela empresa

4. Acreditar que, quando os negócios melhorarem, você terá reconhecimento, inclusive salarial

5. Estiver certo de que poderá contribuir ainda mais para o avanço do negócio e, consequentemente, isso fará com que você tenha um crescimento na carreira e no próprio conhecimento

Renato Mendes conclui: “A insatisfação no trabalho pode se manifestar negativamente na saúde, qualidade de vida e comportamento do trabalhador. Isso não é bom nem para o funcionário, nem para as organizações. Se este é o seu caso, mudar pode de emprego, certamente, é a alternativa mais sensata”.