Papel do Sebrae ganha relevância na qualificação - Carreiras & Educação


Papel do Sebrae ganha relevância na qualificação

Desde 2005 o Sebrae vem intensificando suas soluções de atendimento a distância por meio do Portal Sebrae, que se transformou em uma ferramenta de ajuda na condução dos negócios e formação dos empreendedores

Por helton em Empregos

5 de outubro de 2010 às 12:49

Há 10 anos

Quatro décadas depois de ser criado, o grande desafio do Sebrae hoje é ajudar o micro e pequeno empreendedor a participar de uma economia apontada como a bola da vez por muitos líderes internacionais. E o mais importante: com índices de longevidade cada vez melhores. Hoje, a média da taxa nacional de mortalidade das MPEs nos dois primeiros anos de atividade gira em torno de 22%, contra os 50% registrados em 2005. Isso significa que a cada 100 empresas abertas este ano, 78 estarão funcionando em 2012. As informações são do jornal Valor Econômico desta terça-feira (5).

Leia ainda:
SEBRAE ajuda rede de supermercados
Curso de Contabilidade é destaque no Sebrae
Sebrae lança site com perfil dos trabalhadores e das micro e pequenas empresas

“O aumento do índice de sobrevivência dos novos negócios é em boa parte resultado do esforço feito na última década, quando o Sebrae trabalhou para inserir as MPE no mercado respeitando as peculiaridades regionais e os avanços da tecnologia”, afirma Ênio Pinto, gerente nacional de atendimento do Sebrae. “Daqui para 2015, concentraremos nossos esforços na promoção da competitividade e no desenvolvimento sustentável dos micro e pequenos negócios.”

O caminho para alcançar o sucesso da nova empreitada, segundo o executivo, passa pelo aprimoramento constante das ferramentas de comunicação, apoio e educação dos empreendedores.

Desde 2005 o Sebrae vem intensificando suas soluções de atendimento a distância por meio do Portal Sebrae, que se transformou em uma ferramenta de ajuda na condução dos negócios e formação dos empreendedores. “A estimativa é de 12 milhões de acessos em 2010, contra os 9 milhões registrados no ano passado”, afirma Pinto. Paralelamente, a instituição está lançando uma cesta de novos produtos com o objetivo de ensinar os empreendedores a fazer negócios pela internet, envolvendo desde a criação da loja virtual até a logística de compra, entrega e cobrança. O próximo passo será a atuação pró-ativa do Sebrae nas redes sociais, o que deverá ocorrer, segundo o executivo, nos próximos 60 dias.

Hoje o Sebrae conta com 788 postos físicos, considerados insuficientes para atender à demanda das mais de 5 milhões de empresas formais urbanas em atividade no país.

Desde 2001 o Sebrae oferece uma grade de 10 cursos a distância, com tutoria e certificação, nas áreas de mercado, finanças e gestão para quem já é empresário ou deseja abrir o próprio negócio. “Em 2010 a estimativa é que sejam capacitadas 400 mil pessoas nessas modalidades e 200 mil nos minicursos de duas horas direcionados aos empreendedores individuais”, reforça Pinto. Somando todos os canais de atendimento, entre eles, o SMS e o call center, com 400 pontos, a entidade deverá superar a casa dos 4 milhões de atendimentos em 2010.

Na visão de Bruno Quick, gerente de políticas públicas do Sebrae, um dos principais traços da modernização da entidade foi a entrada do Sebrae no âmbito das políticas públicas com ações de formação profissional, viabilidade de acesso a crédito, estímulo à formalização dos negócios e capacitação das empresas para atuar no segmento de compras públicas. “São 537 mil empreendedores individuais formalizados desde fevereiro”, declara Quick.

A receita do Sebrae para 2010 é de R$ 2,1 bilhões, dos quais 24,58% para o Sudeste e 15,73% para o Nordeste.

Publicidade

Dê sua opinião

Papel do Sebrae ganha relevância na qualificação

Desde 2005 o Sebrae vem intensificando suas soluções de atendimento a distância por meio do Portal Sebrae, que se transformou em uma ferramenta de ajuda na condução dos negócios e formação dos empreendedores

Por helton em Empregos

5 de outubro de 2010 às 12:49

Há 10 anos

Quatro décadas depois de ser criado, o grande desafio do Sebrae hoje é ajudar o micro e pequeno empreendedor a participar de uma economia apontada como a bola da vez por muitos líderes internacionais. E o mais importante: com índices de longevidade cada vez melhores. Hoje, a média da taxa nacional de mortalidade das MPEs nos dois primeiros anos de atividade gira em torno de 22%, contra os 50% registrados em 2005. Isso significa que a cada 100 empresas abertas este ano, 78 estarão funcionando em 2012. As informações são do jornal Valor Econômico desta terça-feira (5).

Leia ainda:
SEBRAE ajuda rede de supermercados
Curso de Contabilidade é destaque no Sebrae
Sebrae lança site com perfil dos trabalhadores e das micro e pequenas empresas

“O aumento do índice de sobrevivência dos novos negócios é em boa parte resultado do esforço feito na última década, quando o Sebrae trabalhou para inserir as MPE no mercado respeitando as peculiaridades regionais e os avanços da tecnologia”, afirma Ênio Pinto, gerente nacional de atendimento do Sebrae. “Daqui para 2015, concentraremos nossos esforços na promoção da competitividade e no desenvolvimento sustentável dos micro e pequenos negócios.”

O caminho para alcançar o sucesso da nova empreitada, segundo o executivo, passa pelo aprimoramento constante das ferramentas de comunicação, apoio e educação dos empreendedores.

Desde 2005 o Sebrae vem intensificando suas soluções de atendimento a distância por meio do Portal Sebrae, que se transformou em uma ferramenta de ajuda na condução dos negócios e formação dos empreendedores. “A estimativa é de 12 milhões de acessos em 2010, contra os 9 milhões registrados no ano passado”, afirma Pinto. Paralelamente, a instituição está lançando uma cesta de novos produtos com o objetivo de ensinar os empreendedores a fazer negócios pela internet, envolvendo desde a criação da loja virtual até a logística de compra, entrega e cobrança. O próximo passo será a atuação pró-ativa do Sebrae nas redes sociais, o que deverá ocorrer, segundo o executivo, nos próximos 60 dias.

Hoje o Sebrae conta com 788 postos físicos, considerados insuficientes para atender à demanda das mais de 5 milhões de empresas formais urbanas em atividade no país.

Desde 2001 o Sebrae oferece uma grade de 10 cursos a distância, com tutoria e certificação, nas áreas de mercado, finanças e gestão para quem já é empresário ou deseja abrir o próprio negócio. “Em 2010 a estimativa é que sejam capacitadas 400 mil pessoas nessas modalidades e 200 mil nos minicursos de duas horas direcionados aos empreendedores individuais”, reforça Pinto. Somando todos os canais de atendimento, entre eles, o SMS e o call center, com 400 pontos, a entidade deverá superar a casa dos 4 milhões de atendimentos em 2010.

Na visão de Bruno Quick, gerente de políticas públicas do Sebrae, um dos principais traços da modernização da entidade foi a entrada do Sebrae no âmbito das políticas públicas com ações de formação profissional, viabilidade de acesso a crédito, estímulo à formalização dos negócios e capacitação das empresas para atuar no segmento de compras públicas. “São 537 mil empreendedores individuais formalizados desde fevereiro”, declara Quick.

A receita do Sebrae para 2010 é de R$ 2,1 bilhões, dos quais 24,58% para o Sudeste e 15,73% para o Nordeste.