Servier e Fiocruz lançam prêmio que incentiva combate ao zika

SAÚDE

Servier e Fiocruz lançam prêmio para incentivar pesquisa no combate ao zika vírus

Serão 120 mil euros em três anos a partir da 1ª premiação, já em novembro, incluindo mais 30 mil euros a estudos sobre efeitos da zika

Por Lyvia Rocha em Guia do Concurseiro

10 de abril de 2016 às 06:00

Há 4 anos
O mosquito Aedes Aegypti é o transmissor da dengue, zica vírus e chikungunya (FOTO: Divulgação)

O mosquito Aedes Aegypti é o transmissor da dengue, zica vírus e chikungunya (FOTO: Divulgação)

Foi lançado na última terça-feira (6), o Prêmio Servier-FioCruz, que é uma parceria entre a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Grupo Servier. A premiação será para incentivar, pelos próximos três anos, a pesquisa na área de neurociências.

Na primeira edição, já em novembro, haverá atenção especial aos trabalhos voltados para as consequências do vírus da zika sobre o sistema nervoso central, incluindo o aporte de mais 30 mil euros para os vencedores.

“Acima de tudo, estes 40 anos permitem-nos encarar o futuro com entusiasmo e escrever uma nova página na Servier Brasil com ambição e determinação”, afirmou Olivier Laureau, presidente mundial do Grupo Servier.

Ao longo dos próximos três anos, serão distribuídos no total, 120 mil euros aos pesquisadores que desenvolverem linhas de estudo tendo como foco a pesquisa em neuroinflamação e em desordens de desenvolvimento neurológico. Em novembro, ocorrerá a primeira etapa do prêmio Servier-Fiocruz com a entrega de 30 mil euros ao vencedor da categoria dedicada à infecção por Zika vírus.

Pesquisa no combate ao câncer

Outra parceria firmada entre as duas entidades está relacionada às pesquisas contra o câncer. Ao lado da Fiocruz, o laboratório vai trabalhar extratos de plantas da biodiversidade brasileira regularizados junto ao Conselho de Gestão do Patrimônio Genético (CGEN), na busca por novos medicamentos de combate à doença.

O centro de pesquisa Servier, em Croissy (Paris), oferecerá as suas instalações para testes por pesquisadores da Fiocruz junto com uma equipe do Polo de Biotecnologia, Biologia, Química Expertise da Servier. Osmedicamentos desenvolvidos a partir desta parceria terão opção de transferência de tecnologia para disponibilização pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Publicidade

Dê sua opinião

SAÚDE

Servier e Fiocruz lançam prêmio para incentivar pesquisa no combate ao zika vírus

Serão 120 mil euros em três anos a partir da 1ª premiação, já em novembro, incluindo mais 30 mil euros a estudos sobre efeitos da zika

Por Lyvia Rocha em Guia do Concurseiro

10 de abril de 2016 às 06:00

Há 4 anos
O mosquito Aedes Aegypti é o transmissor da dengue, zica vírus e chikungunya (FOTO: Divulgação)

O mosquito Aedes Aegypti é o transmissor da dengue, zica vírus e chikungunya (FOTO: Divulgação)

Foi lançado na última terça-feira (6), o Prêmio Servier-FioCruz, que é uma parceria entre a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Grupo Servier. A premiação será para incentivar, pelos próximos três anos, a pesquisa na área de neurociências.

Na primeira edição, já em novembro, haverá atenção especial aos trabalhos voltados para as consequências do vírus da zika sobre o sistema nervoso central, incluindo o aporte de mais 30 mil euros para os vencedores.

“Acima de tudo, estes 40 anos permitem-nos encarar o futuro com entusiasmo e escrever uma nova página na Servier Brasil com ambição e determinação”, afirmou Olivier Laureau, presidente mundial do Grupo Servier.

Ao longo dos próximos três anos, serão distribuídos no total, 120 mil euros aos pesquisadores que desenvolverem linhas de estudo tendo como foco a pesquisa em neuroinflamação e em desordens de desenvolvimento neurológico. Em novembro, ocorrerá a primeira etapa do prêmio Servier-Fiocruz com a entrega de 30 mil euros ao vencedor da categoria dedicada à infecção por Zika vírus.

Pesquisa no combate ao câncer

Outra parceria firmada entre as duas entidades está relacionada às pesquisas contra o câncer. Ao lado da Fiocruz, o laboratório vai trabalhar extratos de plantas da biodiversidade brasileira regularizados junto ao Conselho de Gestão do Patrimônio Genético (CGEN), na busca por novos medicamentos de combate à doença.

O centro de pesquisa Servier, em Croissy (Paris), oferecerá as suas instalações para testes por pesquisadores da Fiocruz junto com uma equipe do Polo de Biotecnologia, Biologia, Química Expertise da Servier. Osmedicamentos desenvolvidos a partir desta parceria terão opção de transferência de tecnologia para disponibilização pelo Sistema Único de Saúde (SUS).