Cursos de férias no exterior ajudam na admissão em faculdades estrangeiras

CURRÍCULO

Cursos de férias no exterior ajudam na admissão em faculdades estrangeiras

Nos cursos de férias, além de conhecer o campus e a rotina de estudos, o aluno fortalece a candidatura à graduação

Por Tribuna do Ceará em Intercâmbio

31 de outubro de 2018 às 07:00

Há 2 anos
Cursos de férias no exterior ajudam na admissão em faculdades estrangeiras

Os cursos de férias ajudam também no currículo do aluno (FOTO: Divulgação Crimson Education)

Os reflexos positivos para a carreira e o crescimento pessoal incentivam os estudantes a cursarem a graduação fora do país.

O Application, candidatura exigida pela maioria das instituições de ensino no exterior, avalia o perfil do jovem, o desempenho acadêmico e, muito diferente do vestibular brasileiro, o seu engajamento extracurricular.

Faculdades renomadas como Harvard, Yale e Stanford oferecem chance de uma imersão prévia que pode durar de duas a oito semanas.

Nesse período, os alunos têm a oportunidade de residir nos dormitórios estudantis, participar de aulas com professores da própria instituição e se relacionar com alunos do mundo inteiro.

Os cursos de férias mais competitivos possuem componentes e critérios de seleção parecidos com o universitário, o que pode ser um bom treino para a candidatura. A participação também pode ser incluída no currículo, mostrando que o aluno busca desafios. 

Os programas acontecem em sua maioria entre junho e agosto, que corresponde ao período das férias de verão no hemisfério norte. Confira alguns programas de curso de férias no exterior: 

1 – Tours de universidades

Com temáticas variadas, propõem visitas às universidades de grande destaque na área desejada, momento em que há interação com representantes dos escritórios de admissão e atuais estudantes, além de passeios especiais para que os alunos vislumbrem a futura carreira. Como acontece no Future Financiers Delegation, que a Crimson Education organiza para julho e passa por instituições com destaque em administração, economia e finanças, como Stanford, Harvard e Wharton, e em seguida visita bancos de investimento como Goldman Sachs e Tiger Management em Nova Iorque e empresas de tecnologia no Vale do Silício como Facebook e Google.

2 – Cursos acadêmicos

Exigem um processo de seleção, com diferentes níveis de competitividade, mas oferecem uma experiência em nível universitário. Há programas em que são realizadas diferentes matérias, como economia e programação; é o que fazem no Harvard Summer School, Stanford Pre-Collegiate Summer Institutes e Summer@Brown. Outros contam com uma série de aulas e palestras interdisciplinares, e ao final é realizado um projeto de conclusão, como no Yale Young Global Scholars e Launch X.

3 – Cursos de inglês

Estudar fora do país exige domínio da língua. Por isso, com o objetivo de fortalecer o inglês tanto dentro quanto fora da sala de aula, os alunos frequentam escolas de idiomas ou grandes faculdades: uma imersão para trabalhar a fala, audição, escrita e leitura, que inclui passeios culturais para desbravar a cidade visitada. Entre eles há o Georgetown English Intensive College Prep e o English as a Second Language Summer Program, em Johns Hopkins.

4 – Acampamentos

Comumente buscados por estudantes do ensino fundamental, têm foco em atividades como esportes ou artes, que podem acontecer no campus das universidades, colégios internos ou em sítios próprios. Apesar de não terem um foco acadêmico, proporcionam uma divertida vivência internacional. Como, por exemplo, os acampamentos esportivos da IMG Academy e os programas da Culver Academy.

Publicidade

Dê sua opinião

CURRÍCULO

Cursos de férias no exterior ajudam na admissão em faculdades estrangeiras

Nos cursos de férias, além de conhecer o campus e a rotina de estudos, o aluno fortalece a candidatura à graduação

Por Tribuna do Ceará em Intercâmbio

31 de outubro de 2018 às 07:00

Há 2 anos
Cursos de férias no exterior ajudam na admissão em faculdades estrangeiras

Os cursos de férias ajudam também no currículo do aluno (FOTO: Divulgação Crimson Education)

Os reflexos positivos para a carreira e o crescimento pessoal incentivam os estudantes a cursarem a graduação fora do país.

O Application, candidatura exigida pela maioria das instituições de ensino no exterior, avalia o perfil do jovem, o desempenho acadêmico e, muito diferente do vestibular brasileiro, o seu engajamento extracurricular.

Faculdades renomadas como Harvard, Yale e Stanford oferecem chance de uma imersão prévia que pode durar de duas a oito semanas.

Nesse período, os alunos têm a oportunidade de residir nos dormitórios estudantis, participar de aulas com professores da própria instituição e se relacionar com alunos do mundo inteiro.

Os cursos de férias mais competitivos possuem componentes e critérios de seleção parecidos com o universitário, o que pode ser um bom treino para a candidatura. A participação também pode ser incluída no currículo, mostrando que o aluno busca desafios. 

Os programas acontecem em sua maioria entre junho e agosto, que corresponde ao período das férias de verão no hemisfério norte. Confira alguns programas de curso de férias no exterior: 

1 – Tours de universidades

Com temáticas variadas, propõem visitas às universidades de grande destaque na área desejada, momento em que há interação com representantes dos escritórios de admissão e atuais estudantes, além de passeios especiais para que os alunos vislumbrem a futura carreira. Como acontece no Future Financiers Delegation, que a Crimson Education organiza para julho e passa por instituições com destaque em administração, economia e finanças, como Stanford, Harvard e Wharton, e em seguida visita bancos de investimento como Goldman Sachs e Tiger Management em Nova Iorque e empresas de tecnologia no Vale do Silício como Facebook e Google.

2 – Cursos acadêmicos

Exigem um processo de seleção, com diferentes níveis de competitividade, mas oferecem uma experiência em nível universitário. Há programas em que são realizadas diferentes matérias, como economia e programação; é o que fazem no Harvard Summer School, Stanford Pre-Collegiate Summer Institutes e Summer@Brown. Outros contam com uma série de aulas e palestras interdisciplinares, e ao final é realizado um projeto de conclusão, como no Yale Young Global Scholars e Launch X.

3 – Cursos de inglês

Estudar fora do país exige domínio da língua. Por isso, com o objetivo de fortalecer o inglês tanto dentro quanto fora da sala de aula, os alunos frequentam escolas de idiomas ou grandes faculdades: uma imersão para trabalhar a fala, audição, escrita e leitura, que inclui passeios culturais para desbravar a cidade visitada. Entre eles há o Georgetown English Intensive College Prep e o English as a Second Language Summer Program, em Johns Hopkins.

4 – Acampamentos

Comumente buscados por estudantes do ensino fundamental, têm foco em atividades como esportes ou artes, que podem acontecer no campus das universidades, colégios internos ou em sítios próprios. Apesar de não terem um foco acadêmico, proporcionam uma divertida vivência internacional. Como, por exemplo, os acampamentos esportivos da IMG Academy e os programas da Culver Academy.