Após defeso, lagosta volta a ser comercializada mais barata


Após defeso, lagosta volta a ser comercializada mais barata

Após o período de defeso, com fim em maio, a pesca do crustáceo voltou a ser praticada por pescadores ou empresas

Por Hayanne Narlla em Ceará

12 de junho de 2013 às 16:28

Há 7 anos
Fornecedores comercializam o pescado a partir de R$ 50 o quilo. FOTO: Creative Commons

Fornecedores comercializam o pescado a partir de R$ 50 o quilo. FOTO: Creative Commons

O estado do Ceará é um dos maiores produtores de lagosta do Brasil. Segundo o Ministério da Pesca, a lagosta é o principal pescado para exportação do país, gerando cerca de US$ 80 milhões por ano. Após o período de defeso, com fim em maio, a pesca do crustáceo voltou a ser praticada por pescadores ou empresas.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Ceará (Abrasel), Ivan Assunção, os fornecedores de lagosta, após o começo da pesca, estão vendendo a um valor baixo, por cerca de R$ 50 a R$ 60 o quilo do pescado. “O preço é mais baixo que o do antes do defeso, em 2012, que era de R$ 65”, avalia.

Para ele, a tendência é a de voltar ao valor de R$ 65 por quilo. “Não deve existir nenhum tipo de aumento em razão da Copa das Confederações. Isso não pode acontecer. Se houver aumento, deve ser pelos insumos, mas não por datas comemorativas”, afirma.

O presidente explica que o valor da lagosta varia de acordo com a quantidade de exportações. “O consumo local é baixo, porque o produto é caro. A lagosta é mais destinada à exportação, por isso o que sobra vendemos aqui. Com muitas exportações, o preço acaba aumentando. Com poucas exportações, o preço, no Ceará, diminui”, ressalta.

Pescadores

Segundo o diretor-secretário da Colônia de Pescadores Z-8, Sebastião Ramos, a lagosta está sendo vendida pelos pescadores para os atravessadores por cerca de R$18 o quilo. Ramos ainda acredita que o preço vai se manter na vendas de pescadores.

Publicidade

Dê sua opinião

Após defeso, lagosta volta a ser comercializada mais barata

Após o período de defeso, com fim em maio, a pesca do crustáceo voltou a ser praticada por pescadores ou empresas

Por Hayanne Narlla em Ceará

12 de junho de 2013 às 16:28

Há 7 anos
Fornecedores comercializam o pescado a partir de R$ 50 o quilo. FOTO: Creative Commons

Fornecedores comercializam o pescado a partir de R$ 50 o quilo. FOTO: Creative Commons

O estado do Ceará é um dos maiores produtores de lagosta do Brasil. Segundo o Ministério da Pesca, a lagosta é o principal pescado para exportação do país, gerando cerca de US$ 80 milhões por ano. Após o período de defeso, com fim em maio, a pesca do crustáceo voltou a ser praticada por pescadores ou empresas.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Ceará (Abrasel), Ivan Assunção, os fornecedores de lagosta, após o começo da pesca, estão vendendo a um valor baixo, por cerca de R$ 50 a R$ 60 o quilo do pescado. “O preço é mais baixo que o do antes do defeso, em 2012, que era de R$ 65”, avalia.

Para ele, a tendência é a de voltar ao valor de R$ 65 por quilo. “Não deve existir nenhum tipo de aumento em razão da Copa das Confederações. Isso não pode acontecer. Se houver aumento, deve ser pelos insumos, mas não por datas comemorativas”, afirma.

O presidente explica que o valor da lagosta varia de acordo com a quantidade de exportações. “O consumo local é baixo, porque o produto é caro. A lagosta é mais destinada à exportação, por isso o que sobra vendemos aqui. Com muitas exportações, o preço acaba aumentando. Com poucas exportações, o preço, no Ceará, diminui”, ressalta.

Pescadores

Segundo o diretor-secretário da Colônia de Pescadores Z-8, Sebastião Ramos, a lagosta está sendo vendida pelos pescadores para os atravessadores por cerca de R$18 o quilo. Ramos ainda acredita que o preço vai se manter na vendas de pescadores.