Atual prefeito de Granjeiro e pai são suspeitos de envolvimento em morte de antigo gestor

INVESTIGAÇÃO

Atual prefeito de Granjeiro e pai são suspeitos de envolvimento em morte de antigo gestor

Ticiano Tomé e Vicente Félix de Souza são suspeitos de envolvimento na morte de João Gregório Neto, então prefeito morto a tiros na véspera de Natal

Por Tribuna do Ceará em Ceará

9 de janeiro de 2020 às 19:23

Há 7 meses
A família de João Gregório acredita que disputa política pode ter relação com a morte do prefeito (FOTO: Reprodução/ Facebook)

A família de João Gregório acredita que disputa política pode ter relação com a morte do prefeito (FOTO: Reprodução/ Facebook)

A Justiça do Ceará negou o pedido de prisão do atual prefeito de Granjeiro, Ticiano Tomé, e do pai dele, Vicente Félix de Souza. Eles são suspeitos de envolvimento na morte de João Gregório Neto, morto a tiros na véspera de Natal do ano passado. Detalhes sobre a investigação foram passados pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social em coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira (9).

Ainda nesta quinta-feira, mandados de busca e apreensão foram cumpridos na casa do agora prefeito do município, que era vice de João Gregório. No local, a Polícia apreendeu celulares, documentos e um veículo de propriedade de um parente do pai de Ticiano, que teria sido usado para dar apoio ao crime.

Segundo a família de João Gregório, conhecido no município por “João do Povo”, a morte do então prefeito pode ter sido motivada por desavença política. Ele e o vice estariam rompidos politicamente. Ticiano assumiu a Prefeitura de Granjeiro no dia 27 de dezembro, após a morte de João Gregório.

No dia crime, a vítima fazia caminhada próximo ao açude Junco quando foi surpreendida por homens que dispararam contra ele.

Apesar da Justiça negar os pedidos de prisão, ficou decidido que o pai de Ticiano, Vicente Félix de Sousa, usará tornozeleira eletrônica e se manterá em uma área restrita de monitoramento. Uma terceira pessoa, que teria executado João Gregório, está foragida.

Publicidade

Dê sua opinião

INVESTIGAÇÃO

Atual prefeito de Granjeiro e pai são suspeitos de envolvimento em morte de antigo gestor

Ticiano Tomé e Vicente Félix de Souza são suspeitos de envolvimento na morte de João Gregório Neto, então prefeito morto a tiros na véspera de Natal

Por Tribuna do Ceará em Ceará

9 de janeiro de 2020 às 19:23

Há 7 meses
A família de João Gregório acredita que disputa política pode ter relação com a morte do prefeito (FOTO: Reprodução/ Facebook)

A família de João Gregório acredita que disputa política pode ter relação com a morte do prefeito (FOTO: Reprodução/ Facebook)

A Justiça do Ceará negou o pedido de prisão do atual prefeito de Granjeiro, Ticiano Tomé, e do pai dele, Vicente Félix de Souza. Eles são suspeitos de envolvimento na morte de João Gregório Neto, morto a tiros na véspera de Natal do ano passado. Detalhes sobre a investigação foram passados pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social em coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira (9).

Ainda nesta quinta-feira, mandados de busca e apreensão foram cumpridos na casa do agora prefeito do município, que era vice de João Gregório. No local, a Polícia apreendeu celulares, documentos e um veículo de propriedade de um parente do pai de Ticiano, que teria sido usado para dar apoio ao crime.

Segundo a família de João Gregório, conhecido no município por “João do Povo”, a morte do então prefeito pode ter sido motivada por desavença política. Ele e o vice estariam rompidos politicamente. Ticiano assumiu a Prefeitura de Granjeiro no dia 27 de dezembro, após a morte de João Gregório.

No dia crime, a vítima fazia caminhada próximo ao açude Junco quando foi surpreendida por homens que dispararam contra ele.

Apesar da Justiça negar os pedidos de prisão, ficou decidido que o pai de Ticiano, Vicente Félix de Sousa, usará tornozeleira eletrônica e se manterá em uma área restrita de monitoramento. Uma terceira pessoa, que teria executado João Gregório, está foragida.