MP denuncia acusados de assassinar ativista ambiental em Limoeiro do Norte - Noticias


MP denuncia acusados de assassinar ativista ambiental em Limoeiro do Norte

O Ministério Público do Estado do Ceará denunciou os acusados de assassinar o ativista ambiental e líder comunitário José Maria Filho, morto no dia 21 de abril de 2010 em Limoeiro do Norte

Por Felipe Lima e Thamiris Treigher em Ceará

28 de junho de 2012 às 09:10

Há 7 anos

O Ministério Público do Estado do Ceará denunciou os acusados de assassinar o ativista ambiental e líder comunitário José Maria Filho. Ele foi morto no dia 21 de abril de 2010 em Limoeiro do Norte, na região do Vale do Jaguaribe. O caso teve grande repercussão nacional.

Segundo a Promotoria, os acusados são o empresário do ramo de fruticultura João Teixeira Júnior e os intermediários da contratação do pistoleiro, José Aldair Gomes Costa, Antônio Wellington Ferreira Lima e Francisco Marcos Lima Barros.

As investigações apontam que o ativista teria sido morto em razão da luta dele contra a pulverização aérea de agrotóxicos sobre as plantações de frutas e pela distribuição das terras da União no perímetro irrigado, principalmente entre os pequenos produtores.

Prisão preventiva

Os promotores de Justiça que cuidam do caso afirmam que vão recorrer da decisão dos juízes que indeferiram o pedido de prisão preventiva dos quatro denunciados feito pelo Ministério Público. A Promotoria alega que a prova do processo corre risco com a liberdade dos acusados.

Publicidade

Dê sua opinião

MP denuncia acusados de assassinar ativista ambiental em Limoeiro do Norte

O Ministério Público do Estado do Ceará denunciou os acusados de assassinar o ativista ambiental e líder comunitário José Maria Filho, morto no dia 21 de abril de 2010 em Limoeiro do Norte

Por Felipe Lima e Thamiris Treigher em Ceará

28 de junho de 2012 às 09:10

Há 7 anos

O Ministério Público do Estado do Ceará denunciou os acusados de assassinar o ativista ambiental e líder comunitário José Maria Filho. Ele foi morto no dia 21 de abril de 2010 em Limoeiro do Norte, na região do Vale do Jaguaribe. O caso teve grande repercussão nacional.

Segundo a Promotoria, os acusados são o empresário do ramo de fruticultura João Teixeira Júnior e os intermediários da contratação do pistoleiro, José Aldair Gomes Costa, Antônio Wellington Ferreira Lima e Francisco Marcos Lima Barros.

As investigações apontam que o ativista teria sido morto em razão da luta dele contra a pulverização aérea de agrotóxicos sobre as plantações de frutas e pela distribuição das terras da União no perímetro irrigado, principalmente entre os pequenos produtores.

Prisão preventiva

Os promotores de Justiça que cuidam do caso afirmam que vão recorrer da decisão dos juízes que indeferiram o pedido de prisão preventiva dos quatro denunciados feito pelo Ministério Público. A Promotoria alega que a prova do processo corre risco com a liberdade dos acusados.