AMC faz nova blitz em local onde agente foi presa por desacato pelo Exército

APÓS DISCUSSÃO

AMC faz nova blitz em local onde agente foi presa por desacato pelo Exército

Blitz ocorreu um dia após servidora da AMC ter sido detida por desacato à autoridade e ficado presa por 2 horas

Por Roberta Tavares em Cotidiano

3 de junho de 2016 às 10:00

Há 4 anos
Blitz foi realizada na Rua Marechal Bittencurt (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Blitz foi realizada na Rua Marechal Bittencurt (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Os agentes da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) fizeram blitz novamente em frente ao quartel do Exército, um dia após uma servidora do órgão ter sido detida por desacato à autoridade. A blitz foi realizada na noite de quinta-feira (2), na Rua Marechal Bittencurt, no Bairro Dias Macedo, em Fortaleza.

A discussão teria ocorrido entre os agentes e os militares, na noite de quarta-feira (1º), quando a mulher desobedeceu a ordem dos oficiais. Os militares solicitaram que a blitz, que estava em frente ao quartel, fosse desmontada. Conforme os oficiais, o local seria uma área militar, e os agentes não poderiam realizar a ação a menos de 33 metros de distância. A servidora, que não teve a identidade revelada, ficou detida por cerca de duas horas na parte interna do quartel.

Mesmo depois do caso, uma nova blitz foi realizada na quinta-feira. Agentes da AMC fizeram abordagens a motoristas de automóveis e motocicletas, em frente ao 10º Depósito de Suprimentos do Exército Brasileiro. Não houve registro de discussão no local.

Paralisação

Durante a quinta-feira, os agentes da AMC paralisaram as atividades por cerca de duas horas, na sede do órgão. O protesto foi uma forma de cobrança de providências por parte da Autarquia em relação à forma como a agente teria sido tratada pelos militares. Responsáveis pelo órgão se reuniram com o comando da 10ª Região Militar e, após o encontro, os agentes voltaram ao trabalho. A expectativa, segundo os servidores, é que o caso seja apurado com rigor.

AMC e 10ª Região Militar

Em nota, a AMC informou que a agente “exercia seu trabalho corretamente, cumprindo a missão de garantir um ir e vir mais seguro à população”. Ainda segundo a Autarquia, que a operação fazia parte de ação contínua com objetivo de aumentar a segurança pública e reduzir os acidentes de trânsito.

“Nos primeiros quatro meses deste ano, mais de 1.500 motocicletas foram apreendidas por trafegar irregularmente na cidade. Ressalta-se ainda que esta não é a primeira vez que a fiscalização acontece no referido local”. O órgão disse que “está buscando, junto ao Exército Brasileiro, um entendimento pacífico para manter a parceria entre os dois setores”.

Em resposta, a assessoria da 10ª Região Militar afirmou que será instaurada sindicância, a ser concluída em 30 dias, para apurar o caso. O procedimento deve esclarecer se a fiscalização desrespeitou algum tipo de legislação. Os responsáveis pela segurança teriam tentado intervir na blitz a fim de desobstruir a entrada e saída de veículos. De acordo com a 10ª Região Militar, teria havido falta de comunicação entre a AMC e o Exército para a realização da operação.

Com informações do repórter Abraão Ramos, da TV Jangadeiro/SBT.

Veja os vídeos da ação:

http://mais.uol.com.br/view/15882134

http://mais.uol.com.br/view/15882135

Publicidade

Dê sua opinião

APÓS DISCUSSÃO

AMC faz nova blitz em local onde agente foi presa por desacato pelo Exército

Blitz ocorreu um dia após servidora da AMC ter sido detida por desacato à autoridade e ficado presa por 2 horas

Por Roberta Tavares em Cotidiano

3 de junho de 2016 às 10:00

Há 4 anos
Blitz foi realizada na Rua Marechal Bittencurt (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Blitz foi realizada na Rua Marechal Bittencurt (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Os agentes da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) fizeram blitz novamente em frente ao quartel do Exército, um dia após uma servidora do órgão ter sido detida por desacato à autoridade. A blitz foi realizada na noite de quinta-feira (2), na Rua Marechal Bittencurt, no Bairro Dias Macedo, em Fortaleza.

A discussão teria ocorrido entre os agentes e os militares, na noite de quarta-feira (1º), quando a mulher desobedeceu a ordem dos oficiais. Os militares solicitaram que a blitz, que estava em frente ao quartel, fosse desmontada. Conforme os oficiais, o local seria uma área militar, e os agentes não poderiam realizar a ação a menos de 33 metros de distância. A servidora, que não teve a identidade revelada, ficou detida por cerca de duas horas na parte interna do quartel.

Mesmo depois do caso, uma nova blitz foi realizada na quinta-feira. Agentes da AMC fizeram abordagens a motoristas de automóveis e motocicletas, em frente ao 10º Depósito de Suprimentos do Exército Brasileiro. Não houve registro de discussão no local.

Paralisação

Durante a quinta-feira, os agentes da AMC paralisaram as atividades por cerca de duas horas, na sede do órgão. O protesto foi uma forma de cobrança de providências por parte da Autarquia em relação à forma como a agente teria sido tratada pelos militares. Responsáveis pelo órgão se reuniram com o comando da 10ª Região Militar e, após o encontro, os agentes voltaram ao trabalho. A expectativa, segundo os servidores, é que o caso seja apurado com rigor.

AMC e 10ª Região Militar

Em nota, a AMC informou que a agente “exercia seu trabalho corretamente, cumprindo a missão de garantir um ir e vir mais seguro à população”. Ainda segundo a Autarquia, que a operação fazia parte de ação contínua com objetivo de aumentar a segurança pública e reduzir os acidentes de trânsito.

“Nos primeiros quatro meses deste ano, mais de 1.500 motocicletas foram apreendidas por trafegar irregularmente na cidade. Ressalta-se ainda que esta não é a primeira vez que a fiscalização acontece no referido local”. O órgão disse que “está buscando, junto ao Exército Brasileiro, um entendimento pacífico para manter a parceria entre os dois setores”.

Em resposta, a assessoria da 10ª Região Militar afirmou que será instaurada sindicância, a ser concluída em 30 dias, para apurar o caso. O procedimento deve esclarecer se a fiscalização desrespeitou algum tipo de legislação. Os responsáveis pela segurança teriam tentado intervir na blitz a fim de desobstruir a entrada e saída de veículos. De acordo com a 10ª Região Militar, teria havido falta de comunicação entre a AMC e o Exército para a realização da operação.

Com informações do repórter Abraão Ramos, da TV Jangadeiro/SBT.

Veja os vídeos da ação:

http://mais.uol.com.br/view/15882134

http://mais.uol.com.br/view/15882135