Dono de Jacó, cão que morreu atropelado, se emociona com homenagem de clínica ao animal

AMOR VERDADEIRO

Dono de Jacó, cão que morreu atropelado, se emociona com homenagem de clínica ao animal

A iniciativa de nomear a clínica foi do vereador Esio Feitosa (PDT). O projeto de lei ordinária foi aprovado pela Câmara Municipal e aguarda sanção do prefeito Roberto Cláudio

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

5 de setembro de 2019 às 07:00

Há 2 meses
Jacó iria representar o Brasil na maior competição de cães do mundo na Europa (FOTO: Reprodução/Instagram)

Jacó iria representar o Brasil na maior competição de cães do mundo na Europa (FOTO: Reprodução/Instagram)

A notícia de que a primeira clínica veterinária de Fortaleza receberá o nome de Jacó, o cão mais habilidoso do Brasil, mundialmente conhecido, emocionou Vladinir Maciel, o adestrador de cães que era dono do cachorro. Jacó morreu atropelado em fevereiro na praia Porto das Dunas, no município de Aquiraz, enquanto passeava com Vladinir e a família.

“Realmente ficamos bastante emocionados, tanto eu, como minha família, pela primeira clínica veterinária municipal de Fortaleza levar o nome de um ‘cara’ tão admirável, incrível, espetacular, como foi Jacó”.

Vladinir, agora, espera que a nova clínica represente “o amor verdadeiro aos animais, pois, conforme ele, Jacó sempre foi muito amado”. Ele destaca que, até hoje, mantém grande admiração pela determinação, inteligência, parceria e lealdade de Jacó.

O adestrador adiantou que está lutando para criar a Lei Jacó. Segundo ele, a regulamentação deve ser nacional, mas as mobilizações devem iniciar na cidade, tornando-a primeiramente municipal.

“A Lei Jacó se resume, basicamente, em dar respeito aos animais, mas envolve várias outras coisas. Ela vai trazer força para os animais, e nós queremos que seja crime, a nível de reclusão, para quem matar ou maltratar um animal”, explicou.

Quando foi atropelado, Jacó estava vivendo o auge da carreira. O cachorro iria representar o Brasil na maior competição de cães do mundo na Europa, na semana seguinte. A pessoa que atropelou o animal fugiu sem prestar socorro e, até hoje, não foi identificada e punida. Esse também é o motivo para a luta de Vladinir e sua família em defesa dos animais e criação da lei.

“Quando aconteceu isso com o Jacó, nós achávamos que tínhamos um respaldo, seríamos amparados por lei, mas para nós foi um choque de realidade, porque a leis em relação aos animai são muito frouxas, na verdade, não existem”, relatou.

O tutor do animal esclarece que a possível regulamentação tem o objetivo de tornar mais rigorosa tanto a procura, como a punição para quem matar ou maltratar animais. Ele também acredita que o criminoso ainda ver ser encontrado e punido.

Sobre a clínica

As obras da nova clínica veterinária serão executadas pela Secretaria Municipal da Infraestrutura (Seinf). O prédio que antes era a Farmácia Viva, no bairro Edson Queiroz, será o novo espaço de referência no cuidado ao animal. A previsão é de que a obra seja entregue no primeiro semestre de 2020. O atendimento é todo gratuito.

Na clínica popular, haverá consultório, ambulatório, enfermaria, farmácia, ambientes para assepsia e esterilização e centro cirúrgico. Além disso, salas de preparo, de recuperação e de espera. Cerca de R$ 1,2 milhão serão investidos.

Publicidade

Dê sua opinião

AMOR VERDADEIRO

Dono de Jacó, cão que morreu atropelado, se emociona com homenagem de clínica ao animal

A iniciativa de nomear a clínica foi do vereador Esio Feitosa (PDT). O projeto de lei ordinária foi aprovado pela Câmara Municipal e aguarda sanção do prefeito Roberto Cláudio

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

5 de setembro de 2019 às 07:00

Há 2 meses
Jacó iria representar o Brasil na maior competição de cães do mundo na Europa (FOTO: Reprodução/Instagram)

Jacó iria representar o Brasil na maior competição de cães do mundo na Europa (FOTO: Reprodução/Instagram)

A notícia de que a primeira clínica veterinária de Fortaleza receberá o nome de Jacó, o cão mais habilidoso do Brasil, mundialmente conhecido, emocionou Vladinir Maciel, o adestrador de cães que era dono do cachorro. Jacó morreu atropelado em fevereiro na praia Porto das Dunas, no município de Aquiraz, enquanto passeava com Vladinir e a família.

“Realmente ficamos bastante emocionados, tanto eu, como minha família, pela primeira clínica veterinária municipal de Fortaleza levar o nome de um ‘cara’ tão admirável, incrível, espetacular, como foi Jacó”.

Vladinir, agora, espera que a nova clínica represente “o amor verdadeiro aos animais, pois, conforme ele, Jacó sempre foi muito amado”. Ele destaca que, até hoje, mantém grande admiração pela determinação, inteligência, parceria e lealdade de Jacó.

O adestrador adiantou que está lutando para criar a Lei Jacó. Segundo ele, a regulamentação deve ser nacional, mas as mobilizações devem iniciar na cidade, tornando-a primeiramente municipal.

“A Lei Jacó se resume, basicamente, em dar respeito aos animais, mas envolve várias outras coisas. Ela vai trazer força para os animais, e nós queremos que seja crime, a nível de reclusão, para quem matar ou maltratar um animal”, explicou.

Quando foi atropelado, Jacó estava vivendo o auge da carreira. O cachorro iria representar o Brasil na maior competição de cães do mundo na Europa, na semana seguinte. A pessoa que atropelou o animal fugiu sem prestar socorro e, até hoje, não foi identificada e punida. Esse também é o motivo para a luta de Vladinir e sua família em defesa dos animais e criação da lei.

“Quando aconteceu isso com o Jacó, nós achávamos que tínhamos um respaldo, seríamos amparados por lei, mas para nós foi um choque de realidade, porque a leis em relação aos animai são muito frouxas, na verdade, não existem”, relatou.

O tutor do animal esclarece que a possível regulamentação tem o objetivo de tornar mais rigorosa tanto a procura, como a punição para quem matar ou maltratar animais. Ele também acredita que o criminoso ainda ver ser encontrado e punido.

Sobre a clínica

As obras da nova clínica veterinária serão executadas pela Secretaria Municipal da Infraestrutura (Seinf). O prédio que antes era a Farmácia Viva, no bairro Edson Queiroz, será o novo espaço de referência no cuidado ao animal. A previsão é de que a obra seja entregue no primeiro semestre de 2020. O atendimento é todo gratuito.

Na clínica popular, haverá consultório, ambulatório, enfermaria, farmácia, ambientes para assepsia e esterilização e centro cirúrgico. Além disso, salas de preparo, de recuperação e de espera. Cerca de R$ 1,2 milhão serão investidos.