Especialistas alertam para riscos de brincadeiras à saúde

CUIDADO

Especialistas alertam para riscos de brincadeiras à saúde de crianças e adolescentes

Vídeos que estão repercutindo nas redes sociais mostram uma brincaderia em que duas pessoas dão rasteira em outra. Uma adolescente morreu depois do desafio

Por Tribuna Bandnews FM em Cotidiano

13 de fevereiro de 2020 às 15:46

Há 2 semanas
A brincadeira tem sido feita por alunos de várias escolas ao redor do mundo (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

A brincadeira tem sido feita por alunos de várias escolas ao redor do mundo (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

Vídeos de uma brincadeira praticada por adolescentes viralizou nas redes sociais. As imagens mostram três jovens de pé, lado a lado. A pessoa que está no meio salta, e é surpreendida pelos que estão nas laterias com uma espécie de rasteira, fazendo com que a pessoa caia.

Foi fazendo essa brincadeira que a adolescente Emanuela Medeiros, de 16 anos, bateu a cabeça no chão da escola onde estudava, em Mossoró, no Rio Grande do Norte. Ela chegou a ser socorrida ao hospital, mas não resistiu e morreu.

Segundo o ortopedista Rodrigo Astolfi, além de traumatismo, a brincadeira pode provocar outros prejuízos para a saúde. “A sequela mais grave para quem sobrevive seria a tetraplegia. Fora isso, você pode ter fraturas na coluna que podem gerar dor crônica. Ou seja, a pessoa pode ficar o resto da vida sentindo sintomas na região lombar e no próprio pescoço”, explica.

Para a pediatra Vanuza Chagas, meninos e meninas tendem a copiar certos tipos de atitudes para se socializar, o que pode explicar o motivo das crianças de adolescentes serem tão influenciados pela internet. “A internet se torna um atrativo muito grande para crianças e adolescentes e eles tendem a copiar comportamentos de pessoas que eles admiram. Ou seja, tem um efeito de encantamento e, por isso, a gente vê eles repetindo essas brincadeiras”, analisa.

A pediatra orienta que os pais devem fiscalizar o que os filhos estão vendo na internet. Além disso, manter o diálogo é importante, porque é uma maneira de identificar se a criança ou adolescente tem conhecimento do conteúdo, e se poderia vir a tentar fazer os “desafios”.

Confira a matéria de Camila Mathias, da Tribuna BandNews FM:

 

Publicidade

Dê sua opinião

CUIDADO

Especialistas alertam para riscos de brincadeiras à saúde de crianças e adolescentes

Vídeos que estão repercutindo nas redes sociais mostram uma brincaderia em que duas pessoas dão rasteira em outra. Uma adolescente morreu depois do desafio

Por Tribuna Bandnews FM em Cotidiano

13 de fevereiro de 2020 às 15:46

Há 2 semanas
A brincadeira tem sido feita por alunos de várias escolas ao redor do mundo (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

A brincadeira tem sido feita por alunos de várias escolas ao redor do mundo (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

Vídeos de uma brincadeira praticada por adolescentes viralizou nas redes sociais. As imagens mostram três jovens de pé, lado a lado. A pessoa que está no meio salta, e é surpreendida pelos que estão nas laterias com uma espécie de rasteira, fazendo com que a pessoa caia.

Foi fazendo essa brincadeira que a adolescente Emanuela Medeiros, de 16 anos, bateu a cabeça no chão da escola onde estudava, em Mossoró, no Rio Grande do Norte. Ela chegou a ser socorrida ao hospital, mas não resistiu e morreu.

Segundo o ortopedista Rodrigo Astolfi, além de traumatismo, a brincadeira pode provocar outros prejuízos para a saúde. “A sequela mais grave para quem sobrevive seria a tetraplegia. Fora isso, você pode ter fraturas na coluna que podem gerar dor crônica. Ou seja, a pessoa pode ficar o resto da vida sentindo sintomas na região lombar e no próprio pescoço”, explica.

Para a pediatra Vanuza Chagas, meninos e meninas tendem a copiar certos tipos de atitudes para se socializar, o que pode explicar o motivo das crianças de adolescentes serem tão influenciados pela internet. “A internet se torna um atrativo muito grande para crianças e adolescentes e eles tendem a copiar comportamentos de pessoas que eles admiram. Ou seja, tem um efeito de encantamento e, por isso, a gente vê eles repetindo essas brincadeiras”, analisa.

A pediatra orienta que os pais devem fiscalizar o que os filhos estão vendo na internet. Além disso, manter o diálogo é importante, porque é uma maneira de identificar se a criança ou adolescente tem conhecimento do conteúdo, e se poderia vir a tentar fazer os “desafios”.

Confira a matéria de Camila Mathias, da Tribuna BandNews FM: