Veja as 5 construções mais antigas ainda de pé em Fortaleza - Noticias

#Fortaleza290anos

Veja as 5 construções mais antigas ainda de pé em Fortaleza

O Tribuna do Ceará visitou os cinco prédios mais antigos de Fortaleza. O resultado são muitas curiosidades sobre nosso passado

Por Juliana Teófilo em Cotidiano

12 de abril de 2016 às 06:00

Há 4 anos

A disputa pela capitania que viria a sediar o município de Fortaleza começou na primeira década do século XVII. Portugueses e holandeses guerrearam durante anos, e o território ficou de vez sob o domínio português em 1954. Naquele ano, o forte construído no território teve seu nome modificado para Nossa Senhora da Assunção e, com o aumento da população no seu entorno, levou o agrupamento à condição de vila.

Em 13 de abril de 1726, surgia portanto o município de Fortaleza. Mas foi só em 1823 que o Imperador Dom Pedro I finalmente tratou de elevar a vila que crescia rapidamente à categoria de cidade.

Não é todo fortalezense que conhece a história de sua cidade assim com riqueza de detalhes, mas a todos que transitam todos os dias pelos espaços públicos de Fortaleza é dada a oportunidade de vivenciar a história do que foi e do que é nosso município.

Completando 290 anos esta semana, nossa cidade, com suas construções, praças e monumentos, conta sua história em primeira pessoa. E caminhar pelas ruas de bairros antigos da cidade, principalmente no Centro, é uma oportunidade de fazer uma verdadeira viagem no tempo e na história de Fortaleza.

É o que aponta o educador e turismólogo Gerson Linhares. “O Centro da cidade não é o bairro mais antigo da cidade. Esse posto é da Barra do Ceará, marco zero da nossa história. Mas o Centro é o bairro que concentra mais edificações históricas dentro de Fortaleza, são mais de 250 praças, igrejas e monumentos que ajudam a contar a história do nosso povo”, aponta.

O Tribuna do Ceará, junto com Gerson, preparou uma lista ilustrada das cinco construções mais antigas da cidade, e convida o fortalezense a viajar na histórias e curiosidades da construção da cidade.

Igreja Nossa Senhora do Rosário

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

O templo foi construído em 1755, por escravos da cidade, e por muito tempo foi usado como uma igreja cemitério, conforme explica Gerson. “Na época da construção da igreja, era costume enterrar os mortos dentro das igrejas. É tanto que na própria Igreja do Rosário estão enterrados alguns negros e o político Major Facundo”, destaca. Localizada na Praça General Tibúcio, no Centro da cidade, a Igreja Nossa Senhora do Rosário foi tombada em 1983 pelo Estado.  

Forte Nossa Senhora da Assunção

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

Com a queda do Forte de Nossa Senhora da Assunção, em 1812, o governador da província do Ceará na época, Manoel Inácio de Sampaio, deu início a construção de um novo forte no local, que ficou pronto em 1825. “O projeto urbano do forte é do engenheiro Antônio José da Silva Paulet, que também dirigiu a obra que apresenta forma pentagonal”, aponta Gerson. O forte que o fortalezense e os turistas veem é o quarto forte construído em nossa cidade.

Palácio Senador Alencar (Museu do Ceará)

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

“O casarão foi construído em 1871 em homenagem ao Senador Alencar, pai do escritor José de Alencar”, aponta Gerson. Hoje o Museu do Ceará conta com um acervo de mais de 13 mil peças distribuídas em três coleções. As peças hoje disponíveis para visitação eram da coleção pessoal do médico Joaquim Antônio Alves, que compunham o Museu Provincial, que funcionou entre 1875 e 1885.

Praça dos Mártires (Passeio Público)

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

Essa é a praça mais antiga da cidade, construída em 1890 no estilo neoclássico. O Passeio Público de Fortaleza foi reformado em 1940 aos moldes do Passeio Público do Rio de Janeiro. “Foi nesse marco da cidade que os heróis da Confederação do Equador Azevedo Bolão, Feliciano Carapinima, Francisco Ibiapina, Padre Mororó e Pessoa Anta foram fuzilados”, destaca o turismólogo.

Monumento Cristo Redentor

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

Com torre de 35 metros de altura, três metros de circunferência e uma estátua de 2,70 metros, a Torre do Cristo Redentor, localizada na Praia de Iracema, foi inaugurada em 1922. “O monumento foi inaugurado para comemorar o centenário da independência do Brasil”, ressalta Gerson. O educador ressalta, ainda, que logo após a inauguração uma capela funcionava na base do monumento, mas que esta foi fechada após alguns anos. Um relógio também funcionava no topo do monumento, que também era usado como mirante. Mas o peso do objeto fazia a construção balançar e, por isso, foi retirado. O relógio foi levado para a torre da Igreja do Remédios, onde ainda se encontra.

Publicidade

Dê sua opinião

#Fortaleza290anos

Veja as 5 construções mais antigas ainda de pé em Fortaleza

O Tribuna do Ceará visitou os cinco prédios mais antigos de Fortaleza. O resultado são muitas curiosidades sobre nosso passado

Por Juliana Teófilo em Cotidiano

12 de abril de 2016 às 06:00

Há 4 anos

A disputa pela capitania que viria a sediar o município de Fortaleza começou na primeira década do século XVII. Portugueses e holandeses guerrearam durante anos, e o território ficou de vez sob o domínio português em 1954. Naquele ano, o forte construído no território teve seu nome modificado para Nossa Senhora da Assunção e, com o aumento da população no seu entorno, levou o agrupamento à condição de vila.

Em 13 de abril de 1726, surgia portanto o município de Fortaleza. Mas foi só em 1823 que o Imperador Dom Pedro I finalmente tratou de elevar a vila que crescia rapidamente à categoria de cidade.

Não é todo fortalezense que conhece a história de sua cidade assim com riqueza de detalhes, mas a todos que transitam todos os dias pelos espaços públicos de Fortaleza é dada a oportunidade de vivenciar a história do que foi e do que é nosso município.

Completando 290 anos esta semana, nossa cidade, com suas construções, praças e monumentos, conta sua história em primeira pessoa. E caminhar pelas ruas de bairros antigos da cidade, principalmente no Centro, é uma oportunidade de fazer uma verdadeira viagem no tempo e na história de Fortaleza.

É o que aponta o educador e turismólogo Gerson Linhares. “O Centro da cidade não é o bairro mais antigo da cidade. Esse posto é da Barra do Ceará, marco zero da nossa história. Mas o Centro é o bairro que concentra mais edificações históricas dentro de Fortaleza, são mais de 250 praças, igrejas e monumentos que ajudam a contar a história do nosso povo”, aponta.

O Tribuna do Ceará, junto com Gerson, preparou uma lista ilustrada das cinco construções mais antigas da cidade, e convida o fortalezense a viajar na histórias e curiosidades da construção da cidade.

Igreja Nossa Senhora do Rosário

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

O templo foi construído em 1755, por escravos da cidade, e por muito tempo foi usado como uma igreja cemitério, conforme explica Gerson. “Na época da construção da igreja, era costume enterrar os mortos dentro das igrejas. É tanto que na própria Igreja do Rosário estão enterrados alguns negros e o político Major Facundo”, destaca. Localizada na Praça General Tibúcio, no Centro da cidade, a Igreja Nossa Senhora do Rosário foi tombada em 1983 pelo Estado.  

Forte Nossa Senhora da Assunção

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

Com a queda do Forte de Nossa Senhora da Assunção, em 1812, o governador da província do Ceará na época, Manoel Inácio de Sampaio, deu início a construção de um novo forte no local, que ficou pronto em 1825. “O projeto urbano do forte é do engenheiro Antônio José da Silva Paulet, que também dirigiu a obra que apresenta forma pentagonal”, aponta Gerson. O forte que o fortalezense e os turistas veem é o quarto forte construído em nossa cidade.

Palácio Senador Alencar (Museu do Ceará)

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

“O casarão foi construído em 1871 em homenagem ao Senador Alencar, pai do escritor José de Alencar”, aponta Gerson. Hoje o Museu do Ceará conta com um acervo de mais de 13 mil peças distribuídas em três coleções. As peças hoje disponíveis para visitação eram da coleção pessoal do médico Joaquim Antônio Alves, que compunham o Museu Provincial, que funcionou entre 1875 e 1885.

Praça dos Mártires (Passeio Público)

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

Essa é a praça mais antiga da cidade, construída em 1890 no estilo neoclássico. O Passeio Público de Fortaleza foi reformado em 1940 aos moldes do Passeio Público do Rio de Janeiro. “Foi nesse marco da cidade que os heróis da Confederação do Equador Azevedo Bolão, Feliciano Carapinima, Francisco Ibiapina, Padre Mororó e Pessoa Anta foram fuzilados”, destaca o turismólogo.

Monumento Cristo Redentor

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

(FOTO:Fortaleza Nobre/ Fernanda Moura)

Com torre de 35 metros de altura, três metros de circunferência e uma estátua de 2,70 metros, a Torre do Cristo Redentor, localizada na Praia de Iracema, foi inaugurada em 1922. “O monumento foi inaugurado para comemorar o centenário da independência do Brasil”, ressalta Gerson. O educador ressalta, ainda, que logo após a inauguração uma capela funcionava na base do monumento, mas que esta foi fechada após alguns anos. Um relógio também funcionava no topo do monumento, que também era usado como mirante. Mas o peso do objeto fazia a construção balançar e, por isso, foi retirado. O relógio foi levado para a torre da Igreja do Remédios, onde ainda se encontra.