Manifestação termina com 67 pessoas detidas e cerca de 20 carros apedrejados no Ceará


Manifestação termina com 67 pessoas detidas e cerca de 20 carros apedrejados no Ceará

A categoria invadiu o pátio da siderúrgica, ateou fogo e depredou cerca de 20 carros

Por Roberta Tavares em Cotidiano

26 de junho de 2014 às 16:43

Há 5 anos
Carros são apedrejados e incendiados em manifestação (FOTO: TV Jangadeiro/ Walbert Costa)

Carros são apedrejados e incendiados em manifestação (FOTO: TV Jangadeiro/ Walbert Costa)

A manifestação dos trabalhadores da Companhia Siderúrgica do Pecém, ocorrida na manhã desta quinta-feira (26), terminou com 67 pessoas detidas, no município de São Gonçalo do Amarante, a 60 quilômetros de Fortaleza. O protesto iniciou por volta das 8h.

A categoria invadiu o pátio da siderúrgica, ateou fogo e depredou cerca de 20 carros. Um guindaste, no valor de mais de R$ 2 milhões, ficou completamente destruído após ser queimado pelos manifestantes. Policiais do Batalhão de Choque tentaram dispersar a manifestação utilizando balas de borracha. Os manifestantes detidos foram encaminhados para Delegacia da Polícia CiviL.

 Esta é a segunda manifestação ocorrida no local nesta semana. Na primeira, realizada na terça-feira (24), pneus e automóveis foram incendiados. O fogo se alastrou e acabou atingindo o caminhão do Batalhão de Choque. Dois policiais tiveram dificuldade de respirar devido à fumaça e foram socorridos pela aeronave da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer).

A categoria está em greve desde o dia 5 de junho e reivindicam o pagamento de horas extras, plano de saúde e melhores condições de trabalho.

Veja mais imagens:

Manifestação no Pecém
1/3

Manifestação no Pecém

Trabalhadores reivindicavam melhores condições de trabalho (FOTO: TV Jangadeiro/Walbert Costa)

Manifestação no Pecém
2/3

Manifestação no Pecém

Trabalhadores reivindicavam melhores condições de trabalho (FOTO: TV Jangadeiro/Walbert Costa)

Manifestação no Pecém
3/3

Manifestação no Pecém

Trabalhadores reivindicavam melhores condições de trabalho (FOTO: TV Jangadeiro/Walbert Costa)

Publicidade

Dê sua opinião

Manifestação termina com 67 pessoas detidas e cerca de 20 carros apedrejados no Ceará

A categoria invadiu o pátio da siderúrgica, ateou fogo e depredou cerca de 20 carros

Por Roberta Tavares em Cotidiano

26 de junho de 2014 às 16:43

Há 5 anos
Carros são apedrejados e incendiados em manifestação (FOTO: TV Jangadeiro/ Walbert Costa)

Carros são apedrejados e incendiados em manifestação (FOTO: TV Jangadeiro/ Walbert Costa)

A manifestação dos trabalhadores da Companhia Siderúrgica do Pecém, ocorrida na manhã desta quinta-feira (26), terminou com 67 pessoas detidas, no município de São Gonçalo do Amarante, a 60 quilômetros de Fortaleza. O protesto iniciou por volta das 8h.

A categoria invadiu o pátio da siderúrgica, ateou fogo e depredou cerca de 20 carros. Um guindaste, no valor de mais de R$ 2 milhões, ficou completamente destruído após ser queimado pelos manifestantes. Policiais do Batalhão de Choque tentaram dispersar a manifestação utilizando balas de borracha. Os manifestantes detidos foram encaminhados para Delegacia da Polícia CiviL.

 Esta é a segunda manifestação ocorrida no local nesta semana. Na primeira, realizada na terça-feira (24), pneus e automóveis foram incendiados. O fogo se alastrou e acabou atingindo o caminhão do Batalhão de Choque. Dois policiais tiveram dificuldade de respirar devido à fumaça e foram socorridos pela aeronave da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer).

A categoria está em greve desde o dia 5 de junho e reivindicam o pagamento de horas extras, plano de saúde e melhores condições de trabalho.

Veja mais imagens:

Manifestação no Pecém
1/3

Manifestação no Pecém

Trabalhadores reivindicavam melhores condições de trabalho (FOTO: TV Jangadeiro/Walbert Costa)

Manifestação no Pecém
2/3

Manifestação no Pecém

Trabalhadores reivindicavam melhores condições de trabalho (FOTO: TV Jangadeiro/Walbert Costa)

Manifestação no Pecém
3/3

Manifestação no Pecém

Trabalhadores reivindicavam melhores condições de trabalho (FOTO: TV Jangadeiro/Walbert Costa)