Missa de sétimo dia homenageia a menina Laurinha nesta sexta-feira

ANJINHO

Missa de sétimo dia homenageia a menina Laurinha nesta sexta-feira

“Vamos celebrar cheios de esperança o despertar eterno de Laurinha na casa do Papai do Céu”, convida a família

Por Roberta Tavares em Cotidiano

14 de dezembro de 2016 às 08:49

Há 3 anos
Laurinha tinha 2 anos e 10 meses (FOTO: Reprodução/Facebook)

Laurinha tinha 2 anos e 10 meses (FOTO: Reprodução/Facebook)

A missa de sétimo dia da menina Laurinha, que mobilizou milhares de pessoas em orações, será realizada nesta sexta-feira (16), às 19h, na Paróquia Cristo Rei, em Fortaleza.

“Pra quê quero pés, se tenho asas para voar?”, diz o convite da missa, aberta ao público. “Vamos celebrar cheios de esperança o despertar eterno de nossa Laurinha na casa do Papai do Céu”, convidam os familiares. A Paróquia Cristo Rei fica localizada na Rua Nogueira Acioli, 805, Aldeota.

Laurinha faleceu na tarde do último sábado (10), após grave pneumonia. A menina estava internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde o último 14 de novembro.

Ela tinha 2 anos e 10 meses e respirava com a ajuda de aparelhos desde que nasceu. Mesmo sem dizer uma palavra, Laurinha conquistou milhares de seguidores em todo o mundo, em uma campanha de orações, no grupo do Facebook “Acorda, Laurinha”. 

“Foram as orações de vocês que nos deram força e esperança. Essas mesmas orações vão nos dar conforto e a certeza de que Deus escolheu o melhor, talvez não para a gente que ficou, mas para Laurinha, que agora está jundo de sua mãezinha, que deve estar muito feliz em ter seu bebezinho nos braços”, diz uma das publicações no grupo.

Laurinha, uma guerreira

No dia 6 de fevereiro de 2014, Paula Praciano e Laurinha chegaram bem e saudáveis à Maternidade Gastroclínica. Em meio ao parto, a mãe sofreu um choque anafilático, devido a uma reação negativa a um medicamento que lhe foi dado, causando uma parada cardiorrespiratória. Em razão disso, Laurinha não recebeu oxigênio da mãe e teve um edema cerebral.

A família entrou com um processo na Justiça. O inquérito investiga os possíveis responsáveis pela morte de Paula e a quase morte da criança.

Desde os seus primeiros dias de vida, uma verdadeira mobilização foi feita na Internet pela recuperação da criança, com correntes de oração e mensagens positivas. O grupo “Acorda, Laurinha” tem mais de 120 mil pessoas no Facebook.

(IMAGEM: Arquivo pessoal/Romeu Praciano)

(IMAGEM: Arquivo pessoal/Romeu Praciano)

Publicidade

Dê sua opinião

ANJINHO

Missa de sétimo dia homenageia a menina Laurinha nesta sexta-feira

“Vamos celebrar cheios de esperança o despertar eterno de Laurinha na casa do Papai do Céu”, convida a família

Por Roberta Tavares em Cotidiano

14 de dezembro de 2016 às 08:49

Há 3 anos
Laurinha tinha 2 anos e 10 meses (FOTO: Reprodução/Facebook)

Laurinha tinha 2 anos e 10 meses (FOTO: Reprodução/Facebook)

A missa de sétimo dia da menina Laurinha, que mobilizou milhares de pessoas em orações, será realizada nesta sexta-feira (16), às 19h, na Paróquia Cristo Rei, em Fortaleza.

“Pra quê quero pés, se tenho asas para voar?”, diz o convite da missa, aberta ao público. “Vamos celebrar cheios de esperança o despertar eterno de nossa Laurinha na casa do Papai do Céu”, convidam os familiares. A Paróquia Cristo Rei fica localizada na Rua Nogueira Acioli, 805, Aldeota.

Laurinha faleceu na tarde do último sábado (10), após grave pneumonia. A menina estava internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde o último 14 de novembro.

Ela tinha 2 anos e 10 meses e respirava com a ajuda de aparelhos desde que nasceu. Mesmo sem dizer uma palavra, Laurinha conquistou milhares de seguidores em todo o mundo, em uma campanha de orações, no grupo do Facebook “Acorda, Laurinha”. 

“Foram as orações de vocês que nos deram força e esperança. Essas mesmas orações vão nos dar conforto e a certeza de que Deus escolheu o melhor, talvez não para a gente que ficou, mas para Laurinha, que agora está jundo de sua mãezinha, que deve estar muito feliz em ter seu bebezinho nos braços”, diz uma das publicações no grupo.

Laurinha, uma guerreira

No dia 6 de fevereiro de 2014, Paula Praciano e Laurinha chegaram bem e saudáveis à Maternidade Gastroclínica. Em meio ao parto, a mãe sofreu um choque anafilático, devido a uma reação negativa a um medicamento que lhe foi dado, causando uma parada cardiorrespiratória. Em razão disso, Laurinha não recebeu oxigênio da mãe e teve um edema cerebral.

A família entrou com um processo na Justiça. O inquérito investiga os possíveis responsáveis pela morte de Paula e a quase morte da criança.

Desde os seus primeiros dias de vida, uma verdadeira mobilização foi feita na Internet pela recuperação da criança, com correntes de oração e mensagens positivas. O grupo “Acorda, Laurinha” tem mais de 120 mil pessoas no Facebook.

(IMAGEM: Arquivo pessoal/Romeu Praciano)

(IMAGEM: Arquivo pessoal/Romeu Praciano)