Pneu de ônibus que transportava universitários se solta durante trajeto e estudantes reclamam do serviço

PREOCUPAÇÃO

Pneu de ônibus que transportava universitários se solta durante trajeto e estudantes reclamam do serviço

Veículos deteriorados e falta de manutenção estão entre os problemas relatados por estudantes que moram em Aquiraz, estudam em Fortaleza e utilizam “ônibus universitário”

Por William Barros em Cotidiano

26 de novembro de 2019 às 12:49

Há 8 meses

Segundo estudantes, os problemas técnicos ocorrem com frequência (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Universitários que estudam em Fortaleza e moram em Aquiraz, na Região Metropolitana, enfrentaram apuros ao retornar para casa na noite última segunda-feira (25). O pneu traseiro de um dos chamados “ônibus universitários” se soltou e fez com que o veículo inclinasse em meio à BR-116. Ninguém ficou ferido, mas a situação aumentou uma preocupação antiga: o estado físico dos automóveis oferecidos pela Prefeitura Municipal de Aquiraz.

O Tribuna do Ceará conversou com dois estudantes que utilizam o serviço gratuito de transporte de universitários. Veículos deteriorados e falta de manutenção estão entre os problemas relatados por eles. Um dos alunos, que não será identificado, relembra o susto enfrentado na última ocorrência, por volta das 22h45. Segundo ele,“por pouco, não teve uma grande tragédia” envolvendo o veículo que faz a rota UFC-Unifanor.

“A gente ouviu um barulho estranho. Alguns alunos pensaram que o pneu tinha estourado. Tivemos o susto, com o ônibus inclinando e quase virando. Antes do ônibus parar, o motorista colocou (o veículo) no acostamento”, recorda o jovem, aliviado. Ainda segundo ele, os estudantes desceram do veículo e se abrigaram em um posto de gasolina, até que um outro ônibus chegou para continuar o trajeto, por volta das 23h30.

Outra estudante ouvida pela reportagem revela que a ocorrência aumentou o medo que ela já sentia ao fazer o percurso. “Eu fiquei paralisada. Na hora, não consegui pensar em nada. A única coisa que passou na minha cabeça foi: ‘esse ônibus vai capotar’. Depois do que aconteceu ontem, o medo de acontecer um tragedia só aumenta“, avalia a universitária.

Problema recorrente

Universitário conta que motorista chamou ônibus de “relíquia” horas antes de acidente (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

O primeiro estudante conta que, horas antes do acidente, chegou a conversar com o motorista sobre o estado físico do veículo. “Na quinta passada, tinha sido um ônibus melhor. Perguntei por ele e o motorista falou que tiraram aquele outro e que o ônibus que a gente estava agora era uma relíquia“, revela o universitário, acrescentando que o próprio motorista tem aconselhado os passageiros a procurarem ajuda para resolver o caso.

A outra aluna revela também que problemas técnicos nos veículos são frequentes. “Já ficamos várias vezes parados na BR-116 por causa de ‘prego’. Já teve pneu furado, motor falhando. Nesses casos, corremos o risco de ser assaltados na BR à noite”, elenca a estudante.

Na quadra chuvosa, as dificuldades se agravam. Segundo os universitários, os ocupantes do veículo já tiveram que “se virar” para encontrar soluções. “Durante as chuvas, o para-brisa do ônibus não funcionava. O motorista pediu para um aluno ficar passando um pano no vidro, para desembaçar“, recorda o universitário.

Ele também relembra um acidente ocorrido em fevereiro de 2018, quando uma jovem morreu após um ônibus universitário bater em uma caçamba na rodovia CE-040. Na ocasião, a baixa visibilidade teria prejudicado o condutor do transporte dos universitários, que bateu na traseira do caminhão. Cerca de 35 pessoas estavam no veículo, que saiu de Aquiraz em direção a Fortaleza. “Aquiraz já tem na ficha histórica esse acidente horrível. Parece que eles (autoridades) não ligam”, reflete o estudante.

Medidas a tomar

Para o universitário, situações assim poderiam ser evitadas. “Tem que fazer uma fiscalização mais rigorosa dos ônibus, porque parece que eles pedem para a empresa que fornece os ônibus mandar o ônibus que eles tiverem disponível. Às vezes, são ônibus que nem deveria estar rodando“, observa o estudante.

A outra aluna ouvida pela reportagem acredita que, além da inspeção nos veículos, é preciso repensar a contratação da empresa que fornece os ônibus. “Já tivemos muitos problemas com essa empresa. A gente fica se perguntando agora se o ônibus vai quebrar hoje e que horas vamos chegar em casa“, questiona a jovem, preocupada.

Segundo os estudantes, os usuários deste tipo de transporte já estão se organizando para solicitar uma audiência com a Prefeitura Municipal de Aquiraz para tratar do assunto. Enquanto a situação não é resolvida, o que deveria ser uma facilidade se torna cada vez mais motivo de preocupação na vida dos jovens universitários.

Procurada pelo Tribuna do Ceará, a Prefeitura Municipal de Aquiraz ainda não respondeu sobre o assunto.

Publicidade

Dê sua opinião

PREOCUPAÇÃO

Pneu de ônibus que transportava universitários se solta durante trajeto e estudantes reclamam do serviço

Veículos deteriorados e falta de manutenção estão entre os problemas relatados por estudantes que moram em Aquiraz, estudam em Fortaleza e utilizam “ônibus universitário”

Por William Barros em Cotidiano

26 de novembro de 2019 às 12:49

Há 8 meses

Segundo estudantes, os problemas técnicos ocorrem com frequência (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Universitários que estudam em Fortaleza e moram em Aquiraz, na Região Metropolitana, enfrentaram apuros ao retornar para casa na noite última segunda-feira (25). O pneu traseiro de um dos chamados “ônibus universitários” se soltou e fez com que o veículo inclinasse em meio à BR-116. Ninguém ficou ferido, mas a situação aumentou uma preocupação antiga: o estado físico dos automóveis oferecidos pela Prefeitura Municipal de Aquiraz.

O Tribuna do Ceará conversou com dois estudantes que utilizam o serviço gratuito de transporte de universitários. Veículos deteriorados e falta de manutenção estão entre os problemas relatados por eles. Um dos alunos, que não será identificado, relembra o susto enfrentado na última ocorrência, por volta das 22h45. Segundo ele,“por pouco, não teve uma grande tragédia” envolvendo o veículo que faz a rota UFC-Unifanor.

“A gente ouviu um barulho estranho. Alguns alunos pensaram que o pneu tinha estourado. Tivemos o susto, com o ônibus inclinando e quase virando. Antes do ônibus parar, o motorista colocou (o veículo) no acostamento”, recorda o jovem, aliviado. Ainda segundo ele, os estudantes desceram do veículo e se abrigaram em um posto de gasolina, até que um outro ônibus chegou para continuar o trajeto, por volta das 23h30.

Outra estudante ouvida pela reportagem revela que a ocorrência aumentou o medo que ela já sentia ao fazer o percurso. “Eu fiquei paralisada. Na hora, não consegui pensar em nada. A única coisa que passou na minha cabeça foi: ‘esse ônibus vai capotar’. Depois do que aconteceu ontem, o medo de acontecer um tragedia só aumenta“, avalia a universitária.

Problema recorrente

Universitário conta que motorista chamou ônibus de “relíquia” horas antes de acidente (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

O primeiro estudante conta que, horas antes do acidente, chegou a conversar com o motorista sobre o estado físico do veículo. “Na quinta passada, tinha sido um ônibus melhor. Perguntei por ele e o motorista falou que tiraram aquele outro e que o ônibus que a gente estava agora era uma relíquia“, revela o universitário, acrescentando que o próprio motorista tem aconselhado os passageiros a procurarem ajuda para resolver o caso.

A outra aluna revela também que problemas técnicos nos veículos são frequentes. “Já ficamos várias vezes parados na BR-116 por causa de ‘prego’. Já teve pneu furado, motor falhando. Nesses casos, corremos o risco de ser assaltados na BR à noite”, elenca a estudante.

Na quadra chuvosa, as dificuldades se agravam. Segundo os universitários, os ocupantes do veículo já tiveram que “se virar” para encontrar soluções. “Durante as chuvas, o para-brisa do ônibus não funcionava. O motorista pediu para um aluno ficar passando um pano no vidro, para desembaçar“, recorda o universitário.

Ele também relembra um acidente ocorrido em fevereiro de 2018, quando uma jovem morreu após um ônibus universitário bater em uma caçamba na rodovia CE-040. Na ocasião, a baixa visibilidade teria prejudicado o condutor do transporte dos universitários, que bateu na traseira do caminhão. Cerca de 35 pessoas estavam no veículo, que saiu de Aquiraz em direção a Fortaleza. “Aquiraz já tem na ficha histórica esse acidente horrível. Parece que eles (autoridades) não ligam”, reflete o estudante.

Medidas a tomar

Para o universitário, situações assim poderiam ser evitadas. “Tem que fazer uma fiscalização mais rigorosa dos ônibus, porque parece que eles pedem para a empresa que fornece os ônibus mandar o ônibus que eles tiverem disponível. Às vezes, são ônibus que nem deveria estar rodando“, observa o estudante.

A outra aluna ouvida pela reportagem acredita que, além da inspeção nos veículos, é preciso repensar a contratação da empresa que fornece os ônibus. “Já tivemos muitos problemas com essa empresa. A gente fica se perguntando agora se o ônibus vai quebrar hoje e que horas vamos chegar em casa“, questiona a jovem, preocupada.

Segundo os estudantes, os usuários deste tipo de transporte já estão se organizando para solicitar uma audiência com a Prefeitura Municipal de Aquiraz para tratar do assunto. Enquanto a situação não é resolvida, o que deveria ser uma facilidade se torna cada vez mais motivo de preocupação na vida dos jovens universitários.

Procurada pelo Tribuna do Ceará, a Prefeitura Municipal de Aquiraz ainda não respondeu sobre o assunto.