Prefeitura recorre à Justiça contra demolição de imóveis às margens da Lagoa da Sapiranga

DETERMINAÇÃO JUDICIAL

Prefeitura recorre à Justiça contra demolição de imóveis às margens da Lagoa da Sapiranga

Entre os imóveis da região estão o restaurante “Zé do Mangue”, que já atua no local há mais de 40 anos

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

11 de julho de 2019 às 09:00

Há 2 meses
Ainda não se sabe quantos imóveis devem ser retirados (FOTO: Reprodução Google Maps)

Ainda não se sabe quantos imóveis devem ser retirados (FOTO: Reprodução Google Maps)

A Prefeitura de Fortaleza recorreu da determinação judicial para demolição dos comércios, casas e outras construções às margens da Lagoa da Sapiranga. De acordo com o promotor de Justiça do Ministério Público do Estado, Raimundo Batista de Oliveira, a justificativa para a remoção dos imóveis é que a região é uma Área de Preservação Permanente.

Entre os imóveis da região estão o restaurante “Zé do Mangue”, que já atua no local há mais de 40 anos. Entretanto, o promotor de Justiça não soube informar quantos imóveis devem ser retirados. Segundo ele, cabe ao município fazer esse levantamento.

O proprietário do estabelecimento, José Osmar, diz que foi pego de surpresa com o pedido de demolição e que o espaço foi a vida toda a fonte de renda da família.

A decisão judicial estipula que a retirada dos imóveis seja feita até junho do ano que vem. Os moradores devem ser realocados para outro espaço que ofereça uma moradia digna, e o proprietário do Restaurante Zé do Mangue deve ser indenizado. Cabe ao poder municipal garantir a limpeza da área e evitar novas invasões, sob pena de multa de R$ 10 mil.

Em nota, a Prefeitura esclarece que aguarda a decisão judicial do Tribunal de Justiça do Estado após recorrer sobre a determinação da demolição e desapropriação do restaurante Zé do Mangue.

Confira as entrevistas feitas a Daniel Rocha, da Tribuna BandNews FM:

Publicidade

Dê sua opinião

DETERMINAÇÃO JUDICIAL

Prefeitura recorre à Justiça contra demolição de imóveis às margens da Lagoa da Sapiranga

Entre os imóveis da região estão o restaurante “Zé do Mangue”, que já atua no local há mais de 40 anos

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

11 de julho de 2019 às 09:00

Há 2 meses
Ainda não se sabe quantos imóveis devem ser retirados (FOTO: Reprodução Google Maps)

Ainda não se sabe quantos imóveis devem ser retirados (FOTO: Reprodução Google Maps)

A Prefeitura de Fortaleza recorreu da determinação judicial para demolição dos comércios, casas e outras construções às margens da Lagoa da Sapiranga. De acordo com o promotor de Justiça do Ministério Público do Estado, Raimundo Batista de Oliveira, a justificativa para a remoção dos imóveis é que a região é uma Área de Preservação Permanente.

Entre os imóveis da região estão o restaurante “Zé do Mangue”, que já atua no local há mais de 40 anos. Entretanto, o promotor de Justiça não soube informar quantos imóveis devem ser retirados. Segundo ele, cabe ao município fazer esse levantamento.

O proprietário do estabelecimento, José Osmar, diz que foi pego de surpresa com o pedido de demolição e que o espaço foi a vida toda a fonte de renda da família.

A decisão judicial estipula que a retirada dos imóveis seja feita até junho do ano que vem. Os moradores devem ser realocados para outro espaço que ofereça uma moradia digna, e o proprietário do Restaurante Zé do Mangue deve ser indenizado. Cabe ao poder municipal garantir a limpeza da área e evitar novas invasões, sob pena de multa de R$ 10 mil.

Em nota, a Prefeitura esclarece que aguarda a decisão judicial do Tribunal de Justiça do Estado após recorrer sobre a determinação da demolição e desapropriação do restaurante Zé do Mangue.

Confira as entrevistas feitas a Daniel Rocha, da Tribuna BandNews FM: