App que oferece atendimento a mulheres que sofreram abuso sexual receberá mentoria de especialistas

ATUAÇÃO SOCIAL

App que oferece atendimento a mulheres que sofreram abuso sexual receberá mentoria de especialistas

A ideia de alunos dos cursos de Teatro, Turismo e Telemática do Instituto Federal do Ceará (IFCE) foi vencedora de concurso Hackathon

Por Tribuna do Ceará em Educação

5 de julho de 2019 às 07:00

Há 4 meses
Hanna Braz, Aparecida Araújo e Wlisses Carvalho agora receberão mentoria da Incubadora do IFCE (FOTO: Divulgação)

Hanna Braz, Aparecida Araújo e Wlisses Carvalho agora receberão mentoria da Incubadora do IFCE (FOTO: Divulgação)

Os estudantes Aparecida Araújo, Hanna Braz e Wlisses Carvalho, dos cursos de Teatro, Turismo e Telemática do Instituto Federal do Ceará (IFCE) respectivamente, lançaram a ideia de um aplicativo que pudesse cuidar da saúde mental das mulheres que sofreram abuso sexual. A ideia do aplicativo, batizado de Casa Delas, foi vencedora da maratona de ideias empreendedoras do II IFCE Business Week, evento realizado no Instituto.

Aparecida Araújo contou que a ideia do aplicativo surgiu durante a maratona de ideias, também chamado Hackathon. Com a orientação dos mentores do evento, os três alunos puderam desenvolver melhor o projeto e competir na maratona. Mesmo sem nome, ainda, o objetivo de oferecer atendimento inicial às mulheres que sofreram abuso sexual já estava definido, afirmou Aparecida.

“Três alunos de cursos diferentes, antenados com a cidade, unindo esforços e aptidões para impulsionar uma cidade mais inteligente e modificar a realidade local”, destacou Wlisses Carvalho, a respeito da ideia do projeto.

Sobre como o aplicativo irá funcionar, Hanna Braz explicou que o atendimento na plataforma digital aconteceria em quatro etapas. A primeira seria um cadastro simples, podendo, também, ser feito de forma anônima pela vítima. A segunda, um direcionamento para uma espécie de um grupo de conversas com outras mulheres que sofreram o mesmo tipo de abuso. A terceira etapa consistiria em uma conversa individual com estudantes do último semestre do curso de Psicologia.

E a partir desse processo, as vítimas seriam direcionadas para um atendimento especializado com profissionais, como psicólogos e assistentes sociais, na quarta etapa.

De acordo com Wlisses, os alunos de Psicologia seriam de faculdades conveniadas ao projeto após acordo formal. “Esse convênio poderá trazer benefícios aos alunos e às faculdades, incluindo experiência formal ao currículo dos graduandos”, complementou.

O projeto, agora, receberá mentoria da Incubadora de Empresa do campus de Fortaleza do IFCE. Segundo Ernani Leite, coordenador da Incubadora, a equipe poderá, com a orientação dos mentores, estruturar melhor a ideia por etapas, como análise de mercado, estudo da tecnologia mais adequada para desenvolver o aplicativo e a criação do modelo de negócio.

A ideia da aplicativo surgiu durante a maratona de ideias empreendedora no IFCE (FOTO: Divulgação)

A ideia da aplicativo surgiu durante a maratona de ideias empreendedora no IFCE (FOTO: Divulgação)

“Além da infraestrutura física de suporte, como local de trabalho, computadores, internet, telefone e secretária, os estudantes também receberão acompanhamento de profissionais que possam estar dando soluções para desenvolver a ideia” assegurou Ernani.

Sobre o tempo de duração da mentoria, o coordenador explicou que dependerá da resposta que a equipe dará, podendo variar, de seis meses a um ano. Depois de desenvolvimento de um protótipo do aplicativo, a equipe fará a validação do negócio, fazendo testes de aceitação no mercado.

O IFCE Business Week teve sua segunda edição com o tema “Cidades inteligentes: o Empreendedorismo modificando as realidades locais”. A maratona de ideias empreendedoras realizada pelo Instituto Federal é baseada no Hackathon, evento que reúne profissionais ligados ao desenvolvimento de softwares com o objetivo de criar soluções para um ou vários problemas.

Publicidade

Dê sua opinião

ATUAÇÃO SOCIAL

App que oferece atendimento a mulheres que sofreram abuso sexual receberá mentoria de especialistas

A ideia de alunos dos cursos de Teatro, Turismo e Telemática do Instituto Federal do Ceará (IFCE) foi vencedora de concurso Hackathon

Por Tribuna do Ceará em Educação

5 de julho de 2019 às 07:00

Há 4 meses
Hanna Braz, Aparecida Araújo e Wlisses Carvalho agora receberão mentoria da Incubadora do IFCE (FOTO: Divulgação)

Hanna Braz, Aparecida Araújo e Wlisses Carvalho agora receberão mentoria da Incubadora do IFCE (FOTO: Divulgação)

Os estudantes Aparecida Araújo, Hanna Braz e Wlisses Carvalho, dos cursos de Teatro, Turismo e Telemática do Instituto Federal do Ceará (IFCE) respectivamente, lançaram a ideia de um aplicativo que pudesse cuidar da saúde mental das mulheres que sofreram abuso sexual. A ideia do aplicativo, batizado de Casa Delas, foi vencedora da maratona de ideias empreendedoras do II IFCE Business Week, evento realizado no Instituto.

Aparecida Araújo contou que a ideia do aplicativo surgiu durante a maratona de ideias, também chamado Hackathon. Com a orientação dos mentores do evento, os três alunos puderam desenvolver melhor o projeto e competir na maratona. Mesmo sem nome, ainda, o objetivo de oferecer atendimento inicial às mulheres que sofreram abuso sexual já estava definido, afirmou Aparecida.

“Três alunos de cursos diferentes, antenados com a cidade, unindo esforços e aptidões para impulsionar uma cidade mais inteligente e modificar a realidade local”, destacou Wlisses Carvalho, a respeito da ideia do projeto.

Sobre como o aplicativo irá funcionar, Hanna Braz explicou que o atendimento na plataforma digital aconteceria em quatro etapas. A primeira seria um cadastro simples, podendo, também, ser feito de forma anônima pela vítima. A segunda, um direcionamento para uma espécie de um grupo de conversas com outras mulheres que sofreram o mesmo tipo de abuso. A terceira etapa consistiria em uma conversa individual com estudantes do último semestre do curso de Psicologia.

E a partir desse processo, as vítimas seriam direcionadas para um atendimento especializado com profissionais, como psicólogos e assistentes sociais, na quarta etapa.

De acordo com Wlisses, os alunos de Psicologia seriam de faculdades conveniadas ao projeto após acordo formal. “Esse convênio poderá trazer benefícios aos alunos e às faculdades, incluindo experiência formal ao currículo dos graduandos”, complementou.

O projeto, agora, receberá mentoria da Incubadora de Empresa do campus de Fortaleza do IFCE. Segundo Ernani Leite, coordenador da Incubadora, a equipe poderá, com a orientação dos mentores, estruturar melhor a ideia por etapas, como análise de mercado, estudo da tecnologia mais adequada para desenvolver o aplicativo e a criação do modelo de negócio.

A ideia da aplicativo surgiu durante a maratona de ideias empreendedora no IFCE (FOTO: Divulgação)

A ideia da aplicativo surgiu durante a maratona de ideias empreendedora no IFCE (FOTO: Divulgação)

“Além da infraestrutura física de suporte, como local de trabalho, computadores, internet, telefone e secretária, os estudantes também receberão acompanhamento de profissionais que possam estar dando soluções para desenvolver a ideia” assegurou Ernani.

Sobre o tempo de duração da mentoria, o coordenador explicou que dependerá da resposta que a equipe dará, podendo variar, de seis meses a um ano. Depois de desenvolvimento de um protótipo do aplicativo, a equipe fará a validação do negócio, fazendo testes de aceitação no mercado.

O IFCE Business Week teve sua segunda edição com o tema “Cidades inteligentes: o Empreendedorismo modificando as realidades locais”. A maratona de ideias empreendedoras realizada pelo Instituto Federal é baseada no Hackathon, evento que reúne profissionais ligados ao desenvolvimento de softwares com o objetivo de criar soluções para um ou vários problemas.