Blogueira feminista é indicada a prêmio internacional do Repórteres Sem Fronteiras

RECONHECIMENTO

Blogueira feminista é indicada a prêmio internacional do Repórteres Sem Fronteiras

Lola Aronovich, professora da UFC, é uma das quatro mulheres indicadas ao prêmio. A cerimônia de entrega ocorrerá na Alemanha, no dia 12 de setembro

Por Tribuna do Ceará em Educação

7 de setembro de 2019 às 07:00

Há 2 semanas
Para Lola, a o caso todo é um "verdadeiro show de horrores" (FOTO: Divulgação)

Lola foi indicada ao prêmio Coragem, do Repórteres Sem Fronteiras. (FOTO: Divulgação)

Lola Aronovich foi indicada ao Prêmio Coragem, da ONG Repórteres Sem Fronteiras (RSF). A blogueira especialista em feminismo e professora da Universidade Federal do Ceará (UFC) é a única representante do Brasil na lista de doze nomes concorrentes, onde quatro são mulheres.

A cerimônia de entrega da premiação internacional será realizada no próximo dia 12 de setembro, em Berlim, na Alemanha. Esta será a 27ª edição do evento.

Lola é conhecida pelos textos sobre feminismo e pela dedicação na luta pelos direitos das mulheres.  Também é autora do livro “Escreva Lola Escreva”. A obra aborda temas como misoginia, machismo e racismo. Por isso, ela é alvo constante de ataques e ameaças de morte via web.

A professora e blogueira tem uma lei batizada com o nome dela, a Lei Lola, que homenageia o trabalho que ela realiza contra a violência online. É por essa lei que a Polícia Federal pode assumir investigações que envolvam crimes cibernéticos de cunho misógino.

 

“Vários dos indicados são ameaçados ou foram presos repetidamente devido ao seu trabalho, contudo, não se deixam abalar e elevam suas vozes contra os abusos de poder, a corrupção e outros crimes. A terrível situação desses jornalistas, em vez de nos deixar pessimistas, no inspira o otimismo da determinação. A coragem colocada a serviço dos ideais do jornalismo é um incrível fator de encorajamento para todos aqueles que pretendem enfrentar os maiores desafios da humanidade”, disse Christophe Deloire, secretário geral do Repórteres sem Fronteiras, ao portal da entidade.

As categorias do prêmio são: Coragem, Impacto e Independência do Jornalismo. A premiação foi criada em 1992 e ressalta o trabalho e coragem de jornalistas que o trabalho tem impacto na sociedade.

Lola Aronovich se manifestou por meio da rede social sobre a indicação:

Publicidade

Dê sua opinião

RECONHECIMENTO

Blogueira feminista é indicada a prêmio internacional do Repórteres Sem Fronteiras

Lola Aronovich, professora da UFC, é uma das quatro mulheres indicadas ao prêmio. A cerimônia de entrega ocorrerá na Alemanha, no dia 12 de setembro

Por Tribuna do Ceará em Educação

7 de setembro de 2019 às 07:00

Há 2 semanas
Para Lola, a o caso todo é um "verdadeiro show de horrores" (FOTO: Divulgação)

Lola foi indicada ao prêmio Coragem, do Repórteres Sem Fronteiras. (FOTO: Divulgação)

Lola Aronovich foi indicada ao Prêmio Coragem, da ONG Repórteres Sem Fronteiras (RSF). A blogueira especialista em feminismo e professora da Universidade Federal do Ceará (UFC) é a única representante do Brasil na lista de doze nomes concorrentes, onde quatro são mulheres.

A cerimônia de entrega da premiação internacional será realizada no próximo dia 12 de setembro, em Berlim, na Alemanha. Esta será a 27ª edição do evento.

Lola é conhecida pelos textos sobre feminismo e pela dedicação na luta pelos direitos das mulheres.  Também é autora do livro “Escreva Lola Escreva”. A obra aborda temas como misoginia, machismo e racismo. Por isso, ela é alvo constante de ataques e ameaças de morte via web.

A professora e blogueira tem uma lei batizada com o nome dela, a Lei Lola, que homenageia o trabalho que ela realiza contra a violência online. É por essa lei que a Polícia Federal pode assumir investigações que envolvam crimes cibernéticos de cunho misógino.

 

“Vários dos indicados são ameaçados ou foram presos repetidamente devido ao seu trabalho, contudo, não se deixam abalar e elevam suas vozes contra os abusos de poder, a corrupção e outros crimes. A terrível situação desses jornalistas, em vez de nos deixar pessimistas, no inspira o otimismo da determinação. A coragem colocada a serviço dos ideais do jornalismo é um incrível fator de encorajamento para todos aqueles que pretendem enfrentar os maiores desafios da humanidade”, disse Christophe Deloire, secretário geral do Repórteres sem Fronteiras, ao portal da entidade.

As categorias do prêmio são: Coragem, Impacto e Independência do Jornalismo. A premiação foi criada em 1992 e ressalta o trabalho e coragem de jornalistas que o trabalho tem impacto na sociedade.

Lola Aronovich se manifestou por meio da rede social sobre a indicação: