Grupo formaliza ação contra resultado do Enem no MPF do Ceará

APÓS ERROS NA CORREÇÃO

Grupo formaliza ação contra resultado do Enem no MPF do Ceará

Ao todo, 25 estudantes formalizaram a denúncia e o grupo ainda pretende instaurar um inquérito civil para investigar a contratação da empresa responsável

Por Tribuna Bandnews FM em Educação

23 de janeiro de 2020 às 13:22

Há 3 meses
O segundo dia de prova acontece domingo (FOTO: Divulgação)

Recentemente, o Ministério da Educação assumiu as inconsistências na correção de avaliações do Enem (FOTO: Divulgação)

O Ministério Público Federal (MPF) no Ceará já conta com representações contra o resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. As denúncias são de candidatos que alegam inconsistências na correção das provas de Redação e de Linguagens e Códigos. A advogada do grupo, Larciana Lacerda, conversou com a rádio Tribuna Band News FM na manhã desta quinta-feira (23) e deu mais detalhes sobre a ação.

De acordo com ela, a ação partiu de um grupo de Whatsapp com mais de 40 membros. Destes, 25 formalizaram a denúncia ao MPF-CE na última terça-feira (21). Segundo ela, as denúncias estão aumentando. “Outros candidatos fizeram subscrições nas últimas 24 horas, estão aderindo a essa mesma denúncia”, afirmou.

Os denunciantes também pretendem instaurar um inquérito civil. “Nós estamos pedindo a investigação de todo o processo. Desde a contratação da empresa (responsável pela correção do exame), porque existem notícias de houve uma contratação sem licitação”, apontou a advogada.

Segundo ela, candidatos de outros estados também têm manifestado interesse em se juntar ao grupo denunciante. “Depois da divulgação nas redes sociais, algumas pessoas me procuraram e perguntaram se poderiam subscrever à denúncia. Não tem problema algum, qualquer pessoa pode fazer isso”, avisa.

Larciana revela que não está cobrando honorários pela ação. “Eu abracei essa causa como uma causa social. A todos, eu digo que não existe cobrança de honorários advocatícios para uma ação que busca proteger um direito que é fundamental para alcançar a justiça social, já que o Enem é a principal ferramenta de acesso ao ensino superior público no país. Então, temos que primar pela qualidade e seriedade”, conclui a advogada.

Ouça a entrevista completa no áudio da rádio Tribuna Band News FM:

Publicidade

Dê sua opinião

APÓS ERROS NA CORREÇÃO

Grupo formaliza ação contra resultado do Enem no MPF do Ceará

Ao todo, 25 estudantes formalizaram a denúncia e o grupo ainda pretende instaurar um inquérito civil para investigar a contratação da empresa responsável

Por Tribuna Bandnews FM em Educação

23 de janeiro de 2020 às 13:22

Há 3 meses
O segundo dia de prova acontece domingo (FOTO: Divulgação)

Recentemente, o Ministério da Educação assumiu as inconsistências na correção de avaliações do Enem (FOTO: Divulgação)

O Ministério Público Federal (MPF) no Ceará já conta com representações contra o resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. As denúncias são de candidatos que alegam inconsistências na correção das provas de Redação e de Linguagens e Códigos. A advogada do grupo, Larciana Lacerda, conversou com a rádio Tribuna Band News FM na manhã desta quinta-feira (23) e deu mais detalhes sobre a ação.

De acordo com ela, a ação partiu de um grupo de Whatsapp com mais de 40 membros. Destes, 25 formalizaram a denúncia ao MPF-CE na última terça-feira (21). Segundo ela, as denúncias estão aumentando. “Outros candidatos fizeram subscrições nas últimas 24 horas, estão aderindo a essa mesma denúncia”, afirmou.

Os denunciantes também pretendem instaurar um inquérito civil. “Nós estamos pedindo a investigação de todo o processo. Desde a contratação da empresa (responsável pela correção do exame), porque existem notícias de houve uma contratação sem licitação”, apontou a advogada.

Segundo ela, candidatos de outros estados também têm manifestado interesse em se juntar ao grupo denunciante. “Depois da divulgação nas redes sociais, algumas pessoas me procuraram e perguntaram se poderiam subscrever à denúncia. Não tem problema algum, qualquer pessoa pode fazer isso”, avisa.

Larciana revela que não está cobrando honorários pela ação. “Eu abracei essa causa como uma causa social. A todos, eu digo que não existe cobrança de honorários advocatícios para uma ação que busca proteger um direito que é fundamental para alcançar a justiça social, já que o Enem é a principal ferramenta de acesso ao ensino superior público no país. Então, temos que primar pela qualidade e seriedade”, conclui a advogada.

Ouça a entrevista completa no áudio da rádio Tribuna Band News FM: