Universidade federal cria vestibular específico para transgêneros, intersexuais e travestis no Ceará

INICIATIVA INÉDITA

Universidade federal cria vestibular específico para transgêneros, intersexuais e travestis no Ceará

São 120 vagas para 15 cursos de graduação presencial, distribuídas entre os três campi da Unilab (Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira), localizados no Ceará e na Bahia

Por Tribuna do Ceará em Educação

12 de julho de 2019 às 19:15

Há 5 dias
Para pôr em prática o novo sistema, estudos técnicos estão sendo feitos (FOTO: Arquivo)

Iniciativa da Unilab é inédita no país (FOTO: Arquivo)

A Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) abriu vestibular específico para pessoas transgêneros e intersexuais. São 120 vagas disponibilizadas, distribuídas entre 15 cursos presenciais nos três campi da instituição, que são dois no Ceará e um na Bahia. A iniciativa inédita chamou atenção de todo o Brasil. A Pró-Reitoria de Graduação explica o processo seletivo no portal da própria instituição federal.

Quem também voltou o olhar para a ação da Unilab foi o presidente Jair Bolsonaro. Segundo a Revista Veja, ao saber do assunto através da imprensa, ele acionou o ministro da Educação, Abraham Weintraub, para “apurar o caso e tomar as devidas providências”.

O vestibular é “específico para candidatas(os) transgêneras(os) e intersexuais” para ingresso no semestre 2019.2. Das 120 vagas ofertadas, 69 são para o Ceará nos cursos de Administração Pública (5), Agronomia (2), Antropologia (10), Ciencias Biológicas (2), Enfermagem (6), História (10), Humanidades (10) Letras/Língua Inglesa (1), Letras/Língua Portuguesa (3), Matemática (3), Pedagogia (8), Quimica (4), Sociologia (5).

Para o campus da Bahia, são 51 vagas nos seguintes cursos de graduação: Ciências Sociais (8), História (8), Humanidades (8) Letras/Língua Portuguesa (9) Pedagogia (8), Relações Internacionais (10). O início das aulas está previsto em 30 de setembro.

Os interessados em concorrer devem preencher um formulário que estará disponível no início das inscrições, além de enviar documentação necessária para o e-mail transintersexos@unilab.edu.br, entre os dias 15 e 24 de julho, até as 15 horas. Cada candidato poderá fazer somente uma inscrição e concorrer a uma única vaga. Para mais detalhes sobre o processo, basta ler o edital completo.

Na publicação, a Pró-Reitoria de Graduação explica que os “estudantes transexuais, travestis, pessoas não binárias e intersexuais oriundas de qualquer percurso escolar, e que tenham concluído o ensino médio” podem concorrer. A Prograd também esclarece que as categorias citadas são definidas de acordo com glossário da Organização das Nações Unidas, que explica:

A estudante foi baleada dentro do campus (FOTO: Divulgação/site oficial)

Unilab oferece 120 vagas. (FOTO: Divulgação/site oficial)

Intersexual: pessoa que possui variação de caracteres sexuais incluindo cromossomos, gônadas e/ou órgãos genitais que dificultam sua identificação como totalmente feminino ou masculino. Essa variação pode envolver ambiguidade genital, combinações de fatores genéticos e aparência

Pessoa Não Binária (NB): é a pessoa cuja identidade não cabe nem como homem nem como mulher ou ainda que está entre um gênero e outro (masculino ou feminino) podendo também ser uma combinação dos dois. São pessoas que não necessariamente optam por fazer processos de readequação de gênero, por meio de medicamentos e cirurgias.

Transexual: pessoa que possui uma identidade de gênero oposta ao sexo designado (normalmente no nascimento). Geralmente usa hormônios, mas há exceções. Nem toda pessoa transexual deseja fazer cirurgia para mudança de sexo.

Travesti: identidade histórico-política, construída sócio e culturalmente, da pessoa que é designada como sendo do sexo masculino, transiciona do masculino ao feminino e vive 24 horas no gênero feminino. Geralmente usa hormônios e faz modificações no corpo através de intervenções cirúrgicas, não sendo as mesmas uma regra. Em reconhecimento e respeito a esta identidade deve-se sempre dizer a travesti e nunca o travesti.

Publicidade

Dê sua opinião

INICIATIVA INÉDITA

Universidade federal cria vestibular específico para transgêneros, intersexuais e travestis no Ceará

São 120 vagas para 15 cursos de graduação presencial, distribuídas entre os três campi da Unilab (Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira), localizados no Ceará e na Bahia

Por Tribuna do Ceará em Educação

12 de julho de 2019 às 19:15

Há 5 dias
Para pôr em prática o novo sistema, estudos técnicos estão sendo feitos (FOTO: Arquivo)

Iniciativa da Unilab é inédita no país (FOTO: Arquivo)

A Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) abriu vestibular específico para pessoas transgêneros e intersexuais. São 120 vagas disponibilizadas, distribuídas entre 15 cursos presenciais nos três campi da instituição, que são dois no Ceará e um na Bahia. A iniciativa inédita chamou atenção de todo o Brasil. A Pró-Reitoria de Graduação explica o processo seletivo no portal da própria instituição federal.

Quem também voltou o olhar para a ação da Unilab foi o presidente Jair Bolsonaro. Segundo a Revista Veja, ao saber do assunto através da imprensa, ele acionou o ministro da Educação, Abraham Weintraub, para “apurar o caso e tomar as devidas providências”.

O vestibular é “específico para candidatas(os) transgêneras(os) e intersexuais” para ingresso no semestre 2019.2. Das 120 vagas ofertadas, 69 são para o Ceará nos cursos de Administração Pública (5), Agronomia (2), Antropologia (10), Ciencias Biológicas (2), Enfermagem (6), História (10), Humanidades (10) Letras/Língua Inglesa (1), Letras/Língua Portuguesa (3), Matemática (3), Pedagogia (8), Quimica (4), Sociologia (5).

Para o campus da Bahia, são 51 vagas nos seguintes cursos de graduação: Ciências Sociais (8), História (8), Humanidades (8) Letras/Língua Portuguesa (9) Pedagogia (8), Relações Internacionais (10). O início das aulas está previsto em 30 de setembro.

Os interessados em concorrer devem preencher um formulário que estará disponível no início das inscrições, além de enviar documentação necessária para o e-mail transintersexos@unilab.edu.br, entre os dias 15 e 24 de julho, até as 15 horas. Cada candidato poderá fazer somente uma inscrição e concorrer a uma única vaga. Para mais detalhes sobre o processo, basta ler o edital completo.

Na publicação, a Pró-Reitoria de Graduação explica que os “estudantes transexuais, travestis, pessoas não binárias e intersexuais oriundas de qualquer percurso escolar, e que tenham concluído o ensino médio” podem concorrer. A Prograd também esclarece que as categorias citadas são definidas de acordo com glossário da Organização das Nações Unidas, que explica:

A estudante foi baleada dentro do campus (FOTO: Divulgação/site oficial)

Unilab oferece 120 vagas. (FOTO: Divulgação/site oficial)

Intersexual: pessoa que possui variação de caracteres sexuais incluindo cromossomos, gônadas e/ou órgãos genitais que dificultam sua identificação como totalmente feminino ou masculino. Essa variação pode envolver ambiguidade genital, combinações de fatores genéticos e aparência

Pessoa Não Binária (NB): é a pessoa cuja identidade não cabe nem como homem nem como mulher ou ainda que está entre um gênero e outro (masculino ou feminino) podendo também ser uma combinação dos dois. São pessoas que não necessariamente optam por fazer processos de readequação de gênero, por meio de medicamentos e cirurgias.

Transexual: pessoa que possui uma identidade de gênero oposta ao sexo designado (normalmente no nascimento). Geralmente usa hormônios, mas há exceções. Nem toda pessoa transexual deseja fazer cirurgia para mudança de sexo.

Travesti: identidade histórico-política, construída sócio e culturalmente, da pessoa que é designada como sendo do sexo masculino, transiciona do masculino ao feminino e vive 24 horas no gênero feminino. Geralmente usa hormônios e faz modificações no corpo através de intervenções cirúrgicas, não sendo as mesmas uma regra. Em reconhecimento e respeito a esta identidade deve-se sempre dizer a travesti e nunca o travesti.