Copa 2014: Fortaleza é a 2ª em número de reservas devolvidas pela Fifa


Copa 2014: Fortaleza é a 2ª em número de reservas devolvidas pela Fifa

Natal (RN) possui a pior taxa de devolução com 50%, Porto Alegre (RS) 35%, Curitiba (PR) 25%, Cuiabá (MT) 20%, Recife (PE) 15%, Belo Horizonte (MG) 10% e Brasília (DF) 5%

Por Daniel Herculano em Esportes

13 de fevereiro de 2014 às 16:53

Há 6 anos
Arena Castelão

Arena Castelão será palco de Brasil X México e mais cinco jogos na Copa de 2014 (FOTO: Portal 2014/divulgação)

 

Faltam apenas 119 dias para a Copa do Mundo e muitos torcedores estão contando os dias para a bolar começar a rolar nos gramados do Brasil. Mas tem muita gente que está preocupado. Muito preocupado. O setor hoteleiro principalmente. A Fifa está devolvendo reservas em hotéis para a Copa em Fortaleza (CE), Natal (RN), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Cuiabá (MT), Recife (PE), Belo Horizonte (MG) e Brasília (DF). Contudo, a capital cearense é a 2ª colocada no ranking de devolução, com um índice que bate na casa dos 40%. Dentre os hotéis do Ceará aptos para o período da Copa do Mundo, a Match havia reservado cerca de 70% dos leitos.

A devolução de reservas para o período da Copa do Mundo tem números acima do esperado. Segundo o relatório do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (Fohb), a média de devolução de todas as cidades-sede gira em torno de 20% a 30%. Empresa responsável pelos pacotes disponibilizados pela Fifa, a Match, está renunciando reservas de hotéis por todo o Brasil, principalmente para o período entre jogos.

Para Régis Medeiros, vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Ceará (ABIH-CE), o índice elevado de devolução em Fortaleza não é surpresa. “Do primeiro ao último jogo a ocupação de 100% jamais foi projetada, pois o movimento natural é de que haverá picos durante os jogos e depois os números cairão”. O vice-presidente explicou também que o percentual de 40% de remissão não é relativo a ocupação total durante toda a competição. “O número de real devolução é referente ao total de diárias de hotéis, portanto não vamos projetar um prejuízo, mas sim o que vamos deixar de faturar”.

Sobre a comparação com a ocupação na rede hoteleira durante o mesmo período do ano passado, Régis é enfático. “Não tem nem comparação! A Copa das Confederações não fez nenhuma diferença na cidade de Fortaleza… Não fez nem cócegas e não alterou a ocupação local”. Ele informa também que, dos seis jogos previstos para Fortaleza, somente para o período do confronto de Brasil x México não foi devolvida nenhuma reserva.

O representante da ABIH-CE informa também que em Fortaleza, a média da diária paga pela Fifa é de R$ 350, e comenta que “é difícil de retrabalhar com esses 40% de devolução, nós lamentamos essa queda, pois não teremos como recuperar essas diárias em pacotes quebrados e isso é uma realidade de outras cidades-sede também”.

Avenida Beira-Mar (FOTO: ® Falcão Jr.)
1/4

Avenida Beira-Mar (FOTO: ® Falcão Jr.)

Avenida Beira-Mar (FOTO: ® Falcão Jr.)

Praias do Ceará (FOTO: ® Falcão Jr.)
2/4

Praias do Ceará (FOTO: ® Falcão Jr.)

Praias do Ceará (FOTO: ® Falcão Jr.)

Avenida Beira-Mar (FOTO: ® Falcão Jr.)
3/4

Avenida Beira-Mar (FOTO: ® Falcão Jr.)

Avenida Beira-Mar (FOTO: ® Falcão Jr.)

Turistas na praia (FOTO: ® Falcão Jr.)
4/4

Turistas na praia (FOTO: ® Falcão Jr.)

Turistas na praia (FOTO: ® Falcão Jr.)

Cidades-sede
A pior situação é da cidade de Natal (RN), que apesar de sediar quatro jogos da 1ª fase, possui 50% de taxa de devolução. Com seis jogos previstos – incluindo até dois da Seleção Brasileira, Fortaleza (CE) vem com a 2º pior taxa, com pouco mais de 40%. Capital do Rio Grande do Sul e com cinco jogos agendados, Porto Alegre está com 35% de diárias devolvidas. Mesmo com a possibilidade de não ser mais uma cidade sede, Curitiba (PR) – com quatro jogos na tabela – possui índices de 25% de devolução.

Completando a lista, Cuiabá (MT) teve 20% de diárias devolvidas (quatro jogos na Copa), Recife (PE) 15% (cinco jogos), Belo Horizonte (MG) 10% (com seis jogos) e Brasília (DF) – com sete jogos, incluindo a disputa por 3º lugar – está com menos de 5%. Com quatro jogos – todos da 1ª fase, em Manaus (AM), uma das localidades mais criticadas por seleções europeias por suas condições climáticas, a Match nem chegou a fechar um acordo com os hotéis locais.

Investimento
Ainda segundo a Fohb, o setor investiu cerca de R$ 12 bilhões nos últimos seis anos, incluindo aí a construção de novos hotéis, abertura de novos leitos em hotéis já existentes, na melhoria da infraestrutura e na capacitação de funcionários.

Publicidade

Dê sua opinião

Copa 2014: Fortaleza é a 2ª em número de reservas devolvidas pela Fifa

Natal (RN) possui a pior taxa de devolução com 50%, Porto Alegre (RS) 35%, Curitiba (PR) 25%, Cuiabá (MT) 20%, Recife (PE) 15%, Belo Horizonte (MG) 10% e Brasília (DF) 5%

Por Daniel Herculano em Esportes

13 de fevereiro de 2014 às 16:53

Há 6 anos
Arena Castelão

Arena Castelão será palco de Brasil X México e mais cinco jogos na Copa de 2014 (FOTO: Portal 2014/divulgação)

 

Faltam apenas 119 dias para a Copa do Mundo e muitos torcedores estão contando os dias para a bolar começar a rolar nos gramados do Brasil. Mas tem muita gente que está preocupado. Muito preocupado. O setor hoteleiro principalmente. A Fifa está devolvendo reservas em hotéis para a Copa em Fortaleza (CE), Natal (RN), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Cuiabá (MT), Recife (PE), Belo Horizonte (MG) e Brasília (DF). Contudo, a capital cearense é a 2ª colocada no ranking de devolução, com um índice que bate na casa dos 40%. Dentre os hotéis do Ceará aptos para o período da Copa do Mundo, a Match havia reservado cerca de 70% dos leitos.

A devolução de reservas para o período da Copa do Mundo tem números acima do esperado. Segundo o relatório do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (Fohb), a média de devolução de todas as cidades-sede gira em torno de 20% a 30%. Empresa responsável pelos pacotes disponibilizados pela Fifa, a Match, está renunciando reservas de hotéis por todo o Brasil, principalmente para o período entre jogos.

Para Régis Medeiros, vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Ceará (ABIH-CE), o índice elevado de devolução em Fortaleza não é surpresa. “Do primeiro ao último jogo a ocupação de 100% jamais foi projetada, pois o movimento natural é de que haverá picos durante os jogos e depois os números cairão”. O vice-presidente explicou também que o percentual de 40% de remissão não é relativo a ocupação total durante toda a competição. “O número de real devolução é referente ao total de diárias de hotéis, portanto não vamos projetar um prejuízo, mas sim o que vamos deixar de faturar”.

Sobre a comparação com a ocupação na rede hoteleira durante o mesmo período do ano passado, Régis é enfático. “Não tem nem comparação! A Copa das Confederações não fez nenhuma diferença na cidade de Fortaleza… Não fez nem cócegas e não alterou a ocupação local”. Ele informa também que, dos seis jogos previstos para Fortaleza, somente para o período do confronto de Brasil x México não foi devolvida nenhuma reserva.

O representante da ABIH-CE informa também que em Fortaleza, a média da diária paga pela Fifa é de R$ 350, e comenta que “é difícil de retrabalhar com esses 40% de devolução, nós lamentamos essa queda, pois não teremos como recuperar essas diárias em pacotes quebrados e isso é uma realidade de outras cidades-sede também”.

Avenida Beira-Mar (FOTO: ® Falcão Jr.)
1/4

Avenida Beira-Mar (FOTO: ® Falcão Jr.)

Avenida Beira-Mar (FOTO: ® Falcão Jr.)

Praias do Ceará (FOTO: ® Falcão Jr.)
2/4

Praias do Ceará (FOTO: ® Falcão Jr.)

Praias do Ceará (FOTO: ® Falcão Jr.)

Avenida Beira-Mar (FOTO: ® Falcão Jr.)
3/4

Avenida Beira-Mar (FOTO: ® Falcão Jr.)

Avenida Beira-Mar (FOTO: ® Falcão Jr.)

Turistas na praia (FOTO: ® Falcão Jr.)
4/4

Turistas na praia (FOTO: ® Falcão Jr.)

Turistas na praia (FOTO: ® Falcão Jr.)

Cidades-sede
A pior situação é da cidade de Natal (RN), que apesar de sediar quatro jogos da 1ª fase, possui 50% de taxa de devolução. Com seis jogos previstos – incluindo até dois da Seleção Brasileira, Fortaleza (CE) vem com a 2º pior taxa, com pouco mais de 40%. Capital do Rio Grande do Sul e com cinco jogos agendados, Porto Alegre está com 35% de diárias devolvidas. Mesmo com a possibilidade de não ser mais uma cidade sede, Curitiba (PR) – com quatro jogos na tabela – possui índices de 25% de devolução.

Completando a lista, Cuiabá (MT) teve 20% de diárias devolvidas (quatro jogos na Copa), Recife (PE) 15% (cinco jogos), Belo Horizonte (MG) 10% (com seis jogos) e Brasília (DF) – com sete jogos, incluindo a disputa por 3º lugar – está com menos de 5%. Com quatro jogos – todos da 1ª fase, em Manaus (AM), uma das localidades mais criticadas por seleções europeias por suas condições climáticas, a Match nem chegou a fechar um acordo com os hotéis locais.

Investimento
Ainda segundo a Fohb, o setor investiu cerca de R$ 12 bilhões nos últimos seis anos, incluindo aí a construção de novos hotéis, abertura de novos leitos em hotéis já existentes, na melhoria da infraestrutura e na capacitação de funcionários.