26 mil alunos ficam sem transporte em paralisação dos funcionários da CTC


26 mil alunos ficam sem transporte em paralisação da CTC

Após a paralisação desta terça-feira, os funcionários da CTC fazem protesto na Câmara Municipal

Por Roberta Tavares em Fortaleza

9 de abril de 2013 às 09:16

Há 7 anos
Funcionários da Companhia de Transporte Coletivo (CTC) paralisaram as atividades na manhã desta terça-feira (9), em Fortaleza

Funcionários da CTC paralisaram atividades no início da manhã (Foto: Marcos Dublê/TV Jangadeiro)

Funcionários da Companhia de Transporte Coletivo (CTC) paralisaram as atividades na manhã desta terça-feira (9), em Fortaleza. A paralisação, que é de advertência e dura duas horas, iniciou na segunda-feira.

O objetivo dos motoristas, monitores e mecânicos é reivindicar o pagamento de salários atrasados da categoria e a garantia da renovação do contrato com a Secretaria Municipal de Educação (SME).

“Nós tinhamos um contrato com a secretaria desde 2005, e que acabou em 26 de março deste ano. Ou seja, atualmente estamos sem um contrato e, enquanto continuar assim, não vamos fazer o transporte escolar dos 26 mil alunos das escolas públicas do município de Fortaleza”, explica o representante da categoria, George Bandeira.

Após a paralisação desta terça-feira, os funcionários da CTC fazem protesto na Câmara Municipal, e devem continuar as ações até que o contrato seja renovado.

Outros problemas

Segundo Bandeira, além do não pagamento dos salários e do fim do contrato, ônibus estão sucateados (dos 98 coletivos, apenas 68 estão circulando) e sem combustível. “Apesar dos problemas, nunca houve um acidente. Se a gente não tiver contrato e a SME fechar com uma empresa particular, quem é que vai garantir que nenhum acidente aconteça?”, comenta o representante.

SME garante pagamento de salários

Em nota, a SME informou que o salário do mês de março seria pago diretamente aos trabalhadores, desde que a CTC apresentasse documentação referente aos serviços prestados (folha de pagamento) até o dia 26 de março. No entanto, a documentação só foi entregue pela CTC à secretaria no dia 2 de abril, quando o sistema da Secretaria de Finanças não permitia mais a realização do empenho (reserva do valor) para efetuar o pagamento.

De acordo com a SME, o Ministério Público do Trabalho agendou nova audiência para o dia 10 de abril, às 8h30. “Os salários serão pagos, em conformidade com o que permite e determina a legislação”, garante a secretaria por meio de nota.

Publicidade

Dê sua opinião

26 mil alunos ficam sem transporte em paralisação da CTC

Após a paralisação desta terça-feira, os funcionários da CTC fazem protesto na Câmara Municipal

Por Roberta Tavares em Fortaleza

9 de abril de 2013 às 09:16

Há 7 anos
Funcionários da Companhia de Transporte Coletivo (CTC) paralisaram as atividades na manhã desta terça-feira (9), em Fortaleza

Funcionários da CTC paralisaram atividades no início da manhã (Foto: Marcos Dublê/TV Jangadeiro)

Funcionários da Companhia de Transporte Coletivo (CTC) paralisaram as atividades na manhã desta terça-feira (9), em Fortaleza. A paralisação, que é de advertência e dura duas horas, iniciou na segunda-feira.

O objetivo dos motoristas, monitores e mecânicos é reivindicar o pagamento de salários atrasados da categoria e a garantia da renovação do contrato com a Secretaria Municipal de Educação (SME).

“Nós tinhamos um contrato com a secretaria desde 2005, e que acabou em 26 de março deste ano. Ou seja, atualmente estamos sem um contrato e, enquanto continuar assim, não vamos fazer o transporte escolar dos 26 mil alunos das escolas públicas do município de Fortaleza”, explica o representante da categoria, George Bandeira.

Após a paralisação desta terça-feira, os funcionários da CTC fazem protesto na Câmara Municipal, e devem continuar as ações até que o contrato seja renovado.

Outros problemas

Segundo Bandeira, além do não pagamento dos salários e do fim do contrato, ônibus estão sucateados (dos 98 coletivos, apenas 68 estão circulando) e sem combustível. “Apesar dos problemas, nunca houve um acidente. Se a gente não tiver contrato e a SME fechar com uma empresa particular, quem é que vai garantir que nenhum acidente aconteça?”, comenta o representante.

SME garante pagamento de salários

Em nota, a SME informou que o salário do mês de março seria pago diretamente aos trabalhadores, desde que a CTC apresentasse documentação referente aos serviços prestados (folha de pagamento) até o dia 26 de março. No entanto, a documentação só foi entregue pela CTC à secretaria no dia 2 de abril, quando o sistema da Secretaria de Finanças não permitia mais a realização do empenho (reserva do valor) para efetuar o pagamento.

De acordo com a SME, o Ministério Público do Trabalho agendou nova audiência para o dia 10 de abril, às 8h30. “Os salários serão pagos, em conformidade com o que permite e determina a legislação”, garante a secretaria por meio de nota.