Ciclistas realizam manifesto por mais educação no trânsito de Fortaleza


Ciclistas realizam manifesto por mais educação no trânsito de Fortaleza

O Manifesto Respeite o Ciclista, organizado pelo grupo Massa Crítica Fortaleza, reuniu 50 ciclistas, na última terça-feira (31)

Por Renata Monte em Mobilidade Urbana

2 de abril de 2015 às 19:30

Há 5 anos
Manifesto pede uma Campanha Educativa no Trânsito (FOTO: Reprodução/Facebook)

Manifesto pede uma Campanha Educativa no Trânsito (FOTO: Reprodução/Facebook)

O grupo Massa Crítica Fortaleza, uma organização que reinvida melhorias na mobilidade urbana da cidade, realizou um manifesto pedindo respeito aos ciclistas, nesta terça-feira (31). O protesto foi motivado principalmente pelo atropelamento de dois ciclistas ocorridos durante uma bicicletada em apoio aos ciclistas de São Paulo, no dia 27 de março.

O manifesto do dia 31 reuniu 50 ciclistas, que espalharam suas bicicletas pelas ruas e deitaram no asfalto, na tentativa de chamar atenção para o problema da falta de educação no trânsito. Além disso, o grupo espalhou mensagens de repúdio ao Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Sindiônibus), a Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) e Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor).

Segundo o ciclista Lucas Landim, o protesto exige mais educação no trânsito de Fortaleza e punição a quem desrespeita os usuários de bicicletas. “Se continuar com esse sistema sem educação, o negócio fica complicado, porque a AMC nem multa e nem educa. Se nada for feito, outros atropelamentos irão acontecer. Se houvesse educação no trânsito de Fortaleza, nem ciclofaixa seria preciso existir“, afirma.

MANIFESTO RESPEITE O CICLISTA do grupo Massa Crítica Fortaleza (FOTO: Reprodução/Facebook)
MANIFESTO RESPEITE O CICLISTA do grupo Massa Crítica Fortaleza (FOTO: Reprodução/Facebook)
MANIFESTO RESPEITE O CICLISTA do grupo Massa Crítica Fortaleza (FOTO: Reprodução/Facebook)
MANIFESTO RESPEITE O CICLISTA do grupo Massa Crítica Fortaleza (FOTO: Reprodução/Facebook)
MANIFESTO RESPEITE O CICLISTA do grupo Massa Crítica Fortaleza (FOTO: Reprodução/Facebook)
MANIFESTO RESPEITE O CICLISTA do grupo Massa Crítica Fortaleza (FOTO: Reprodução/Facebook)

Acidentes

Dois atropelamentos aconteceram no dia 27 de março. O primeiro foi causado por um motorista de ônibus, que além de atropelar um ciclista, ainda tentou fugir sem prestar socorro. Na ocasião, ciclistas afirmaram ao Tribuna do Ceará que ainda tentaram interceptar o ônibus que seguiu viagem e mais uma vez, o motorista realizou uma manobra perigosa, na tentativa de se livrar dos manifestantes.

O ônibus foi parado na Avenida Pontes Vieira, e a polícia encaminhou o motorista ao 34º Distrito Policial (DP) para prestar esclarecimentos. Enquanto isso, outra parte do grupo de manifestantes prestou socorro à vítima até a chegada do Samu.

Na mesma noite, outra ciclista foi atropelada. Desta vez, a jovem voltava para casa quando foi surpreendida por um carro que teria dobrado sem verificar o movimento da faixa exclusiva e acabou atropelando a ciclista, ainda conforme informações do grupo Massa Crítica.

“Se a AMC não multa nada em relação à bicicleta, a dirigir ameaçando ciclista, a dirigir sem a distância mínima de 1,5m, ela permite que os motoristas realizem manobras que ponham em risco a vida dos ciclistas”, explica Lucas que afirma que um “atropelamento profissional”, como aconteceu no primeiro caso, é inadmissível.

Até a publicação desta matéria, nem a AMC, nem o Sindiônibus e nem a Etufor atenderam as ligações do Tribuna do Ceará para prestar esclarecimentos.

Publicidade

Dê sua opinião

Ciclistas realizam manifesto por mais educação no trânsito de Fortaleza

O Manifesto Respeite o Ciclista, organizado pelo grupo Massa Crítica Fortaleza, reuniu 50 ciclistas, na última terça-feira (31)

Por Renata Monte em Mobilidade Urbana

2 de abril de 2015 às 19:30

Há 5 anos
Manifesto pede uma Campanha Educativa no Trânsito (FOTO: Reprodução/Facebook)

Manifesto pede uma Campanha Educativa no Trânsito (FOTO: Reprodução/Facebook)

O grupo Massa Crítica Fortaleza, uma organização que reinvida melhorias na mobilidade urbana da cidade, realizou um manifesto pedindo respeito aos ciclistas, nesta terça-feira (31). O protesto foi motivado principalmente pelo atropelamento de dois ciclistas ocorridos durante uma bicicletada em apoio aos ciclistas de São Paulo, no dia 27 de março.

O manifesto do dia 31 reuniu 50 ciclistas, que espalharam suas bicicletas pelas ruas e deitaram no asfalto, na tentativa de chamar atenção para o problema da falta de educação no trânsito. Além disso, o grupo espalhou mensagens de repúdio ao Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Sindiônibus), a Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) e Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor).

Segundo o ciclista Lucas Landim, o protesto exige mais educação no trânsito de Fortaleza e punição a quem desrespeita os usuários de bicicletas. “Se continuar com esse sistema sem educação, o negócio fica complicado, porque a AMC nem multa e nem educa. Se nada for feito, outros atropelamentos irão acontecer. Se houvesse educação no trânsito de Fortaleza, nem ciclofaixa seria preciso existir“, afirma.

MANIFESTO RESPEITE O CICLISTA do grupo Massa Crítica Fortaleza (FOTO: Reprodução/Facebook)
MANIFESTO RESPEITE O CICLISTA do grupo Massa Crítica Fortaleza (FOTO: Reprodução/Facebook)
MANIFESTO RESPEITE O CICLISTA do grupo Massa Crítica Fortaleza (FOTO: Reprodução/Facebook)
MANIFESTO RESPEITE O CICLISTA do grupo Massa Crítica Fortaleza (FOTO: Reprodução/Facebook)
MANIFESTO RESPEITE O CICLISTA do grupo Massa Crítica Fortaleza (FOTO: Reprodução/Facebook)
MANIFESTO RESPEITE O CICLISTA do grupo Massa Crítica Fortaleza (FOTO: Reprodução/Facebook)

Acidentes

Dois atropelamentos aconteceram no dia 27 de março. O primeiro foi causado por um motorista de ônibus, que além de atropelar um ciclista, ainda tentou fugir sem prestar socorro. Na ocasião, ciclistas afirmaram ao Tribuna do Ceará que ainda tentaram interceptar o ônibus que seguiu viagem e mais uma vez, o motorista realizou uma manobra perigosa, na tentativa de se livrar dos manifestantes.

O ônibus foi parado na Avenida Pontes Vieira, e a polícia encaminhou o motorista ao 34º Distrito Policial (DP) para prestar esclarecimentos. Enquanto isso, outra parte do grupo de manifestantes prestou socorro à vítima até a chegada do Samu.

Na mesma noite, outra ciclista foi atropelada. Desta vez, a jovem voltava para casa quando foi surpreendida por um carro que teria dobrado sem verificar o movimento da faixa exclusiva e acabou atropelando a ciclista, ainda conforme informações do grupo Massa Crítica.

“Se a AMC não multa nada em relação à bicicleta, a dirigir ameaçando ciclista, a dirigir sem a distância mínima de 1,5m, ela permite que os motoristas realizem manobras que ponham em risco a vida dos ciclistas”, explica Lucas que afirma que um “atropelamento profissional”, como aconteceu no primeiro caso, é inadmissível.

Até a publicação desta matéria, nem a AMC, nem o Sindiônibus e nem a Etufor atenderam as ligações do Tribuna do Ceará para prestar esclarecimentos.