Caso Bruce: pai do garoto volta a afirmar que tiro foi intencional - Noticias


Caso Bruce: pai do garoto volta a afirmar que tiro foi intencional

O pai de Bruce foi a primeira testemunha a ser ouvida pelo juiz Raimundo Deusdeth Rodrigues Júnior

Por Tribuna do Ceará em Polícia

5 de outubro de 2010 às 19:20

Há 10 anos

Pai de Bruce chora abraçado com o corpo do filho (Foto: repórter Leal Mota Filho)

As oito testemunhas de acusação do processo que investiga o assassinato do adolescente Bruce Cristian de Souza Oliveira, 14, no dia 25 de julho, cometido por um policial do Ronda do Quarteirão, foram ouvidas nesta terça-feira (5). A sessão ocorreu na 5ª Vara do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua, em Fortaleza.

Leia mais
Pai de Bruce Cristian fala sobre expectativa para audiência do caso
Inquérito que investiga caso Bruce vai tramitar na 5ª Vara do Júri de Fortaleza
PM do Ronda que matou adolescente Bruce Cristian será processado pela Justiça comum
Opinião: Caso Bruce – dois pesos e duas medidas

A primeira testemunha a depor foi o pai do jovem, Francisco das Chagas, que pilotava a motocicleta quando o filho dele foi atingido na nuca pelo tiro disparado por Yuri da Silveira. Antes do depoimento, Chagas voltou à afirmar que o tiro foi intencional. Já a mãe do adolescente, Aglais Sousa, enfatizou que o PM destruiu a família dela.

O advogado de defesa de Yuri, Ernando Uchoa, relatou que vai processar o Estado, pois a mal formação dos policiais teria sido um dos culpados no incidente.

As outras pessoas que foram intimadas são: dois vigias de um prédio próximo do local onde aconteceu o fato, duas pessoas que passavam em uma motocicleta, um especialista em armas e dois PMs (um deles estava na viatura com Yuri).

O soldado do Ronda também havia sido intimado para comparecer à audiência, mas foi dispensado pelo juiz Raimundo Deusdeth Rodrigues Júnior a pedido dos advogados de defesa, Ernando Uchoa Sobrinho e Abelardo Augusto Nobre Neto.

No próximo dia 25 de outubro, a Justiça vai ouvir as testemunhas de defesa e o acusado do crime.

Publicidade

Dê sua opinião

Caso Bruce: pai do garoto volta a afirmar que tiro foi intencional

O pai de Bruce foi a primeira testemunha a ser ouvida pelo juiz Raimundo Deusdeth Rodrigues Júnior

Por Tribuna do Ceará em Polícia

5 de outubro de 2010 às 19:20

Há 10 anos

Pai de Bruce chora abraçado com o corpo do filho (Foto: repórter Leal Mota Filho)

As oito testemunhas de acusação do processo que investiga o assassinato do adolescente Bruce Cristian de Souza Oliveira, 14, no dia 25 de julho, cometido por um policial do Ronda do Quarteirão, foram ouvidas nesta terça-feira (5). A sessão ocorreu na 5ª Vara do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua, em Fortaleza.

Leia mais
Pai de Bruce Cristian fala sobre expectativa para audiência do caso
Inquérito que investiga caso Bruce vai tramitar na 5ª Vara do Júri de Fortaleza
PM do Ronda que matou adolescente Bruce Cristian será processado pela Justiça comum
Opinião: Caso Bruce – dois pesos e duas medidas

A primeira testemunha a depor foi o pai do jovem, Francisco das Chagas, que pilotava a motocicleta quando o filho dele foi atingido na nuca pelo tiro disparado por Yuri da Silveira. Antes do depoimento, Chagas voltou à afirmar que o tiro foi intencional. Já a mãe do adolescente, Aglais Sousa, enfatizou que o PM destruiu a família dela.

O advogado de defesa de Yuri, Ernando Uchoa, relatou que vai processar o Estado, pois a mal formação dos policiais teria sido um dos culpados no incidente.

As outras pessoas que foram intimadas são: dois vigias de um prédio próximo do local onde aconteceu o fato, duas pessoas que passavam em uma motocicleta, um especialista em armas e dois PMs (um deles estava na viatura com Yuri).

O soldado do Ronda também havia sido intimado para comparecer à audiência, mas foi dispensado pelo juiz Raimundo Deusdeth Rodrigues Júnior a pedido dos advogados de defesa, Ernando Uchoa Sobrinho e Abelardo Augusto Nobre Neto.

No próximo dia 25 de outubro, a Justiça vai ouvir as testemunhas de defesa e o acusado do crime.