André Fernandes nega pedido de desculpas após acusar parlamentar de integrar facção

POLÊMICA

André Fernandes nega pedido de desculpas após acusar parlamentar de integrar facção

No primeiro pronunciamento público sobre a polêmica, o deputado se eximiu de culpa, afirmando que apenas repassou ao Ministério Público a denúncia que recebeu

Por Tribuna do Ceará em Política

24 de junho de 2019 às 14:54

Há 3 meses
Deputado André Fernandes é o parlamentar mais novo do Brasil eleito em 2018. (Foto: Junio Pio/ AL-CE)

Deputado André Fernandes é o parlamentar mais novo do Brasil eleito em 2018. (Foto: Junio Pio/ AL-CE)

“Não vou pedir desculpas pelo que não fiz”, afirmou o deputado estadual André Fernandes (PSL), durante coletiva de imprensa convocada na manhã desta segunda-feira (24) para explicar denúncias de que um parlamentar da casa teria envolvimento com o crime organizado.

André alega ter apenas encaminhado ao Ministério Público Estadual (MPE) as denúncias que recebeu para serem apuradas. Disse ainda que cumpriu o regimento da casa e que nome do deputado Nezinho Farias (PDT) constava apenas no documento enviado ao MPE.

Ele reforça que a acusação não partiu dele, e que preserva a fonte. Na visão do deputado, o MP é quem foi o responsável pelo vazamento da informação do nome denunciado.

A acusação teria recaído sobre Nezinho por ele ter apresentado um projeto de lei que supostamente beneficiaria o crime organizado através de apostas ilegais. O pedetista é ligado, na realidade, ao mercado de jogos eletrônicos.

André Fernandes afirma que ainda não recebeu material com vídeos, fotos e áudios que o denunciante prometeu enviar, como provas da acusação feita. “Não são fatos. São indícios. Encaminhei acreditando no informante”, assegurou o deputado do PSL.

Nezinho Farias explicou que o projeto é relacionado a jogos de videogame e que não tem nenhuma relação aos jogos clandestinos de azar. O PSDB já apresentou representação junto ao Conselho de Ética da Assembleia, pedindo apuração por quebra de decoro parlamentar. O PDT também deve enviar representação.

André Fernandes não acredita na possibilidade de cassação e diz sofrer perseguição política.

“Acredito que os deputados vão agir de acordo com o regimento. Isso é uma peça do xadrez comandado pelos Ferreira Gomes para desgastar minha imagem, porque falei de uma propina de R$ 20 milhões da JBS para a campanha deles”, argumentou o parlamentar.

Publicidade

Dê sua opinião

POLÊMICA

André Fernandes nega pedido de desculpas após acusar parlamentar de integrar facção

No primeiro pronunciamento público sobre a polêmica, o deputado se eximiu de culpa, afirmando que apenas repassou ao Ministério Público a denúncia que recebeu

Por Tribuna do Ceará em Política

24 de junho de 2019 às 14:54

Há 3 meses
Deputado André Fernandes é o parlamentar mais novo do Brasil eleito em 2018. (Foto: Junio Pio/ AL-CE)

Deputado André Fernandes é o parlamentar mais novo do Brasil eleito em 2018. (Foto: Junio Pio/ AL-CE)

“Não vou pedir desculpas pelo que não fiz”, afirmou o deputado estadual André Fernandes (PSL), durante coletiva de imprensa convocada na manhã desta segunda-feira (24) para explicar denúncias de que um parlamentar da casa teria envolvimento com o crime organizado.

André alega ter apenas encaminhado ao Ministério Público Estadual (MPE) as denúncias que recebeu para serem apuradas. Disse ainda que cumpriu o regimento da casa e que nome do deputado Nezinho Farias (PDT) constava apenas no documento enviado ao MPE.

Ele reforça que a acusação não partiu dele, e que preserva a fonte. Na visão do deputado, o MP é quem foi o responsável pelo vazamento da informação do nome denunciado.

A acusação teria recaído sobre Nezinho por ele ter apresentado um projeto de lei que supostamente beneficiaria o crime organizado através de apostas ilegais. O pedetista é ligado, na realidade, ao mercado de jogos eletrônicos.

André Fernandes afirma que ainda não recebeu material com vídeos, fotos e áudios que o denunciante prometeu enviar, como provas da acusação feita. “Não são fatos. São indícios. Encaminhei acreditando no informante”, assegurou o deputado do PSL.

Nezinho Farias explicou que o projeto é relacionado a jogos de videogame e que não tem nenhuma relação aos jogos clandestinos de azar. O PSDB já apresentou representação junto ao Conselho de Ética da Assembleia, pedindo apuração por quebra de decoro parlamentar. O PDT também deve enviar representação.

André Fernandes não acredita na possibilidade de cassação e diz sofrer perseguição política.

“Acredito que os deputados vão agir de acordo com o regimento. Isso é uma peça do xadrez comandado pelos Ferreira Gomes para desgastar minha imagem, porque falei de uma propina de R$ 20 milhões da JBS para a campanha deles”, argumentou o parlamentar.