Grupo de integralistas do Ceará reclama de perseguição após ser confundido como fascista

EXPOSIÇÃO NA INTERNET

Grupo de integralistas do Ceará reclama de perseguição após ser confundido como fascista

Uma foto de três jovens do Núcleo Integralista no Ceará, que defendem uma ideologia de Estado cristão forte na primeira metade do século 20, gerou uma onda de críticas e ameaças

Por Vitória Barbosa em Política

23 de outubro de 2019 às 11:19

Há 3 meses

Membros do Núcleo Integralista do Ceará (FOTO: Reprodução Twitter)

Uma foto que circulou nas redes sociais nos últimos dias tem chamado a atenção de internautas no Ceará. Trata-se de três jovens posicionados em frente à estátua de Gustavo Barroso, na praça que carrega o mesmo nome, mais conhecida como Praça do Liceu, no bairro Jacarecanga, em Fortaleza. Os jovens fazem saudação após receberem novos uniformes da Frente Integralista Brasileira. Eles são membros do Núcleo Integralista no Ceará, e relatam estar sofrendo ameaças após a repercussão na internet.

Em uma das publicações, uma pessoa no Twitter escreve: “Recebi essas fotos hoje, são de um grupo de alunos fascistas que estão se organizando em uma escola em Fortaleza”.

A publicação rendeu mais de 2 mil curtidas e vários comentários. Em um deles, um internauta diz que “Se eu encontrar na rua eu dou uma surra nos três ao mesmo tempo”.

O estudante pré-universitário R. G., de 19 anos, que registrou a foto, é membro do Núcleo Integralista no Ceará. Ele disse que o grupo não é fascista e que as pessoas que estão ameaçando os integrantes não sabem nada sobre o assunto. “É a prova da completa ignorância da internet sobre o movimento”, defende.

Ele destaca que os integralistas não têm relação com fascistas e nazistas. “Plínio Salgado e a maioria dos integralistas jamais acreditaram que o modelo de Benito Mussolini (o Fascismo) fosse a solução para o Brasil. Em seu romance, “O Estrangeiro”, Plínio o considerava como primeiro manifesto antifascista do Brasil”, destacou.

O vestibulando acrescenta, ainda, que a semelhança entre Integralismo e Fascismo se deve ao fato de ambos se basearem na encíclica “Rerum Novarum”, do Papa Leão XIII, um documento elaborado pelo papa e dirigido aos bispos de todo o mundo e, por meio deles, se fez chegar às pessoas.

O que é o Integralismo?

Segundo R.G., o Integralismo é um movimento tradicionalista e patriota, que defende um Estado cristão, a fim de proteger e promover a moral cristã para seu povo. O movimento integralista abomina a ditadura e o estado totalitário. “Suas doutrinas se aproximam muito mais à Doutrina Social da Igreja e ao movimento cristão e democrático de Dom Luigi Sturzo do que ao Fascismo de Benito Mussolini”, argumenta.

De acordo com P.R., de 18 anos, diretor de estudos do Núcleo de Integralismo no Ceará, o movimento, no estado, foi fundado em 1933 e chegou a ser o maior núcleo integralista do Brasil, contando com a participação ativa de vários brasileiros, como o Padre Hélder Câmara.

Atualmente, o grupo conta com a participação de 20 pessoas, a maioria jovens. “Somos uma organização que exprime uma filosofia política e tem atuações igualmente culturais e sociais”.

Por que estavam na Praça do Liceu?

O motivo do encontro dos membros do Núcleo de Integralismo no Ceará ter acontecido na Praça Gustavo Barroso é, justamente, o significado da estátua com homônimo. O cearense Gustavo Barroso era um dos maiores líderes da Ação Integralista Brasileira. Na praça, também fica situado o Colégio Estadual Liceu do Ceará.

Em entrevista ao Tribuna do Ceará, o diretor do colégio, Edson Braga, entende que o caso não tem nenhuma ligação com a escola, mas que um dos membros que aparecem nas fotos é aluno da instituição. “O aluno é livre para fazer o que quiser fora da escola”, pontuou. Ele destacou que, no ambiente escolar, o assunto é tratado com seriedade.

O diretor disse que a escola acompanha as atividades desse aluno específico e que, dentro dos próximos dias, entrará em contato com a família do adolescente. “Vamos convidá-los para termos uma conversa e mostrarmos os perigos da exposição na internet”. Ele comenta que sempre busca alertar o jovem, um bom aluno, sobre suas atitudes.

Para Edson, é preciso mostrar ao jovem que seu pensamento é retrógrado e ultrapassado, mas que respeita a opinião dele. O diretor destaca que, agora, a maior preocupação é com a exposição do adolescente na internet e as consequências que isso pode lhe trazer. “É um direito dele, não tem muito o que fazer, a não ser alertar aos pais sobre o posicionamento dele”, explicou.

O Integralismo não é fascista?

O Tribuna do Ceará conversou com Airton de Farias, doutor em História, que esclareceu dúvidas sobre o movimento integralista. Segundo explica o professor, o Integralismo não é fascista, mas ambos têm a mesma inspiração na extrema direita. O movimento iniciou nos anos 1930, tendo o jornalista Plínio Salgado como referência.

“Era anticomunista, antiliberal, nacionalista, defensor dos valores conservadores. O fascismo não foi um fenômeno só da Alemanha, mas teve uma onda de inspiração em vários países”, explicou.

Apesar disso, o professor apontou que o cearense Gustavo Barroso, que deu nome à praça do Liceu, foi símbolo da onda fascista no Ceará. “Ele era racista e antissemita. Curioso que ele escreveu um livro que exalta o nordestino”, aponta. Gustavo compôs a letra do hino da cidade de Fortaleza.

Airton ressalta que o Ceará era um dos estados com mais fascistas do país nos anos 1930. “Essa história do Ceará não é muito conhecida”.

Sobre existirem grupos integralistas na atualidade, o professor diz que não se surpreende. “Sempre existiu. A questão é que agora estão mostrando a cara. Com essa nova onda no país, perderam o medo. Agora, tem que entender por que eles [estudantes] entraram nesse movimento: Família? Escola? Há vários fatores que levam a isso. Eles sabem realmente o que é o Integralismo? Leram? Refletiram?”, finalizou.

Colaborou Hayanne Narlla.

O Tribuna do Ceará opta por identificar os jovens com suas iniciais, e por borrar os rostos na foto, para preservar a segurança dos integrantes diante das ameaças que receberam.

Publicidade

Dê sua opinião

EXPOSIÇÃO NA INTERNET

Grupo de integralistas do Ceará reclama de perseguição após ser confundido como fascista

Uma foto de três jovens do Núcleo Integralista no Ceará, que defendem uma ideologia de Estado cristão forte na primeira metade do século 20, gerou uma onda de críticas e ameaças

Por Vitória Barbosa em Política

23 de outubro de 2019 às 11:19

Há 3 meses

Membros do Núcleo Integralista do Ceará (FOTO: Reprodução Twitter)

Uma foto que circulou nas redes sociais nos últimos dias tem chamado a atenção de internautas no Ceará. Trata-se de três jovens posicionados em frente à estátua de Gustavo Barroso, na praça que carrega o mesmo nome, mais conhecida como Praça do Liceu, no bairro Jacarecanga, em Fortaleza. Os jovens fazem saudação após receberem novos uniformes da Frente Integralista Brasileira. Eles são membros do Núcleo Integralista no Ceará, e relatam estar sofrendo ameaças após a repercussão na internet.

Em uma das publicações, uma pessoa no Twitter escreve: “Recebi essas fotos hoje, são de um grupo de alunos fascistas que estão se organizando em uma escola em Fortaleza”.

A publicação rendeu mais de 2 mil curtidas e vários comentários. Em um deles, um internauta diz que “Se eu encontrar na rua eu dou uma surra nos três ao mesmo tempo”.

O estudante pré-universitário R. G., de 19 anos, que registrou a foto, é membro do Núcleo Integralista no Ceará. Ele disse que o grupo não é fascista e que as pessoas que estão ameaçando os integrantes não sabem nada sobre o assunto. “É a prova da completa ignorância da internet sobre o movimento”, defende.

Ele destaca que os integralistas não têm relação com fascistas e nazistas. “Plínio Salgado e a maioria dos integralistas jamais acreditaram que o modelo de Benito Mussolini (o Fascismo) fosse a solução para o Brasil. Em seu romance, “O Estrangeiro”, Plínio o considerava como primeiro manifesto antifascista do Brasil”, destacou.

O vestibulando acrescenta, ainda, que a semelhança entre Integralismo e Fascismo se deve ao fato de ambos se basearem na encíclica “Rerum Novarum”, do Papa Leão XIII, um documento elaborado pelo papa e dirigido aos bispos de todo o mundo e, por meio deles, se fez chegar às pessoas.

O que é o Integralismo?

Segundo R.G., o Integralismo é um movimento tradicionalista e patriota, que defende um Estado cristão, a fim de proteger e promover a moral cristã para seu povo. O movimento integralista abomina a ditadura e o estado totalitário. “Suas doutrinas se aproximam muito mais à Doutrina Social da Igreja e ao movimento cristão e democrático de Dom Luigi Sturzo do que ao Fascismo de Benito Mussolini”, argumenta.

De acordo com P.R., de 18 anos, diretor de estudos do Núcleo de Integralismo no Ceará, o movimento, no estado, foi fundado em 1933 e chegou a ser o maior núcleo integralista do Brasil, contando com a participação ativa de vários brasileiros, como o Padre Hélder Câmara.

Atualmente, o grupo conta com a participação de 20 pessoas, a maioria jovens. “Somos uma organização que exprime uma filosofia política e tem atuações igualmente culturais e sociais”.

Por que estavam na Praça do Liceu?

O motivo do encontro dos membros do Núcleo de Integralismo no Ceará ter acontecido na Praça Gustavo Barroso é, justamente, o significado da estátua com homônimo. O cearense Gustavo Barroso era um dos maiores líderes da Ação Integralista Brasileira. Na praça, também fica situado o Colégio Estadual Liceu do Ceará.

Em entrevista ao Tribuna do Ceará, o diretor do colégio, Edson Braga, entende que o caso não tem nenhuma ligação com a escola, mas que um dos membros que aparecem nas fotos é aluno da instituição. “O aluno é livre para fazer o que quiser fora da escola”, pontuou. Ele destacou que, no ambiente escolar, o assunto é tratado com seriedade.

O diretor disse que a escola acompanha as atividades desse aluno específico e que, dentro dos próximos dias, entrará em contato com a família do adolescente. “Vamos convidá-los para termos uma conversa e mostrarmos os perigos da exposição na internet”. Ele comenta que sempre busca alertar o jovem, um bom aluno, sobre suas atitudes.

Para Edson, é preciso mostrar ao jovem que seu pensamento é retrógrado e ultrapassado, mas que respeita a opinião dele. O diretor destaca que, agora, a maior preocupação é com a exposição do adolescente na internet e as consequências que isso pode lhe trazer. “É um direito dele, não tem muito o que fazer, a não ser alertar aos pais sobre o posicionamento dele”, explicou.

O Integralismo não é fascista?

O Tribuna do Ceará conversou com Airton de Farias, doutor em História, que esclareceu dúvidas sobre o movimento integralista. Segundo explica o professor, o Integralismo não é fascista, mas ambos têm a mesma inspiração na extrema direita. O movimento iniciou nos anos 1930, tendo o jornalista Plínio Salgado como referência.

“Era anticomunista, antiliberal, nacionalista, defensor dos valores conservadores. O fascismo não foi um fenômeno só da Alemanha, mas teve uma onda de inspiração em vários países”, explicou.

Apesar disso, o professor apontou que o cearense Gustavo Barroso, que deu nome à praça do Liceu, foi símbolo da onda fascista no Ceará. “Ele era racista e antissemita. Curioso que ele escreveu um livro que exalta o nordestino”, aponta. Gustavo compôs a letra do hino da cidade de Fortaleza.

Airton ressalta que o Ceará era um dos estados com mais fascistas do país nos anos 1930. “Essa história do Ceará não é muito conhecida”.

Sobre existirem grupos integralistas na atualidade, o professor diz que não se surpreende. “Sempre existiu. A questão é que agora estão mostrando a cara. Com essa nova onda no país, perderam o medo. Agora, tem que entender por que eles [estudantes] entraram nesse movimento: Família? Escola? Há vários fatores que levam a isso. Eles sabem realmente o que é o Integralismo? Leram? Refletiram?”, finalizou.

Colaborou Hayanne Narlla.

O Tribuna do Ceará opta por identificar os jovens com suas iniciais, e por borrar os rostos na foto, para preservar a segurança dos integrantes diante das ameaças que receberam.