Manifestantes se reúnem em atos em comemoração e contra a soltura de Lula

ATOS EM FORTALEZA

Manifestantes se reúnem em atos a favor e contra a soltura de Lula

Lula foi beneficiado pela decisão do Supremo Tribunal Federal que, em julgamento realizado na quinta-feira (7), proibiu prisão após condenação em segunda instância, o caso de Lula

Por Tribuna do Ceará em Política

8 de novembro de 2019 às 17:57

Há 1 semana
Lula foi solto nesta sexta-feira (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

Lula foi solto nesta sexta-feira (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

Manifestantes participam, nesta sexta-feira (8) e sábado (9), de atos em comemoração e contra a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Nesta sexta-feira, acontece bandeiraço no cruzamento da Avenida Antônio Sales com a Rui Barbosa, no Dionísio Torres. O outro será na sede do PT Ceará, na Avenida da Universidade.

Os atos são realizados em razão da saída de Lula da prisão na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, a partir de decisão do juiz Danilo Pereira Jr.

Protesto contra a soltura

No sábado (9), está agendado protesto na Praça Portugal, na Aldeota, contra a decisão do STF, que proíbe a prisão após condenação em 2ª instância. A manifestação está marcada para as 16h.

Decisão

Lula foi beneficiado pela decisão do Supremo Tribunal Federal que, em julgamento realizado na quinta-feira (7), por 6 votos contra 5, proibiu prisão após condenação em segunda instância, o caso de Lula.

A maioria dos ministros entendeu que, segundo a Constituição, ninguém pode ser considerado culpado até o trânsito em julgado (fase em que não cabe mais recurso) e que a execução provisória da pena fere o princípio da presunção de inocência.

“Determino, em face das situações já verificadas no curso do processo, que as autoridades públicas e os advogados do réu ajustem os protocolos de segurança para o adequado cumprimento da ordem, evitando-se situações de tumulto e risco à segurança pública”, escreveu o juiz em seu despacho.

O ex-presidente estava preso em Curitiba desde abril de 2018, devido à sentença que recebeu no processo do triplex, na Operação Lava-Jato.

Publicidade

Dê sua opinião

ATOS EM FORTALEZA

Manifestantes se reúnem em atos a favor e contra a soltura de Lula

Lula foi beneficiado pela decisão do Supremo Tribunal Federal que, em julgamento realizado na quinta-feira (7), proibiu prisão após condenação em segunda instância, o caso de Lula

Por Tribuna do Ceará em Política

8 de novembro de 2019 às 17:57

Há 1 semana
Lula foi solto nesta sexta-feira (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

Lula foi solto nesta sexta-feira (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

Manifestantes participam, nesta sexta-feira (8) e sábado (9), de atos em comemoração e contra a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Nesta sexta-feira, acontece bandeiraço no cruzamento da Avenida Antônio Sales com a Rui Barbosa, no Dionísio Torres. O outro será na sede do PT Ceará, na Avenida da Universidade.

Os atos são realizados em razão da saída de Lula da prisão na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, a partir de decisão do juiz Danilo Pereira Jr.

Protesto contra a soltura

No sábado (9), está agendado protesto na Praça Portugal, na Aldeota, contra a decisão do STF, que proíbe a prisão após condenação em 2ª instância. A manifestação está marcada para as 16h.

Decisão

Lula foi beneficiado pela decisão do Supremo Tribunal Federal que, em julgamento realizado na quinta-feira (7), por 6 votos contra 5, proibiu prisão após condenação em segunda instância, o caso de Lula.

A maioria dos ministros entendeu que, segundo a Constituição, ninguém pode ser considerado culpado até o trânsito em julgado (fase em que não cabe mais recurso) e que a execução provisória da pena fere o princípio da presunção de inocência.

“Determino, em face das situações já verificadas no curso do processo, que as autoridades públicas e os advogados do réu ajustem os protocolos de segurança para o adequado cumprimento da ordem, evitando-se situações de tumulto e risco à segurança pública”, escreveu o juiz em seu despacho.

O ex-presidente estava preso em Curitiba desde abril de 2018, devido à sentença que recebeu no processo do triplex, na Operação Lava-Jato.