"Melhor situação dos últimos 7 anos", declara Roberto Cláudio sobre cofres municipais em penúltimo ano de gestão

SALDO DE 2019

“Melhor situação dos últimos 7 anos”, declara Roberto Cláudio sobre cofres municipais em penúltimo ano de gestão

Roberto Cláudio também destacou a liderança de Fortaleza no ranking de capitais com mais matrículas em escolas de tempo integral e lamentou o atraso em obras públicas

Por Tribuna Bandnews FM em Política

23 de dezembro de 2019 às 14:04

Há 6 meses

O prefeito afirmou que só começará a pensar em sucessão a partir de abril de 2020 (FOTO: TV Jangadeiro/SBT)

Há oito dias de iniciar seu último ano de mandato, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) afirmou que Fortaleza termina 2019 com “a melhor situação financeira dos últimos sete anos”. Na educação, ele também destacou a liderança no ranking de capitais com mais matrículas em escolas de tempo integral. O prefeito ainda lamentou o atraso em obras, como a do Parque Rachel de Queiroz, no bairro Presidente Kennedy.

As declarações foram dadas em entrevista à Tribuna Band News FM nesta segunda-feira (23). Sobre a situação financeira, o pedetista revelou que a prefeitura já garantiu R$ 2 bilhões em investimentos para os próximos anos. Segundo ele, esse valor foi captado em convênios com empresas privadas.

Já na educação, Roberto Cláudio destacou os reconhecimentos e prêmios recebidos no último ano. “Fortaleza, pelo Senso do MEC, tem o maior número de matrículas em tempo integral. É a capital líder nesse indicador. Há oito anos, não tinha nenhuma e hoje são 42% das matrículas. É a capital com mais vaga de creche, temos mais do que São Paulo”, comemorou.

Ao falar sobre as pendências, o líder da administração municipal lamentou que entregará somente duas etapas das obras na Praça Rachel de Queiroz. “Queria ter começado até outubro ou novembro, mas a gente só vai conseguir começar na segunda semana de janeiro. Queria entregar quatro etapas e entregarei duas”, ponderou, acrescentando outras duas reformas pendentes: Cidade da Criança e Beira Rio.

Às vésperas do Réveillon 2020, o prefeito também comemorou a boa procura de Fortaleza por parte dos turistas. “Tudo indica que somos o destino mais procurado no Nordeste inteiro”, celebrou. Ainda segundo ele, o valor gasto nesta edição da festa “não está fechado”, mas 50% será pago por empresas patrocinadoras. “Nos anos anteriores, variou de R$ 4 a 5 milhões”, estimou.

Roberto Cláudio também comentou os desafios para o setor da saúde, falou sobre sua relação com o Governo Federal, fez um balanço das obras em mobilidade urbana no ano de 2019 e revelou que seu partido só começará a pensar em um candidato á sucessão a partir de abril de 2020. Confira outros destaques da conversa:

Saúde

“Saúde é o maior desafio de todas as cidades brasileiras. Todos têm problema na gestão com saúde. Nossa Constituição se compromete a entregar saúde adequada, mas o Governo Federal não está cumprindo, deixando tudo no lombo dos municípios. Temos repasses, mas são muito insuficientes”.

Relação com o Governo Federal

“Eu enxergo várias coisas de forma distinta. Tenho críticas pessoais, mas busco boa convivência em respeito à cidade de Fortaleza. Se eu fosse parlamentar, cobraria todo dia e toda hora aquilo que eu discordo. Não me senti perseguido”.

Mobilidade urbana

“A gente está redobrando os cuidados em alguns trechos de vias de muito fluxo, porque o asfalto cede e aquilo dificulta o acesso. A gente ampliou a área de calça da na Barão do Rio Branco. Era uma via tomada por carros e ambulantes. Aumentamos a área de passeio, de calçada, fizemos quiosques. Estamos com dificuldade com circulação de carros, mas estamos trabalhando em ruas paralelas. Estamos trabalhando também na Praça José de Alencar, até a parte que vai para João Moreira. O Governo do Estado também está fazendo a Adolfo Caminha”.

Feira da José Avelino

“A gente não tem mais aquela feira montada. Isso a gente conseguiu regulamentar. Estamos no meio de uma crise ‘braba’. Essas pessoas precisam tirar sustento para a família em dezembro ou passarão fome ano que vem. Temos que ter sensibilidade com o mercado informal”.

Praça do Ferreira

“A gente recuperou a fonte da praça e entregou há 3 meses o refeitório social para moradores de rua, de domingo a domingo. Oferecemos abrigo para 120 pessoas e pagamos aluguel social para quem optou por não ficar no abrigo. Não tenho problema com a Praça do Ferreira, tenho problema com 220 vidas humanas. Ninguém escolhe morar na rua. São questões complexas. Precisa de muito humanismo, compreensão, paciência para tratar disso”.

Sucessão política

“A cidade tem problemas de toda natureza. Se a gente começa a pensar em sucessão, tira o foco da missão de terminar o que falta, corrigir erros. Mas há preocupação da nossa parte para nos reunirmos a partir de abril e pensar o que tem que continuar sendo feito e o que precisa melhorar. A partir disso, iremos buscar pessoas que queiram continuar esse projeto”.

Pós-2020

“Quero seis meses para estudar, ler, refletir, quero olhar para mim, saber o que mudar. Não tenho planos. Meu desejo, de coração, é terminar 2020 vivo e com saúde, entregando uma cidade melhor para meu sucessor ou sucessora”.

Abaixo, confira a transmissão da entrevista no Facebook da Tribuna Band News FM, a partir do vigésimo minuto do vídeo:

Confira o Jornal Primeira Edição desta segunda-feira (23)

Apresentação de Nonato Albuquerque e Felipe Sampaio

Posted by Tribuna Bandnews FM on Monday, December 23, 2019

Publicidade

Dê sua opinião

SALDO DE 2019

“Melhor situação dos últimos 7 anos”, declara Roberto Cláudio sobre cofres municipais em penúltimo ano de gestão

Roberto Cláudio também destacou a liderança de Fortaleza no ranking de capitais com mais matrículas em escolas de tempo integral e lamentou o atraso em obras públicas

Por Tribuna Bandnews FM em Política

23 de dezembro de 2019 às 14:04

Há 6 meses

O prefeito afirmou que só começará a pensar em sucessão a partir de abril de 2020 (FOTO: TV Jangadeiro/SBT)

Há oito dias de iniciar seu último ano de mandato, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) afirmou que Fortaleza termina 2019 com “a melhor situação financeira dos últimos sete anos”. Na educação, ele também destacou a liderança no ranking de capitais com mais matrículas em escolas de tempo integral. O prefeito ainda lamentou o atraso em obras, como a do Parque Rachel de Queiroz, no bairro Presidente Kennedy.

As declarações foram dadas em entrevista à Tribuna Band News FM nesta segunda-feira (23). Sobre a situação financeira, o pedetista revelou que a prefeitura já garantiu R$ 2 bilhões em investimentos para os próximos anos. Segundo ele, esse valor foi captado em convênios com empresas privadas.

Já na educação, Roberto Cláudio destacou os reconhecimentos e prêmios recebidos no último ano. “Fortaleza, pelo Senso do MEC, tem o maior número de matrículas em tempo integral. É a capital líder nesse indicador. Há oito anos, não tinha nenhuma e hoje são 42% das matrículas. É a capital com mais vaga de creche, temos mais do que São Paulo”, comemorou.

Ao falar sobre as pendências, o líder da administração municipal lamentou que entregará somente duas etapas das obras na Praça Rachel de Queiroz. “Queria ter começado até outubro ou novembro, mas a gente só vai conseguir começar na segunda semana de janeiro. Queria entregar quatro etapas e entregarei duas”, ponderou, acrescentando outras duas reformas pendentes: Cidade da Criança e Beira Rio.

Às vésperas do Réveillon 2020, o prefeito também comemorou a boa procura de Fortaleza por parte dos turistas. “Tudo indica que somos o destino mais procurado no Nordeste inteiro”, celebrou. Ainda segundo ele, o valor gasto nesta edição da festa “não está fechado”, mas 50% será pago por empresas patrocinadoras. “Nos anos anteriores, variou de R$ 4 a 5 milhões”, estimou.

Roberto Cláudio também comentou os desafios para o setor da saúde, falou sobre sua relação com o Governo Federal, fez um balanço das obras em mobilidade urbana no ano de 2019 e revelou que seu partido só começará a pensar em um candidato á sucessão a partir de abril de 2020. Confira outros destaques da conversa:

Saúde

“Saúde é o maior desafio de todas as cidades brasileiras. Todos têm problema na gestão com saúde. Nossa Constituição se compromete a entregar saúde adequada, mas o Governo Federal não está cumprindo, deixando tudo no lombo dos municípios. Temos repasses, mas são muito insuficientes”.

Relação com o Governo Federal

“Eu enxergo várias coisas de forma distinta. Tenho críticas pessoais, mas busco boa convivência em respeito à cidade de Fortaleza. Se eu fosse parlamentar, cobraria todo dia e toda hora aquilo que eu discordo. Não me senti perseguido”.

Mobilidade urbana

“A gente está redobrando os cuidados em alguns trechos de vias de muito fluxo, porque o asfalto cede e aquilo dificulta o acesso. A gente ampliou a área de calça da na Barão do Rio Branco. Era uma via tomada por carros e ambulantes. Aumentamos a área de passeio, de calçada, fizemos quiosques. Estamos com dificuldade com circulação de carros, mas estamos trabalhando em ruas paralelas. Estamos trabalhando também na Praça José de Alencar, até a parte que vai para João Moreira. O Governo do Estado também está fazendo a Adolfo Caminha”.

Feira da José Avelino

“A gente não tem mais aquela feira montada. Isso a gente conseguiu regulamentar. Estamos no meio de uma crise ‘braba’. Essas pessoas precisam tirar sustento para a família em dezembro ou passarão fome ano que vem. Temos que ter sensibilidade com o mercado informal”.

Praça do Ferreira

“A gente recuperou a fonte da praça e entregou há 3 meses o refeitório social para moradores de rua, de domingo a domingo. Oferecemos abrigo para 120 pessoas e pagamos aluguel social para quem optou por não ficar no abrigo. Não tenho problema com a Praça do Ferreira, tenho problema com 220 vidas humanas. Ninguém escolhe morar na rua. São questões complexas. Precisa de muito humanismo, compreensão, paciência para tratar disso”.

Sucessão política

“A cidade tem problemas de toda natureza. Se a gente começa a pensar em sucessão, tira o foco da missão de terminar o que falta, corrigir erros. Mas há preocupação da nossa parte para nos reunirmos a partir de abril e pensar o que tem que continuar sendo feito e o que precisa melhorar. A partir disso, iremos buscar pessoas que queiram continuar esse projeto”.

Pós-2020

“Quero seis meses para estudar, ler, refletir, quero olhar para mim, saber o que mudar. Não tenho planos. Meu desejo, de coração, é terminar 2020 vivo e com saúde, entregando uma cidade melhor para meu sucessor ou sucessora”.

Abaixo, confira a transmissão da entrevista no Facebook da Tribuna Band News FM, a partir do vigésimo minuto do vídeo:

Confira o Jornal Primeira Edição desta segunda-feira (23)

Apresentação de Nonato Albuquerque e Felipe Sampaio

Posted by Tribuna Bandnews FM on Monday, December 23, 2019