TSE acata pedido de reforço da Força Nacional para garantir eleição isenta no 2º turno no Ceará


TSE acata pedido de reforço da Força Nacional para garantir eleição isenta no 2º turno no Ceará

O TSE autorizou o uso de tropas nacionais, em virtude do uso político da Polícia Militar na disputa entre os candidatos a governador Camilo Santana (PT) e Eunício Oliveira (PMDB)

Por Tribuna do Ceará em Política

19 de outubro de 2014 às 16:06

Há 5 anos

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) João Otávio de Noronha autorizou presença de tropas federais em Fortaleza e mais quatro municípios da Região Metropolitana, no 2º turno das eleições, no domingo (26). A decisão se deveu ao uso político da Polícia Militar na disputa entre os candidatos a governador Camilo Santana (PT) e Eunício Oliveira (PMDB).

Além de Fortaleza, também receberão soldados as cidades de Caucaia, Maranguape, Maracanaú e Pacatuba. Na decisão comunicada ao Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), o ministro do TSE destaca a necessidade no reforço na segurança, diante de vários casos de corrupção eleitoral no 1º turno.

A Força Nacional foi acionada para garantir vigilância isenta a possíveis casos de corrupção eleitoral (FOTO: EBC/ Divulgação)

A Força Nacional foi acionada para garantir vigilância isenta a possíveis casos de corrupção eleitoral (FOTO: EBC/ Divulgação)

“O governador do Estado do Ceará concorda com o emprego das forças armadas nos municípios indicados pelo TRE-CE. Ademais, as justificativas apresentadas pelo Ministério Público Eleitoral indicam a necessidade de atuação de força federal nas localidades”, justifica Noronha no documento.

Nesta segunda-feira (20), a presidente do TRE-CE, desembargadora Iracema do Vale, enviará ofício ao Comando da 10ª Região Militar e ao Governo do Estado para tratar dos detalhes da integração do contingente da Força Federal ao efetivo de segurança do Estado.

Cid Gomes defende que existe uma milícia dentro da PM que não quer a eleição de seu candidato Camilo Santana (Foto: Divulgação)

Cid Gomes defende que existe uma milícia dentro da PM que não quer a eleição de seu candidato Camilo Santana (Foto: Divulgação)

A presença da Força Nacional no 2º turno foi solicitada pelo procurador regional eleitoral Rômulo Conrado. No documento encaminhado ao TRE, ele sugere que a atuação da Polícia Militar foi limitada para favorecer a boca-de-urna de militantes da coligação encabeçada pelo governador Cid Gomes (Pros).

Cid apoia Camilo Santana, candidato que teve o maior número de militantes apreendidos. Por isso, o procurador também viu indícios de que lideranças da PM que fazem oposição a Cid Gomes estariam em campanha a favor de Eunício Oliveira, concorrente que também chegou à disputa no 2º turno. Entre eles está o vereador Capitão Wagner (PR), que garantiu o maior número de votos na eleição para deputado estadual.

Publicidade

Dê sua opinião

TSE acata pedido de reforço da Força Nacional para garantir eleição isenta no 2º turno no Ceará

O TSE autorizou o uso de tropas nacionais, em virtude do uso político da Polícia Militar na disputa entre os candidatos a governador Camilo Santana (PT) e Eunício Oliveira (PMDB)

Por Tribuna do Ceará em Política

19 de outubro de 2014 às 16:06

Há 5 anos

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) João Otávio de Noronha autorizou presença de tropas federais em Fortaleza e mais quatro municípios da Região Metropolitana, no 2º turno das eleições, no domingo (26). A decisão se deveu ao uso político da Polícia Militar na disputa entre os candidatos a governador Camilo Santana (PT) e Eunício Oliveira (PMDB).

Além de Fortaleza, também receberão soldados as cidades de Caucaia, Maranguape, Maracanaú e Pacatuba. Na decisão comunicada ao Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), o ministro do TSE destaca a necessidade no reforço na segurança, diante de vários casos de corrupção eleitoral no 1º turno.

A Força Nacional foi acionada para garantir vigilância isenta a possíveis casos de corrupção eleitoral (FOTO: EBC/ Divulgação)

A Força Nacional foi acionada para garantir vigilância isenta a possíveis casos de corrupção eleitoral (FOTO: EBC/ Divulgação)

“O governador do Estado do Ceará concorda com o emprego das forças armadas nos municípios indicados pelo TRE-CE. Ademais, as justificativas apresentadas pelo Ministério Público Eleitoral indicam a necessidade de atuação de força federal nas localidades”, justifica Noronha no documento.

Nesta segunda-feira (20), a presidente do TRE-CE, desembargadora Iracema do Vale, enviará ofício ao Comando da 10ª Região Militar e ao Governo do Estado para tratar dos detalhes da integração do contingente da Força Federal ao efetivo de segurança do Estado.

Cid Gomes defende que existe uma milícia dentro da PM que não quer a eleição de seu candidato Camilo Santana (Foto: Divulgação)

Cid Gomes defende que existe uma milícia dentro da PM que não quer a eleição de seu candidato Camilo Santana (Foto: Divulgação)

A presença da Força Nacional no 2º turno foi solicitada pelo procurador regional eleitoral Rômulo Conrado. No documento encaminhado ao TRE, ele sugere que a atuação da Polícia Militar foi limitada para favorecer a boca-de-urna de militantes da coligação encabeçada pelo governador Cid Gomes (Pros).

Cid apoia Camilo Santana, candidato que teve o maior número de militantes apreendidos. Por isso, o procurador também viu indícios de que lideranças da PM que fazem oposição a Cid Gomes estariam em campanha a favor de Eunício Oliveira, concorrente que também chegou à disputa no 2º turno. Entre eles está o vereador Capitão Wagner (PR), que garantiu o maior número de votos na eleição para deputado estadual.