Aposentado é socorrido em caminhão de lixo por falta de ambulância em Acarape

PRECARIEDADE

Aposentado é socorrido em caminhão de lixo por falta de ambulância em Acarape

Antônio Alves da Silva, de 62 anos, acabou morrendo. A Prefeitura de Acarape informou que as três ambulâncias da cidade estavam em ocorrências

Por Tribuna do Ceará em Saúde

8 de agosto de 2019 às 12:36

Há 4 meses

Aposentado foi levado para o hospital, mas não sobreviveu (FOTO: Reprodução/GMaps)

Homem foi levado a uma unidade de saúde em um caminhão de lixo por não haver nenhuma ambulância disponível no município de Acarape, a 61km de Fortaleza, na última segunda-feira (5). Antônio Alves da Silva, de 62 anos, sofria com enfisema pulmonar e havia acordado com muito cansaço quando precisou ser levado ao hospital.

O aposentado, que foi funcionário da prefeitura por cerca de 20 anos, trabalhava como gari e foi socorrido pelos colegas de profissão. Ele foi encaminhado para Redenção, mas acabou não resistindo.

Antônio sofria com enfisema pulmonar. Na manhã da última segunda-feira, ele havia acordado muito cansado. A esposa, então, foi até o Hospital Municipal de Acarape, pediu uma ambulância, mas o carro havia saído para atender uma outra paciente. Ela ficou aguardando no local.

Ao mesmo tempo, ao passar pela rua do ex-gari, profissionais que trabalhavam limpando as ruas levaram Antônio na cabine do caminhão de lixo para o hospital. Segundo a direção da unidade de saúde, ao chegar ele recebeu os primeiros socorros e foi medicado, mas por ser um caso grave foi encaminhado para o Hospital de Redenção. No entanto, Antônio não resistiu e faleceu.

De acordo com a Secretaria de Saúde do município, há três ambulâncias disponíveis 24 horas para atender a população, mas, no momento, todas estavam em ocorrências. Também foi informado que o médico plantonista saiu antes que o outro médico que assumiria o plantão chegasse.

Um procedimento administrativo interno foi aberto para investigar a responsabilidade dos dois médicos. Por enquanto, eles continuam na escala de trabalho até que as questões judiciais, decisões se serão ou não afastados, sejam definidos.

Confira a reportagem do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT:

Publicidade

Dê sua opinião

PRECARIEDADE

Aposentado é socorrido em caminhão de lixo por falta de ambulância em Acarape

Antônio Alves da Silva, de 62 anos, acabou morrendo. A Prefeitura de Acarape informou que as três ambulâncias da cidade estavam em ocorrências

Por Tribuna do Ceará em Saúde

8 de agosto de 2019 às 12:36

Há 4 meses

Aposentado foi levado para o hospital, mas não sobreviveu (FOTO: Reprodução/GMaps)

Homem foi levado a uma unidade de saúde em um caminhão de lixo por não haver nenhuma ambulância disponível no município de Acarape, a 61km de Fortaleza, na última segunda-feira (5). Antônio Alves da Silva, de 62 anos, sofria com enfisema pulmonar e havia acordado com muito cansaço quando precisou ser levado ao hospital.

O aposentado, que foi funcionário da prefeitura por cerca de 20 anos, trabalhava como gari e foi socorrido pelos colegas de profissão. Ele foi encaminhado para Redenção, mas acabou não resistindo.

Antônio sofria com enfisema pulmonar. Na manhã da última segunda-feira, ele havia acordado muito cansado. A esposa, então, foi até o Hospital Municipal de Acarape, pediu uma ambulância, mas o carro havia saído para atender uma outra paciente. Ela ficou aguardando no local.

Ao mesmo tempo, ao passar pela rua do ex-gari, profissionais que trabalhavam limpando as ruas levaram Antônio na cabine do caminhão de lixo para o hospital. Segundo a direção da unidade de saúde, ao chegar ele recebeu os primeiros socorros e foi medicado, mas por ser um caso grave foi encaminhado para o Hospital de Redenção. No entanto, Antônio não resistiu e faleceu.

De acordo com a Secretaria de Saúde do município, há três ambulâncias disponíveis 24 horas para atender a população, mas, no momento, todas estavam em ocorrências. Também foi informado que o médico plantonista saiu antes que o outro médico que assumiria o plantão chegasse.

Um procedimento administrativo interno foi aberto para investigar a responsabilidade dos dois médicos. Por enquanto, eles continuam na escala de trabalho até que as questões judiciais, decisões se serão ou não afastados, sejam definidos.

Confira a reportagem do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT: