Casal castigava filhos com prisão em quarto escuro sem comer e beber por 24 horas

CRUELDADE

Casal castigava filhos com prisão em quarto escuro sem comer e beber por 24 horas

O casal foi preso por tortura de quatro filhos, desvio de aposentadoria de idoso e estelionato contra comerciantes

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

27 de agosto de 2019 às 10:57

Há 4 semanas

Casal é preso por torturar os filhos. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Uma cearense e um paulista, de 33 e 32 anos respectivamente, foram presos por suspeita de torturar os quatro filhos, com idades entre 2 e 15 anos, e além disso por estelionato, no bairro Lagoa Redonda, em Fortaleza, na última sexta-feira (23).

Uma das menores teria sido estuprada pelo próprio padrasto. Um idoso, pai da suspeita, também teria sido privado de cuidados, além de ter dinheiro da aposentadoria desviado pela dupla.

Os detalhes dos crimes foram divulgados pela Polícia Civil. A investigação teve início no mês de maio, após denúncias de comerciantes da cidade de Monsenhor Tabosa, que teriam sido enganados pelo casal que faziam compras, mas não pagaram pelos produtos.

Foi investigando a suspeita de crime de estelionato, onde 19 comerciantes e pessoas físicas da cidade foram vítimas, que a polícia descobriu que o casal torturava quatro crianças, duas delas filhas apenas da mulher.

Os menores sofriam torturas físicas e mentais, além de passar necessidades. Os menores seriam privados até de alimentação.

Luiz Arthur, titular da Delegacia Municipal de Monsenhor Tabosa, revelou em que estado os policiais encontraram as crianças.

“Elas estavam em uma total situação de abandono e com fome. A mulher afirmou que o homem torturava as crianças. Elas eram submetidas a uma condição degradante, a um intenso sofrimento físico, na condição de serem disciplinadas. Um dos castigos aplicados pelo homem era o chamado ‘plantão’, que consistia em as vítimas ficarem trancafiadas, por 24 horas, em um quarto escuro sem comer e beber”, explicou o delegado durante a coletiva.

A polícia ainda descobriu que um adolescente, um quinto filho, que hoje mora com a avó no Paraná, também era torturado quando estava no Ceará. Foi ele que denunciou que o padrasto havia estuprado a irmã de 8 anos de idade.

Existe ainda a ocorrência de um crime contra a pessoa idosa, já que o casal é suspeito de ficar com benefício da aposentadoria do pai da mulher, e não repassar nenhum valor.

De acordo com profissionais da Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dceca), as crianças foram acolhidas, atendidas por profissionais especializados e serão encaminhadas para a avó, que mora no Paraná. O crime de estupro de vulnerável será apurado pela entidade.

A população pode contribuir com as investigações, repassando informações que possam auxiliar os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou ainda para o número (88) 9.9951-9337, que é o Whatsapp da Delegacia Municipal de Monsenhor Tabosa, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo e o anonimato são garantidos.

Confira reportagem no programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h05 desta terça-feira (27).

Publicidade

Dê sua opinião

CRUELDADE

Casal castigava filhos com prisão em quarto escuro sem comer e beber por 24 horas

O casal foi preso por tortura de quatro filhos, desvio de aposentadoria de idoso e estelionato contra comerciantes

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

27 de agosto de 2019 às 10:57

Há 4 semanas

Casal é preso por torturar os filhos. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Uma cearense e um paulista, de 33 e 32 anos respectivamente, foram presos por suspeita de torturar os quatro filhos, com idades entre 2 e 15 anos, e além disso por estelionato, no bairro Lagoa Redonda, em Fortaleza, na última sexta-feira (23).

Uma das menores teria sido estuprada pelo próprio padrasto. Um idoso, pai da suspeita, também teria sido privado de cuidados, além de ter dinheiro da aposentadoria desviado pela dupla.

Os detalhes dos crimes foram divulgados pela Polícia Civil. A investigação teve início no mês de maio, após denúncias de comerciantes da cidade de Monsenhor Tabosa, que teriam sido enganados pelo casal que faziam compras, mas não pagaram pelos produtos.

Foi investigando a suspeita de crime de estelionato, onde 19 comerciantes e pessoas físicas da cidade foram vítimas, que a polícia descobriu que o casal torturava quatro crianças, duas delas filhas apenas da mulher.

Os menores sofriam torturas físicas e mentais, além de passar necessidades. Os menores seriam privados até de alimentação.

Luiz Arthur, titular da Delegacia Municipal de Monsenhor Tabosa, revelou em que estado os policiais encontraram as crianças.

“Elas estavam em uma total situação de abandono e com fome. A mulher afirmou que o homem torturava as crianças. Elas eram submetidas a uma condição degradante, a um intenso sofrimento físico, na condição de serem disciplinadas. Um dos castigos aplicados pelo homem era o chamado ‘plantão’, que consistia em as vítimas ficarem trancafiadas, por 24 horas, em um quarto escuro sem comer e beber”, explicou o delegado durante a coletiva.

A polícia ainda descobriu que um adolescente, um quinto filho, que hoje mora com a avó no Paraná, também era torturado quando estava no Ceará. Foi ele que denunciou que o padrasto havia estuprado a irmã de 8 anos de idade.

Existe ainda a ocorrência de um crime contra a pessoa idosa, já que o casal é suspeito de ficar com benefício da aposentadoria do pai da mulher, e não repassar nenhum valor.

De acordo com profissionais da Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dceca), as crianças foram acolhidas, atendidas por profissionais especializados e serão encaminhadas para a avó, que mora no Paraná. O crime de estupro de vulnerável será apurado pela entidade.

A população pode contribuir com as investigações, repassando informações que possam auxiliar os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou ainda para o número (88) 9.9951-9337, que é o Whatsapp da Delegacia Municipal de Monsenhor Tabosa, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo e o anonimato são garantidos.

Confira reportagem no programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h05 desta terça-feira (27).