Ciclista morre após ser atropelado por topique na avenida Aguanambi

ACIDENTE FATAL

Ciclista morre após ser atropelado por topique na avenida Aguanambi

De acordo com amigos, o homem identificado como Leandro era guardador de carros nas proximidades da Igreja de Nossa Senhora de Fátima e vivia em situação de rua

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

19 de agosto de 2019 às 09:27

Há 1 mês

A topique envolvida no acidente pertence à Cootace (FOTO: TV Jangadeiro/SBT)

Um ciclista foi atropelado por uma topique na avenida Aguanambi, embaixo do viaduto da avenida 13 de Maio, na tarde do último domingo (18). Segundo testemunhas, a vítima atravessava o trecho que é isolado por uma grade quando foi atingida pelo veículo.

De acordo com amigos, o homem identificado como Leandro era guardador de carros nas proximidades da Igreja de Nossa Senhora de Fátima e vivia em situação de rua. Rômulo Nascimento Batista era amigo da vítima e, apesar de não ter presenciado o acidente, escutou o barulho da colisão.

“Quando olhei, me deparei com ele ao solo e reconheci o Leandro. É um caso lamentável. Ele dormia por aqui, ficava nas ruas. É triste a gente ver um amigo numa situação dessas”, conta o rapaz, que também tem o hábito de atravessar o mesmo trecho em que o atropelamento ocorreu.

Cooperativa dará assistência

A topique envolvida no acidente pertence à Cooperativa de Transportes do Ceará (Cootace) e é utilizada para transportar passageiros de Aquiraz para Fortaleza. Para Agostinho Clécio, presidente da cooperativa, a insistência das pessoas em passar por baixo do viaduto pode causar novos acidentes.

“Tem a passarela e a placa de isolamento, mas, como grade é muito baixa, as pessoas atravessam. Completar essa grade para cima do viaduto vai evitar que outros acidentes aconteçam. Falta também uma travessia adequada para os ciclistas”, alerta.

Clécio também garante que a Cootace dará assistência aos familiares da vítima. Questionado sobre o motorista do veículo, Agostinho o definiu como “um excelente profissional”. “É uma pessoa calma, não bebe, não fuma, não joga, um excelente profissional. Nunca tivemos problemas com ele”, assegura.

Insistência

Pouco mais de 15 minutos depois da vítima ter sido retirada do local, a equipe de reportagem da TV Jangadeiro/SBT se deparou com um ciclista atravessando o mesmo trecho, na parte inferior do viaduto. Marcos Felipe, entregador de comidas, presenciou o acidente, mas acredita que a travessia é “necessária”.

“É muito perigoso, sim. Mas é nosso trabalho. Temos que entregar os pedidos rápido para o cliente. Então, a gente tem que lidar com esse risco. Tinha que ter um sinal que parasse para a gente atravessar”, reflete o jovem.

Confira reportagem no programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h05 desta segunda-feira (19).

Publicidade

Dê sua opinião

ACIDENTE FATAL

Ciclista morre após ser atropelado por topique na avenida Aguanambi

De acordo com amigos, o homem identificado como Leandro era guardador de carros nas proximidades da Igreja de Nossa Senhora de Fátima e vivia em situação de rua

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

19 de agosto de 2019 às 09:27

Há 1 mês

A topique envolvida no acidente pertence à Cootace (FOTO: TV Jangadeiro/SBT)

Um ciclista foi atropelado por uma topique na avenida Aguanambi, embaixo do viaduto da avenida 13 de Maio, na tarde do último domingo (18). Segundo testemunhas, a vítima atravessava o trecho que é isolado por uma grade quando foi atingida pelo veículo.

De acordo com amigos, o homem identificado como Leandro era guardador de carros nas proximidades da Igreja de Nossa Senhora de Fátima e vivia em situação de rua. Rômulo Nascimento Batista era amigo da vítima e, apesar de não ter presenciado o acidente, escutou o barulho da colisão.

“Quando olhei, me deparei com ele ao solo e reconheci o Leandro. É um caso lamentável. Ele dormia por aqui, ficava nas ruas. É triste a gente ver um amigo numa situação dessas”, conta o rapaz, que também tem o hábito de atravessar o mesmo trecho em que o atropelamento ocorreu.

Cooperativa dará assistência

A topique envolvida no acidente pertence à Cooperativa de Transportes do Ceará (Cootace) e é utilizada para transportar passageiros de Aquiraz para Fortaleza. Para Agostinho Clécio, presidente da cooperativa, a insistência das pessoas em passar por baixo do viaduto pode causar novos acidentes.

“Tem a passarela e a placa de isolamento, mas, como grade é muito baixa, as pessoas atravessam. Completar essa grade para cima do viaduto vai evitar que outros acidentes aconteçam. Falta também uma travessia adequada para os ciclistas”, alerta.

Clécio também garante que a Cootace dará assistência aos familiares da vítima. Questionado sobre o motorista do veículo, Agostinho o definiu como “um excelente profissional”. “É uma pessoa calma, não bebe, não fuma, não joga, um excelente profissional. Nunca tivemos problemas com ele”, assegura.

Insistência

Pouco mais de 15 minutos depois da vítima ter sido retirada do local, a equipe de reportagem da TV Jangadeiro/SBT se deparou com um ciclista atravessando o mesmo trecho, na parte inferior do viaduto. Marcos Felipe, entregador de comidas, presenciou o acidente, mas acredita que a travessia é “necessária”.

“É muito perigoso, sim. Mas é nosso trabalho. Temos que entregar os pedidos rápido para o cliente. Então, a gente tem que lidar com esse risco. Tinha que ter um sinal que parasse para a gente atravessar”, reflete o jovem.

Confira reportagem no programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h05 desta segunda-feira (19).