Justiça decreta prisão de prefeito afastado de Uruburetama, acusado de abusar sexualmente de pacientes

PRISÃO PREVENTIVA

Justiça decreta prisão de prefeito afastado de Uruburetama, acusado de abusar sexualmente de pacientes

Pedido de prisão foi divulgado nesta sexta-feira (19) pela Promotoria de Justiça de Uruburetama. José Hilson de Paiva, de 70 anos, foi afastado do cargo pela Câmara

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

19 de julho de 2019 às 12:01

Há 1 mês

José Hilson é acusado de abusar sexualmente de pacientes. (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

A Justiça decretou a prisão do médico e prefeito afastado de Uruburetama, José Hilson de Paiva, acusado de abusar sexualmente de pacientes durante atendimentos ginecológicos na cidade e no município de Cruz, também no Ceará. Também foram determinados mandados de busca e apreensão em dois endereços.

De acordo com as vítimas, os crimes vêm ocorrendo há mais de 30 anos, desde 1986. Os crimes eram filmados por ele mesmo, sem permissão das mulheres. A investigação procura vítimas recentes para evitar impunidade de médico acusado de crimes sexuais.

Na quarta-feira (17), o Ministério Público do Ceará havia solicitado a prisão preventiva do acusado. O argumento da Promotoria de Justiça de Uruburetama, publicado nesta quinta-feira (18), para solicitar a prisão foi de que José Hilson poderia comprometer as investigações do caso por conta da “influência no município e no meio político”. Também foi determinado pelo Poder Judiciário mandado de busca e apreensão em dois endereços, um em Uruburetama, outro em Fortaleza.

Entenda o caso

Afastado do cargo de prefeito de Uruburetama e expulso de seu partido, o PCdoB, José Hilson de Paiva, de 70 anos, é acusado de abusar sexualmente e pacientes durante atendimento no hospital municipal e numa clínica particular da cidade e também no município de Cruz, a 150 km de distância.

Médico clínico geral, ele atuava também como ginecologista mesmo sem a especialidade. O suspeito é alvo de denúncias há pelo menos três décadas, desde 1986. Defensoria Pública e OAB estiveram na cidade para dar suporte a vítimas.

Pelo menos 63 vídeos que mostram 23 mulheres, onde 17 podem ter sido abusadas, foram entregues ao Ministério Público do Ceará. A Promotoria de Justiça de Uruburetama investiga o caso.

O MP pediu a prisão preventiva do acusado e procura vítimas recentes para evitar impunidade do médico. Uma comissão de apoio às vítimas, formada pela Defensoria Pública, OAB e outras entidades, foi visitar a cidade para dar suporte psicológico e jurídico.

Defesa

A defesa do médico alega que os vídeos nos quais ele aparece abusando sexualmente de pacientes não são recentes, já que José Hilson não faz mais atendimentos desde 2017.

Publicidade

Dê sua opinião

PRISÃO PREVENTIVA

Justiça decreta prisão de prefeito afastado de Uruburetama, acusado de abusar sexualmente de pacientes

Pedido de prisão foi divulgado nesta sexta-feira (19) pela Promotoria de Justiça de Uruburetama. José Hilson de Paiva, de 70 anos, foi afastado do cargo pela Câmara

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

19 de julho de 2019 às 12:01

Há 1 mês

José Hilson é acusado de abusar sexualmente de pacientes. (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

A Justiça decretou a prisão do médico e prefeito afastado de Uruburetama, José Hilson de Paiva, acusado de abusar sexualmente de pacientes durante atendimentos ginecológicos na cidade e no município de Cruz, também no Ceará. Também foram determinados mandados de busca e apreensão em dois endereços.

De acordo com as vítimas, os crimes vêm ocorrendo há mais de 30 anos, desde 1986. Os crimes eram filmados por ele mesmo, sem permissão das mulheres. A investigação procura vítimas recentes para evitar impunidade de médico acusado de crimes sexuais.

Na quarta-feira (17), o Ministério Público do Ceará havia solicitado a prisão preventiva do acusado. O argumento da Promotoria de Justiça de Uruburetama, publicado nesta quinta-feira (18), para solicitar a prisão foi de que José Hilson poderia comprometer as investigações do caso por conta da “influência no município e no meio político”. Também foi determinado pelo Poder Judiciário mandado de busca e apreensão em dois endereços, um em Uruburetama, outro em Fortaleza.

Entenda o caso

Afastado do cargo de prefeito de Uruburetama e expulso de seu partido, o PCdoB, José Hilson de Paiva, de 70 anos, é acusado de abusar sexualmente e pacientes durante atendimento no hospital municipal e numa clínica particular da cidade e também no município de Cruz, a 150 km de distância.

Médico clínico geral, ele atuava também como ginecologista mesmo sem a especialidade. O suspeito é alvo de denúncias há pelo menos três décadas, desde 1986. Defensoria Pública e OAB estiveram na cidade para dar suporte a vítimas.

Pelo menos 63 vídeos que mostram 23 mulheres, onde 17 podem ter sido abusadas, foram entregues ao Ministério Público do Ceará. A Promotoria de Justiça de Uruburetama investiga o caso.

O MP pediu a prisão preventiva do acusado e procura vítimas recentes para evitar impunidade do médico. Uma comissão de apoio às vítimas, formada pela Defensoria Pública, OAB e outras entidades, foi visitar a cidade para dar suporte psicológico e jurídico.

Defesa

A defesa do médico alega que os vídeos nos quais ele aparece abusando sexualmente de pacientes não são recentes, já que José Hilson não faz mais atendimentos desde 2017.