Justiça nega pedido de prisão domiciliar para médico acusado de crimes sexuais

PRISÃO MANTIDA

Justiça nega pedido de prisão domiciliar para médico acusado de crimes sexuais

José Hilson de Paiva, de 70 anos, é acusado de abusar sexualmente de pacientes durante exames ginecológicos nas cidades de Uruburetama e Cruz

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

25 de julho de 2019 às 18:33

Há 10 meses

José Hilson de Paiva, prefeito afastado de Uruburetama, é acusado de abusar sexualmente de pacientes. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Nesta quinta-feira (25), a Justiça negou o pedido de prisão domiciliar para o prefeito e médico Hilson de Paiva, de 70 anos, acusado de crimes sexuais contra pacientes em pelo menos dois municípios, Uruburetama e Cruz. A decisão foi proferida pelo juiz José Cleber Moura do Nascimento.

O médico está preso desde a última sexta-feira e também teve negado um pedido para anular a sessão da Câmara de Uruburetama, que havia decidido pelo afastamento dele do cargo de prefeito há dez dias.

A defesa alegava que os vereadores afastaram o prefeito por uma questão pessoal e sem relação com a administração pública. Mais de dez mulheres acusam José Hilson de Paiva de crimes sexuais em Uruburetama e Cruz, onde ele atendia em hospital público e em uma clínica particular.

Segundo as vítimas, a violência ocorria no momento em que ele atendia pacientes no consultório, como mostram os vídeos gravados pelo próprio acusado.

Publicidade

Dê sua opinião

PRISÃO MANTIDA

Justiça nega pedido de prisão domiciliar para médico acusado de crimes sexuais

José Hilson de Paiva, de 70 anos, é acusado de abusar sexualmente de pacientes durante exames ginecológicos nas cidades de Uruburetama e Cruz

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

25 de julho de 2019 às 18:33

Há 10 meses

José Hilson de Paiva, prefeito afastado de Uruburetama, é acusado de abusar sexualmente de pacientes. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Nesta quinta-feira (25), a Justiça negou o pedido de prisão domiciliar para o prefeito e médico Hilson de Paiva, de 70 anos, acusado de crimes sexuais contra pacientes em pelo menos dois municípios, Uruburetama e Cruz. A decisão foi proferida pelo juiz José Cleber Moura do Nascimento.

O médico está preso desde a última sexta-feira e também teve negado um pedido para anular a sessão da Câmara de Uruburetama, que havia decidido pelo afastamento dele do cargo de prefeito há dez dias.

A defesa alegava que os vereadores afastaram o prefeito por uma questão pessoal e sem relação com a administração pública. Mais de dez mulheres acusam José Hilson de Paiva de crimes sexuais em Uruburetama e Cruz, onde ele atendia em hospital público e em uma clínica particular.

Segundo as vítimas, a violência ocorria no momento em que ele atendia pacientes no consultório, como mostram os vídeos gravados pelo próprio acusado.