Ladrão furta letreiro de bronze do prédio da Associação Cearense de Imprensa

OUSADIA

Ladrão furta letreiro de bronze do prédio da Associação Cearense de Imprensa

Cerca de 40 letras de bronze formavam o nome da associação e do prédio, localizado próximo à Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

31 de julho de 2018 às 14:57

Há 2 anos
Associação Cearense de Imprensa

Associação Cearense de Imprensa tem letreiros furtados. (FOTO: Reprodução/ACI)

Durante o fim de semana, os letreiros da fachada do prédio da Associação Cearense de Imprensa (ACI), no Centro de Fortaleza, foram furtados. São pelo menos 40 peças feitas em bronze, que estavam dispostas na entrada do Edifício Perboyre e Silva, próximo à Praça do Ferreira, a mais tradicional do bairro. A diretoria registrou Boletim de Ocorrência (BO) e espera reaver os itens.

O edifício, que tem sete andares, fica na Rua Floriano Peixoto. A ACI funciona do 4º ao 7º andares, enquanto os outros espaços são alugados para empresas. Os letreiros ficavam na entrada do prédio. As peças formavam a inscrição “ACI Associação Cearense de Imprensa Ed. Perboyre e Silva 735”.

A suspeita é de que o furto tenha ocorrido durante a tarde ou noite, já que o funcionamento do prédio vai até as 14h do sábado, e a diretoria tomou conhecimento do ocorrido na manhã de domingo. Um funcionário passou em frente ao local, observou que os letreiros haviam sido retirados e alertou a todos.

“Foi registrado um BO. O objetivo é recuperar os letreiros. Lógico que temos consciência de que é difícil, mas é o que pretendemos. Mas nossa preocupação maior é com a segurança dos funcionários, inquilinos, sócios… Na Praça do Ferreira, a gente percebe um clima ruim, os moradores de rua ficam ocupando aquele espaço. Ainda tem a sujeira, que é muito grande. É preciso mudar. É preciso que o poder público dê mais atenção ao Centro”, comentou Salomão de Castro, presidente da ACI.

Não há câmeras de segurança no prédio, mas a associação espera conseguir alguma informação a partir das que existem na região. O 34º Distrito Policial investiga o caso.

Publicidade

Dê sua opinião

OUSADIA

Ladrão furta letreiro de bronze do prédio da Associação Cearense de Imprensa

Cerca de 40 letras de bronze formavam o nome da associação e do prédio, localizado próximo à Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

31 de julho de 2018 às 14:57

Há 2 anos
Associação Cearense de Imprensa

Associação Cearense de Imprensa tem letreiros furtados. (FOTO: Reprodução/ACI)

Durante o fim de semana, os letreiros da fachada do prédio da Associação Cearense de Imprensa (ACI), no Centro de Fortaleza, foram furtados. São pelo menos 40 peças feitas em bronze, que estavam dispostas na entrada do Edifício Perboyre e Silva, próximo à Praça do Ferreira, a mais tradicional do bairro. A diretoria registrou Boletim de Ocorrência (BO) e espera reaver os itens.

O edifício, que tem sete andares, fica na Rua Floriano Peixoto. A ACI funciona do 4º ao 7º andares, enquanto os outros espaços são alugados para empresas. Os letreiros ficavam na entrada do prédio. As peças formavam a inscrição “ACI Associação Cearense de Imprensa Ed. Perboyre e Silva 735”.

A suspeita é de que o furto tenha ocorrido durante a tarde ou noite, já que o funcionamento do prédio vai até as 14h do sábado, e a diretoria tomou conhecimento do ocorrido na manhã de domingo. Um funcionário passou em frente ao local, observou que os letreiros haviam sido retirados e alertou a todos.

“Foi registrado um BO. O objetivo é recuperar os letreiros. Lógico que temos consciência de que é difícil, mas é o que pretendemos. Mas nossa preocupação maior é com a segurança dos funcionários, inquilinos, sócios… Na Praça do Ferreira, a gente percebe um clima ruim, os moradores de rua ficam ocupando aquele espaço. Ainda tem a sujeira, que é muito grande. É preciso mudar. É preciso que o poder público dê mais atenção ao Centro”, comentou Salomão de Castro, presidente da ACI.

Não há câmeras de segurança no prédio, mas a associação espera conseguir alguma informação a partir das que existem na região. O 34º Distrito Policial investiga o caso.