Mãe não aceita prisão domiciliar de pai que tentou estuprar filha

PEDE REGIME FECHADO

Mãe não aceita prisão domiciliar de pai que tentou estuprar filha em Fortaleza

A mãe teme que o ex-companheiro volte a agredi-la ou tente estuprar a filha mais uma vez. Segundo ela, o homem é uma pessoa perigosa

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

23 de janeiro de 2020 às 10:40

Há 6 meses

A mãe da criança ainda teme que o ex-companheiro tente algo contra ela ou sua filha (FOTO: TV Jangadeiro/SBT)

Repercutiu bastante em 2019 o caso de uma menina de 10 anos que pulou do primeiro andar de uma residência em Fortaleza para escapar da tentativa de estupro por parte do pai. Até hoje, a criança e sua mãe vivem amedrontadas. O motivo é que o homem não está cumprindo regime fechado. Após comprovar problemas de saúde, foi determinado pela Justiça que o pai utilize tornozeleira eletrônica e cumpra prisão domiciliar.

A mãe da criança diz que, nas redes sociais, o homem aparenta estar recuperado das dificuldades de locomoção alegadas durante o processo. “Ele conseguiu o regime aberto apenas pela doença, mas não está mais doente. Está ileso. Me disse que estava recuperado no dia que me ameaçou. A Justiça tem que rever esse caso, pedir um novo laudo”, sugere a mulher, amedrontada.

A mãe teme que o ex-companheiro volte a agredi-la ou tente estuprar a filha mais uma vez. Segundo ela, o homem é uma pessoa “violenta, perigosa, altamente psicopata” e responde a vários processos por agressão contra mulheres. “Ele batia até na mãe dele. Oferece perigo, sim. Já me disse que não tem nada a perder. A qualquer hora, eu posso ser vítima novamente”, afirma.

Desde setembro, quando tudo aconteceu, a menina está sendo acompanhada gratuitamente por psicólogos. Aos poucos, mãe e filha tentam reconstruir suas vidas. “Para graça do senhor, existe a Rede Aquarela. Ela foi bem acolhida. A gente está indo com um passo na frente do outro. Se tivesse Justiça, a gente estaria melhor”, pondera.

Caso chocante

A garota de 10 anos passava o fim de semana com o pai, quando ele tentou estuprá-la. O caso aconteceu na manhã do dia 8 de setembro de 2019, no bairro Granja Lisboa, em Fortaleza. Após se desvencilhar do adulto, a criança pulou do primeiro andar do imóvel onde estavam.

O infrator, que tinha antecedentes por violência doméstica, roubo e furto, fugiu. Quase um mês depois, ele foi preso dentro de um hospital. À época, o pai estava internado na mesma unidade de saúde que a filha.

Confira mais na reportagem do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h05 desta quinta-feira (23).

Publicidade

Dê sua opinião

PEDE REGIME FECHADO

Mãe não aceita prisão domiciliar de pai que tentou estuprar filha em Fortaleza

A mãe teme que o ex-companheiro volte a agredi-la ou tente estuprar a filha mais uma vez. Segundo ela, o homem é uma pessoa perigosa

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

23 de janeiro de 2020 às 10:40

Há 6 meses

A mãe da criança ainda teme que o ex-companheiro tente algo contra ela ou sua filha (FOTO: TV Jangadeiro/SBT)

Repercutiu bastante em 2019 o caso de uma menina de 10 anos que pulou do primeiro andar de uma residência em Fortaleza para escapar da tentativa de estupro por parte do pai. Até hoje, a criança e sua mãe vivem amedrontadas. O motivo é que o homem não está cumprindo regime fechado. Após comprovar problemas de saúde, foi determinado pela Justiça que o pai utilize tornozeleira eletrônica e cumpra prisão domiciliar.

A mãe da criança diz que, nas redes sociais, o homem aparenta estar recuperado das dificuldades de locomoção alegadas durante o processo. “Ele conseguiu o regime aberto apenas pela doença, mas não está mais doente. Está ileso. Me disse que estava recuperado no dia que me ameaçou. A Justiça tem que rever esse caso, pedir um novo laudo”, sugere a mulher, amedrontada.

A mãe teme que o ex-companheiro volte a agredi-la ou tente estuprar a filha mais uma vez. Segundo ela, o homem é uma pessoa “violenta, perigosa, altamente psicopata” e responde a vários processos por agressão contra mulheres. “Ele batia até na mãe dele. Oferece perigo, sim. Já me disse que não tem nada a perder. A qualquer hora, eu posso ser vítima novamente”, afirma.

Desde setembro, quando tudo aconteceu, a menina está sendo acompanhada gratuitamente por psicólogos. Aos poucos, mãe e filha tentam reconstruir suas vidas. “Para graça do senhor, existe a Rede Aquarela. Ela foi bem acolhida. A gente está indo com um passo na frente do outro. Se tivesse Justiça, a gente estaria melhor”, pondera.

Caso chocante

A garota de 10 anos passava o fim de semana com o pai, quando ele tentou estuprá-la. O caso aconteceu na manhã do dia 8 de setembro de 2019, no bairro Granja Lisboa, em Fortaleza. Após se desvencilhar do adulto, a criança pulou do primeiro andar do imóvel onde estavam.

O infrator, que tinha antecedentes por violência doméstica, roubo e furto, fugiu. Quase um mês depois, ele foi preso dentro de um hospital. À época, o pai estava internado na mesma unidade de saúde que a filha.

Confira mais na reportagem do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h05 desta quinta-feira (23).