Mulher tenta evitar que base-móvel da polícia seja transferida

PAPICU

Mulher sobe em caminhão para evitar que base-móvel da polícia seja transferida

Aline Bezerra, moradora do bairro, subiu no caminhão-guincho para impedir a ação e afirmou que só sairia sob ordem judicial

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

14 de junho de 2019 às 19:27

Há 5 meses
Aline Bezerra disse que só sairia do caminhã-guincho com ordem judicial (FOTO: Cristiano Pantanal/TV Jangadeiro)

Aline Bezerra disse que só sairia do caminhão-guincho com ordem judicial (FOTO: Cristiano Pantanal / TV Jangadeiro)

A população do Bairro Papicu protestou na tarde desta sexta-feira (14) contra a retirada de uma base móvel do Programa de Proteção Territorial (Proteger), localizado no cruzamento das Ruas Amélia Benebien e Raimundo Oliveira Neto.

Aline Bezerra, moradora do bairro, subiu no caminhão-guincho para impedir a ação e afirmou que só sairia sob ordem judicial.

O container seria transferido para uma rua próximo ao Hospital Geral de Fortaleza (HGF). Segundo informações obtidas no local pela equipe de reportagem do Barra Pesada, a ordem de transferência teria partido do secretário-adjunto da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Quando os responsáveis pela retirada do equipamento chegaram ao local, a população resolveu se manifestar. Segundo os moradores, a ação seria um prejuízo à comunidade, uma vez que o índice de assalto e violência teriam diminuído com a chegada da base do programa.

A base do Proteger permaneceu no local (Cristiano Pantanal / TV Jangadeiro)

A base do Proteger permaneceu no local (Cristiano Pantanal / TV Jangadeiro)

Após duas horas de impasse, uma ordem autorizou a permanência do container. O equipamento foi remontado e, a princípio, deve continuar no local.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social informou que a base no bairro Papicu, Área Integrada de Segurança 10 (AIS 10), será realocada para um ponto nas proximidades.

A ação, de acordo com a SSPDS, tem o objetivo de atender, estrategicamente, o fluxo maior de pessoas que circulam próximo ao HGF e a um shopping situado na região.

Publicidade

Dê sua opinião

PAPICU

Mulher sobe em caminhão para evitar que base-móvel da polícia seja transferida

Aline Bezerra, moradora do bairro, subiu no caminhão-guincho para impedir a ação e afirmou que só sairia sob ordem judicial

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

14 de junho de 2019 às 19:27

Há 5 meses
Aline Bezerra disse que só sairia do caminhã-guincho com ordem judicial (FOTO: Cristiano Pantanal/TV Jangadeiro)

Aline Bezerra disse que só sairia do caminhão-guincho com ordem judicial (FOTO: Cristiano Pantanal / TV Jangadeiro)

A população do Bairro Papicu protestou na tarde desta sexta-feira (14) contra a retirada de uma base móvel do Programa de Proteção Territorial (Proteger), localizado no cruzamento das Ruas Amélia Benebien e Raimundo Oliveira Neto.

Aline Bezerra, moradora do bairro, subiu no caminhão-guincho para impedir a ação e afirmou que só sairia sob ordem judicial.

O container seria transferido para uma rua próximo ao Hospital Geral de Fortaleza (HGF). Segundo informações obtidas no local pela equipe de reportagem do Barra Pesada, a ordem de transferência teria partido do secretário-adjunto da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Quando os responsáveis pela retirada do equipamento chegaram ao local, a população resolveu se manifestar. Segundo os moradores, a ação seria um prejuízo à comunidade, uma vez que o índice de assalto e violência teriam diminuído com a chegada da base do programa.

A base do Proteger permaneceu no local (Cristiano Pantanal / TV Jangadeiro)

A base do Proteger permaneceu no local (Cristiano Pantanal / TV Jangadeiro)

Após duas horas de impasse, uma ordem autorizou a permanência do container. O equipamento foi remontado e, a princípio, deve continuar no local.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social informou que a base no bairro Papicu, Área Integrada de Segurança 10 (AIS 10), será realocada para um ponto nas proximidades.

A ação, de acordo com a SSPDS, tem o objetivo de atender, estrategicamente, o fluxo maior de pessoas que circulam próximo ao HGF e a um shopping situado na região.