Mulheres fazem ato contra agressões de proprietário de restaurante à garçonete grávida

MANIFESTAÇÃO

Mulheres fazem ato contra agressões de proprietário de restaurante à garçonete grávida

No protesto, o coletivo de mulheres “Mexeu com uma mexeu com todas” pediu ainda celeridade nas investigações e punição dos envolvidos

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

7 de novembro de 2019 às 19:16

Há 4 dias

Protesto aconteceu na Avenida Santos Dumont (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Mulheres fizeram ato de repúdio contra as agressões que teriam sido praticadas pelo proprietário de um restaurante a uma garçonete grávida de outro estabelecimento. A manifestação aconteceu nesta quinta-feira (7), na Avenida Santos Dumont, em Fortaleza.

“As agressões físicas sofridas por uma trabalhadora grávida, além de outros trabalhadores do restaurante Le Cousinier, por parte de Rodrigo Viriato, sócio do Grupo Alices, que detém o Café Viriato, além de outros oito estabelecimentos, demonstram a banalidade da violência cometida contra a mulher na sociedade brasileira”, diz o manifesto entregue pelas organizadoras do ato, o coletivo de mulheres “Mexeu com uma mexeu com todas”. No protesto, elas pediram ainda celeridade nas investigações e punição dos envolvidos.

Na última segunda-feira (4), o Le Cuisinier publicou uma nota de repúdio sobre o caso. O post diz que uma garçonete grávida e outros funcionários foram agredidos verbal e fisicamente por um cliente. “Pedimos desculpas a todos os nossos clientes e amigos que presenciaram esse triste e revoltante episódio”.

O restaurante Café Viriato publicou uma nota de esclarecimento, na quarta-feira (6), sobre o ocorrido no restaurante Le Cuisinier, no bairro Parque Manibura, na última sexta-feira (1°), em nome do empresário Rodrigo Viriato, que seria o agressor.

“O Grupo Alices lamenta o ocorrido envolvendo o empresário Rodrigo Viriato, no último dia 1º novembro e deixa claro seu posicionamento de honestidade e respeito para com todas as pessoas”, diz parte da nota. A direção do Grupo Alices, responsável pelo Café Viriato, afirmou, ainda, que após o ocorrido, um dos sócios do grupo esteve no local das agressões para se desculpar e oferecer apoio.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), as vítimas já foram ouvidas e realizaram exames periciais. A SSPDS também informou que irá notificar o autor das agressões e requisitar imagens de câmeras de monitoramento do local.

Publicidade

Dê sua opinião

MANIFESTAÇÃO

Mulheres fazem ato contra agressões de proprietário de restaurante à garçonete grávida

No protesto, o coletivo de mulheres “Mexeu com uma mexeu com todas” pediu ainda celeridade nas investigações e punição dos envolvidos

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

7 de novembro de 2019 às 19:16

Há 4 dias

Protesto aconteceu na Avenida Santos Dumont (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Mulheres fizeram ato de repúdio contra as agressões que teriam sido praticadas pelo proprietário de um restaurante a uma garçonete grávida de outro estabelecimento. A manifestação aconteceu nesta quinta-feira (7), na Avenida Santos Dumont, em Fortaleza.

“As agressões físicas sofridas por uma trabalhadora grávida, além de outros trabalhadores do restaurante Le Cousinier, por parte de Rodrigo Viriato, sócio do Grupo Alices, que detém o Café Viriato, além de outros oito estabelecimentos, demonstram a banalidade da violência cometida contra a mulher na sociedade brasileira”, diz o manifesto entregue pelas organizadoras do ato, o coletivo de mulheres “Mexeu com uma mexeu com todas”. No protesto, elas pediram ainda celeridade nas investigações e punição dos envolvidos.

Na última segunda-feira (4), o Le Cuisinier publicou uma nota de repúdio sobre o caso. O post diz que uma garçonete grávida e outros funcionários foram agredidos verbal e fisicamente por um cliente. “Pedimos desculpas a todos os nossos clientes e amigos que presenciaram esse triste e revoltante episódio”.

O restaurante Café Viriato publicou uma nota de esclarecimento, na quarta-feira (6), sobre o ocorrido no restaurante Le Cuisinier, no bairro Parque Manibura, na última sexta-feira (1°), em nome do empresário Rodrigo Viriato, que seria o agressor.

“O Grupo Alices lamenta o ocorrido envolvendo o empresário Rodrigo Viriato, no último dia 1º novembro e deixa claro seu posicionamento de honestidade e respeito para com todas as pessoas”, diz parte da nota. A direção do Grupo Alices, responsável pelo Café Viriato, afirmou, ainda, que após o ocorrido, um dos sócios do grupo esteve no local das agressões para se desculpar e oferecer apoio.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), as vítimas já foram ouvidas e realizaram exames periciais. A SSPDS também informou que irá notificar o autor das agressões e requisitar imagens de câmeras de monitoramento do local.