Polícia prende médico que tentava vender aparelho de ultrassom furtado da Uece

CRIME DE RECEPTAÇÃO

Polícia prende médico que tentava vender aparelho de ultrassom furtado da Uece

O médico confessou que pagou R$ 2.400 pelo equipamento, avaliado em R$ 45 mil, e foi flagrado tentando vendê-lo por R$ 11 mil

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

9 de abril de 2019 às 10:27

Há 3 meses

Polícia Civil prende em flagrante responsáveis por venda de equipamento furtado da UECE. (FOTO: Divulgação/Polícia Civil)

Um equipamento de ultrassom que pertence ao curso de Veterinária da Universidade Estadual do Ceará (Uece) foi furtado de dentro do carro de uma aluna na Praça da Gentilândia, no Benfica, em Fortaleza, em fevereiro. Durante investigações, os policiais do 11º DP descobriram que o equipamento, único no estado, que custou R$ 45 mil, estava sendo vendido por R$ 11 mil por um médico cirurgião em um grupo de veterinários. As informações são do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.

Quatro pessoas foram presas em flagrante. As informações foram repassadas em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (8), no bairro Pan-Americano, em Fortaleza.

A polícia criou perfis em grupos de compra e venda no Whatsapp e identificou o médico oferecendo o aparelho. Na delegacia, ele confessou que pagou R$ 2.400 pelo equipamento, que foi encontrado ainda com o tombo da universidade. O profissional foi autuado em flagrante por receptação e liberado mediante ao pagamento de fiança.

“O médico colaborou com a investigação e, através do celular dele, começamos uma nova negociação com a pessoa que tinha fornecido inicialmente esse ultrassom para ele. Marcamos um novo encontro, como se fosse o médico, dizendo que ele estaria interessado em ter um um eletrocardiograma. Comparecemos ao consultório do médico, como se fôssemos compradores, e esse receptador apareceu com um eletrocardiograma. Ele foi preso em flagrante. O aparelho não tinha nota fiscal, e nos certificamos que o aparelho havia sido furtado alguns dias atrás de uma clínica cardiológica, no Conjunto Ceará”, revela a titular da delegacia, Ana Scotti.

Com Ricardo José Maia Morais e Francisco Dierle de Souza, a polícia encontrou equipamentos furtados de uma clínica cardiológica no Conjunto Ceará na última quarta feira. Os dois foram autuados por receptação qualificada e estão presos. Já Francisco Romulo Rodrigues Campos, conhecido como Peru, foi autuado por receptação, pagou a fiança e foi e liberado.

A delegada alerta sobre o risco de se comprar qualquer produto sem nota fiscal. A polícia vai continuar com as investigações para capturar os responsáveis pelo furto dos equipamentos .

“As pessoas não tem ideia de que isso é um crime grave e que realmente ela pode ser flagranteada pelo crime de receptação. Há o direito a fiança quando não é modalidade qualificada de comércio. Se for atividade comercial, nem fiança tem. Então, as pessoas chegam assustadas na delegacia, ‘ah, mas eu comprei de boa fé”. Como que você compra de boa fé um aparelho que vale R$ 45 mil por R$ 2.400? A gente tem que pensar e realmente não adquirir esse tipo de mercadoria”, alertou a delegada.

Confira reportagem no programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h10 desta terça-feira (9).

Publicidade

Dê sua opinião

CRIME DE RECEPTAÇÃO

Polícia prende médico que tentava vender aparelho de ultrassom furtado da Uece

O médico confessou que pagou R$ 2.400 pelo equipamento, avaliado em R$ 45 mil, e foi flagrado tentando vendê-lo por R$ 11 mil

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

9 de abril de 2019 às 10:27

Há 3 meses

Polícia Civil prende em flagrante responsáveis por venda de equipamento furtado da UECE. (FOTO: Divulgação/Polícia Civil)

Um equipamento de ultrassom que pertence ao curso de Veterinária da Universidade Estadual do Ceará (Uece) foi furtado de dentro do carro de uma aluna na Praça da Gentilândia, no Benfica, em Fortaleza, em fevereiro. Durante investigações, os policiais do 11º DP descobriram que o equipamento, único no estado, que custou R$ 45 mil, estava sendo vendido por R$ 11 mil por um médico cirurgião em um grupo de veterinários. As informações são do programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.

Quatro pessoas foram presas em flagrante. As informações foram repassadas em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (8), no bairro Pan-Americano, em Fortaleza.

A polícia criou perfis em grupos de compra e venda no Whatsapp e identificou o médico oferecendo o aparelho. Na delegacia, ele confessou que pagou R$ 2.400 pelo equipamento, que foi encontrado ainda com o tombo da universidade. O profissional foi autuado em flagrante por receptação e liberado mediante ao pagamento de fiança.

“O médico colaborou com a investigação e, através do celular dele, começamos uma nova negociação com a pessoa que tinha fornecido inicialmente esse ultrassom para ele. Marcamos um novo encontro, como se fosse o médico, dizendo que ele estaria interessado em ter um um eletrocardiograma. Comparecemos ao consultório do médico, como se fôssemos compradores, e esse receptador apareceu com um eletrocardiograma. Ele foi preso em flagrante. O aparelho não tinha nota fiscal, e nos certificamos que o aparelho havia sido furtado alguns dias atrás de uma clínica cardiológica, no Conjunto Ceará”, revela a titular da delegacia, Ana Scotti.

Com Ricardo José Maia Morais e Francisco Dierle de Souza, a polícia encontrou equipamentos furtados de uma clínica cardiológica no Conjunto Ceará na última quarta feira. Os dois foram autuados por receptação qualificada e estão presos. Já Francisco Romulo Rodrigues Campos, conhecido como Peru, foi autuado por receptação, pagou a fiança e foi e liberado.

A delegada alerta sobre o risco de se comprar qualquer produto sem nota fiscal. A polícia vai continuar com as investigações para capturar os responsáveis pelo furto dos equipamentos .

“As pessoas não tem ideia de que isso é um crime grave e que realmente ela pode ser flagranteada pelo crime de receptação. Há o direito a fiança quando não é modalidade qualificada de comércio. Se for atividade comercial, nem fiança tem. Então, as pessoas chegam assustadas na delegacia, ‘ah, mas eu comprei de boa fé”. Como que você compra de boa fé um aparelho que vale R$ 45 mil por R$ 2.400? A gente tem que pensar e realmente não adquirir esse tipo de mercadoria”, alertou a delegada.

Confira reportagem no programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h10 desta terça-feira (9).