Policiais da Força Nacional ajudam a fazer parto de moradora de rua em Fortaleza

SOLIDARIEDADE

Policiais da Força Nacional ajudam a fazer parto de moradora de rua em Fortaleza

Parto ocorreu na calçada do terminal de ônibus do Antônio Bezerra, em Fortaleza. A menina nasceu no início da manhã e está saudável.

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

24 de janeiro de 2019 às 10:39

Há 9 meses
força-nacional

Policiais da Força Nacional ajudam em parto de moradora de rua. (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

Em meio a onda de ataques criminosos no Ceará, policiais da Força Nacional, que chegou ao estado no início de janeiro para reforçar a segurança, ajudaram a realizar o parto de uma moradora de rua no terminal do Antônio Bezerra, em Fortaleza. O caso ocorreu na manhã da quarta-feira (23). O recém-nascido foi levado a uma unidade de saúde.

O cabo Alessandro, da Polícia Militar (PM) de Tocantins, o soldado Lima Júnior, da PM do Maranhão, e o soldado Alessandro, da PM do Rio Grande do Sul, além do capitão Pazorollo, foram os responsáveis por auxiliar a moradora de rua no parto.

A gestante entrou em trabalho de parto na calçada do terminal. Os policiais ajudaram no nascimento de uma menina, que foi encaminhada para o hospital. Os agentes de segurança, inclusive, conheceram a bebê, que está saudável.

Mais de 400 agentes da Força Nacional têm atuado no Ceará desde o início da onda de violência. Desde a noite do último dia 2 de janeiro, facções criminosas comandam uma onda de ataques por todo o Ceará, com ações contra ônibus e vans do transporte público, prédios e equipamentos públicos e privados.

Até as 9h desta quinta-feira (24), o Sistema Jangadeiro contabiliza 263 ataques em 55 dos 184 municípios do estado, sendo 125 em Fortaleza, a cidade que concentra a maior parte das ações criminosas, em 22 dias de terror.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), aumentou para 415 o número de pessoas presas ou apreendidas por participação nos atos criminosos. O balanço corresponde às capturas até as 17h desta quarta-feira (23). O órgão não está informando a contabilização dos números de ataques.

 

 

Publicidade

Dê sua opinião

SOLIDARIEDADE

Policiais da Força Nacional ajudam a fazer parto de moradora de rua em Fortaleza

Parto ocorreu na calçada do terminal de ônibus do Antônio Bezerra, em Fortaleza. A menina nasceu no início da manhã e está saudável.

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

24 de janeiro de 2019 às 10:39

Há 9 meses
força-nacional

Policiais da Força Nacional ajudam em parto de moradora de rua. (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

Em meio a onda de ataques criminosos no Ceará, policiais da Força Nacional, que chegou ao estado no início de janeiro para reforçar a segurança, ajudaram a realizar o parto de uma moradora de rua no terminal do Antônio Bezerra, em Fortaleza. O caso ocorreu na manhã da quarta-feira (23). O recém-nascido foi levado a uma unidade de saúde.

O cabo Alessandro, da Polícia Militar (PM) de Tocantins, o soldado Lima Júnior, da PM do Maranhão, e o soldado Alessandro, da PM do Rio Grande do Sul, além do capitão Pazorollo, foram os responsáveis por auxiliar a moradora de rua no parto.

A gestante entrou em trabalho de parto na calçada do terminal. Os policiais ajudaram no nascimento de uma menina, que foi encaminhada para o hospital. Os agentes de segurança, inclusive, conheceram a bebê, que está saudável.

Mais de 400 agentes da Força Nacional têm atuado no Ceará desde o início da onda de violência. Desde a noite do último dia 2 de janeiro, facções criminosas comandam uma onda de ataques por todo o Ceará, com ações contra ônibus e vans do transporte público, prédios e equipamentos públicos e privados.

Até as 9h desta quinta-feira (24), o Sistema Jangadeiro contabiliza 263 ataques em 55 dos 184 municípios do estado, sendo 125 em Fortaleza, a cidade que concentra a maior parte das ações criminosas, em 22 dias de terror.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), aumentou para 415 o número de pessoas presas ou apreendidas por participação nos atos criminosos. O balanço corresponde às capturas até as 17h desta quarta-feira (23). O órgão não está informando a contabilização dos números de ataques.