Policial denuncia que foi expulso de casa por facção criminosa

TIROS NO MURO

Policial militar denuncia que foi expulso de casa por facção criminosa em Caucaia

Há oito anos, o sargento morava no mesmo local com a família, em Caucaia. Há 15 dias, ele teve o muro e o portão de casa atingidos por disparos

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

31 de julho de 2019 às 19:21

Há 4 meses
Os disparos foram efetuados no muro e portão da casa do sargento (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

Os disparos foram efetuados no muro e portão da casa do sargento (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

Um sargento da Polícia Militar do Ceará denuncia que teve de sair às pressas de casa, após sofrer retaliação de facção criminosa. Há oito anos, ele morava no mesmo local com a família no bairro Capuan, em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza.

A equipe do Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, foi informada nesta quarta-feira (31), pelo próprio policial, que o fato ocorreu há 15 dias, quando ele foi surpreendido com a ligação da esposa. Na conversa, ela lhe pedia para ter cuidado ao retornar para casa, pois teria ouvido disparos de arma de fogo na rua.

No entanto, ao sair de casa no dia seguinte, o agente observou que os tiros tinham sido no muro e portão da própria residência, o que para ele, já foi o suficiente para “entender o recado”.

O policial – que não quis se identificar – conta que não foi o único agente de segurança a sofrer esse tipo de retaliação por facções criminosas. Segundo afirmou, há três dias, aconteceu o mesmo com outro militar.

Ele garante não ter ninguém da família envolvido em crimes, ressaltando que um de seus filhos é médico, e outro estudante do curso de Direito. O fato dele ser agente de segurança seria a única justificativa para a situação.

O sargento soma 40 anos de serviço militar. Desde que voltou à ativa, trabalha na Guarda Patrimonial, fazendo a segurança de prédios públicos.

O Tribuna do Ceará entrou em contato com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), mas até a publicação da matéria não obteve retorno sobre o caso.

Confira todos os detalhes no Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT:

Publicidade

Dê sua opinião

TIROS NO MURO

Policial militar denuncia que foi expulso de casa por facção criminosa em Caucaia

Há oito anos, o sargento morava no mesmo local com a família, em Caucaia. Há 15 dias, ele teve o muro e o portão de casa atingidos por disparos

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

31 de julho de 2019 às 19:21

Há 4 meses
Os disparos foram efetuados no muro e portão da casa do sargento (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

Os disparos foram efetuados no muro e portão da casa do sargento (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

Um sargento da Polícia Militar do Ceará denuncia que teve de sair às pressas de casa, após sofrer retaliação de facção criminosa. Há oito anos, ele morava no mesmo local com a família no bairro Capuan, em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza.

A equipe do Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, foi informada nesta quarta-feira (31), pelo próprio policial, que o fato ocorreu há 15 dias, quando ele foi surpreendido com a ligação da esposa. Na conversa, ela lhe pedia para ter cuidado ao retornar para casa, pois teria ouvido disparos de arma de fogo na rua.

No entanto, ao sair de casa no dia seguinte, o agente observou que os tiros tinham sido no muro e portão da própria residência, o que para ele, já foi o suficiente para “entender o recado”.

O policial – que não quis se identificar – conta que não foi o único agente de segurança a sofrer esse tipo de retaliação por facções criminosas. Segundo afirmou, há três dias, aconteceu o mesmo com outro militar.

Ele garante não ter ninguém da família envolvido em crimes, ressaltando que um de seus filhos é médico, e outro estudante do curso de Direito. O fato dele ser agente de segurança seria a única justificativa para a situação.

O sargento soma 40 anos de serviço militar. Desde que voltou à ativa, trabalha na Guarda Patrimonial, fazendo a segurança de prédios públicos.

O Tribuna do Ceará entrou em contato com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), mas até a publicação da matéria não obteve retorno sobre o caso.

Confira todos os detalhes no Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT: