Presos mais de 40 policiais acusados de envolvimento na chacina de Curió

11 MORTOS

Presos mais de 40 policiais acusados de envolvimento na chacina de Curió

Tribuna do Ceará apurou que a princípio seriam 43 praças e um oficial, que teria patente de tenente

Por Lyvia Rocha em Segurança Pública

31 de agosto de 2016 às 17:06

Há 3 anos
O crime aconteceu em novembro de 2015 (FOTO: Divulgação)

O crime aconteceu em novembro de 2015 (FOTO: Divulgação)

Mais de 40 policiais tiveram prisões decretados pela Justiça, na última terça-feira (30), denunciados por envolvimento da chacina do Curió. Os denunciados estariam ligados à chacina direta ou indiretamente, por participação direta ou omissão entre outras possibilidades.

Os crimes aconteceram no dia 12 de novembro de 2015, deixando 11 pessoas mortas e sete feridas, nos bairros do Curió e São Miguel, em Fortaleza. Tribuna do Ceará apurou que a princípio seriam 43 praças e um oficial, que teria patente de tenente. A primeira audiência do processo sobre a chacina foi marcada para dia 7 de outubro. Na ocasião, serão ouvidas vítimas sobreviventes.

Os policiais receberam os mandatos de prisão preventiva e se apresentaram, nesta quarta-feira (31), no 5º Batalhão da Polícia Militar, fardados, mas desarmados. No local, cerca de 60 policiais à paisana estiveram para dar apoio. Dentre os policiais que estão sendo detidos, tem uma policial mulher, que será levada para o Batalhão de Choque.

A Polícia Militar através do relações públicas, Coronel Andrade, afirmou que não irá se pronunciar. “Não vamos nos manifestar, iremos apenas cumprir o que foi determinado pela Justiça”, disse o coronel.

Manifestando apoio, a Associação dos Profissionais da Segurança Pública do Ceará (APS) disponibilizará 10 advogados para defender os policiais envolvidos no caso. A Associação também tratará cada caso de forma individual, entrando com a revogação para a liberdade dos presos.

Outro ponto que a APS contesta é que a prisão preventiva aconteceu após quase 1 ano do caso e, segundo a Associação, esse tipo de decisão ocorre de forma quase imediata ao crime. Sobre manifestações de familiares e uma possível paralisação dos profissionais, a APS afirmou não ter conhecimento.

Nota

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que a Polícia Militar do Estado do Ceará recebeu, da 1ª Vara do Júri, 44 mandados de prisão preventiva de policiais militares suspeitos de envolvimento no episódio das mortes de 11 pessoas na região da Grande Messejana, em Fortaleza, em novembro de 2015. “Os policiais apresentaram-se no 5º Batalhão da Polícia Militar, sede do Comando de Policiamento da Capital (CPC), onde funciona o presídio militar. Eles estão recolhidos à disposição da Justiça”.

Com informações das repórteres Emanuela Braga e Luciana Lemos do Barra Pesada

Curió
0h20min – Antônio Alisson Inácio Cardoso, 17 anos
0h20min – Jardel Lima dos Santos, 17 anos
1h20min – Alef Souza Cavalcante , 17 anos
1h20min – Renayson Girão da Silva, 17 anos
1h54min – Patricio João Pinho Leite, 16 anos
3h33min – Jandson Alexandre de Sousa, 19 anos
3h33min – Francisco Elenildo Pereira Chagas, 41 anos
3h33min – Valmir Ferreira da Conceição, 37 anos
3h57min – Pedro Alcantara Barroso do Nascimento, 18 anos

Messejana
3h57min – Marcelo da Silva Pereira, 17 anos
3h57min – Desconhecido do sexo masculino

Acompanhe o caso:

12 de novembro – Secretaria de Segurança monta força-tarefa para investigar mortes em sequência em Messejana

12 de novembro – Escolas suspendem aulas por sequência de mortes na Grande Messejana

13 de novembro – Sequência de mortes em Fortaleza aconteceu em 4 horas com pelos menos 4 adolescentes assassinados

13 de novembro – Sequência de mortes muda rotina no terminal da Messejana

13 de novembro – Nenhuma das vítimas de chacina da Messejana tinha antecedentes criminais graves

14 de novembro – Associação de PMs diz que é inadmissível associar crimes à represália por morte de policial

16 de novembro – Após sequência de mortes, moradores do Curió realizam protesto

16 de novembro – Mensagens de ameaças em Fortaleza espalham-se por Whatsapp; PM desmente boatos

16 de novembro – Após divulgar vídeo com ameaças, adolescente pede desculpas à polícia

16 de novembro – Viatura da polícia é incendiada, e quartel é alvejado por tiros em Fortaleza

16 de novembro – Ministério Público vai investigar mortes da chacina na Grande Messejana

17 de novembro – Presidente de associação lamenta que sociedade não se sensibiliza mais com morte de policiais

17 de novembro – Dois carros com atiradores encapuzados metralham quatro pessoas em dois bairros de Fortaleza

17 de novembro – #TamoJuntoCurió: Página de apoio às vítimas de chacina vira febre em poucas horas

18 de novembro – Moradores do Curió prometem “marcação cerrada” ao governo por justiça após chacina

18 de novembro – Secretário de Segurança promete investigar denúncia sobre grupo de extermínio na Polícia

19 de novembro – Parentes e amigos querem que vítimas de chacina deem nome a ruas do Curió

20 de novembro – Mãe de jovem morto em chacina contesta que ele respondia a ação por pensão alimentícia

23 de novembro – Vítima da chacina de Messejana deixou viúva de 16 anos, já mãe de bebê de 3 meses

22 de dezembro – Detento suspeito de envolvimento na Chacina de Messejana é encontrado morto em presídio

12 de janeiro – Maior chacina da história do Ceará completa 2 meses, ainda sem autoria conhecida

14 de janeiro – Coordenadoria da Prefeitura critica Governo por lentidão na investigação da chacina de Messejana

11 de fevereiro – 3 meses depois da chacina da Messejana, nada de resposta na investigação policial

 

Publicidade

Dê sua opinião

11 MORTOS

Presos mais de 40 policiais acusados de envolvimento na chacina de Curió

Tribuna do Ceará apurou que a princípio seriam 43 praças e um oficial, que teria patente de tenente

Por Lyvia Rocha em Segurança Pública

31 de agosto de 2016 às 17:06

Há 3 anos
O crime aconteceu em novembro de 2015 (FOTO: Divulgação)

O crime aconteceu em novembro de 2015 (FOTO: Divulgação)

Mais de 40 policiais tiveram prisões decretados pela Justiça, na última terça-feira (30), denunciados por envolvimento da chacina do Curió. Os denunciados estariam ligados à chacina direta ou indiretamente, por participação direta ou omissão entre outras possibilidades.

Os crimes aconteceram no dia 12 de novembro de 2015, deixando 11 pessoas mortas e sete feridas, nos bairros do Curió e São Miguel, em Fortaleza. Tribuna do Ceará apurou que a princípio seriam 43 praças e um oficial, que teria patente de tenente. A primeira audiência do processo sobre a chacina foi marcada para dia 7 de outubro. Na ocasião, serão ouvidas vítimas sobreviventes.

Os policiais receberam os mandatos de prisão preventiva e se apresentaram, nesta quarta-feira (31), no 5º Batalhão da Polícia Militar, fardados, mas desarmados. No local, cerca de 60 policiais à paisana estiveram para dar apoio. Dentre os policiais que estão sendo detidos, tem uma policial mulher, que será levada para o Batalhão de Choque.

A Polícia Militar através do relações públicas, Coronel Andrade, afirmou que não irá se pronunciar. “Não vamos nos manifestar, iremos apenas cumprir o que foi determinado pela Justiça”, disse o coronel.

Manifestando apoio, a Associação dos Profissionais da Segurança Pública do Ceará (APS) disponibilizará 10 advogados para defender os policiais envolvidos no caso. A Associação também tratará cada caso de forma individual, entrando com a revogação para a liberdade dos presos.

Outro ponto que a APS contesta é que a prisão preventiva aconteceu após quase 1 ano do caso e, segundo a Associação, esse tipo de decisão ocorre de forma quase imediata ao crime. Sobre manifestações de familiares e uma possível paralisação dos profissionais, a APS afirmou não ter conhecimento.

Nota

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que a Polícia Militar do Estado do Ceará recebeu, da 1ª Vara do Júri, 44 mandados de prisão preventiva de policiais militares suspeitos de envolvimento no episódio das mortes de 11 pessoas na região da Grande Messejana, em Fortaleza, em novembro de 2015. “Os policiais apresentaram-se no 5º Batalhão da Polícia Militar, sede do Comando de Policiamento da Capital (CPC), onde funciona o presídio militar. Eles estão recolhidos à disposição da Justiça”.

Com informações das repórteres Emanuela Braga e Luciana Lemos do Barra Pesada

Curió
0h20min – Antônio Alisson Inácio Cardoso, 17 anos
0h20min – Jardel Lima dos Santos, 17 anos
1h20min – Alef Souza Cavalcante , 17 anos
1h20min – Renayson Girão da Silva, 17 anos
1h54min – Patricio João Pinho Leite, 16 anos
3h33min – Jandson Alexandre de Sousa, 19 anos
3h33min – Francisco Elenildo Pereira Chagas, 41 anos
3h33min – Valmir Ferreira da Conceição, 37 anos
3h57min – Pedro Alcantara Barroso do Nascimento, 18 anos

Messejana
3h57min – Marcelo da Silva Pereira, 17 anos
3h57min – Desconhecido do sexo masculino

Acompanhe o caso:

12 de novembro – Secretaria de Segurança monta força-tarefa para investigar mortes em sequência em Messejana

12 de novembro – Escolas suspendem aulas por sequência de mortes na Grande Messejana

13 de novembro – Sequência de mortes em Fortaleza aconteceu em 4 horas com pelos menos 4 adolescentes assassinados

13 de novembro – Sequência de mortes muda rotina no terminal da Messejana

13 de novembro – Nenhuma das vítimas de chacina da Messejana tinha antecedentes criminais graves

14 de novembro – Associação de PMs diz que é inadmissível associar crimes à represália por morte de policial

16 de novembro – Após sequência de mortes, moradores do Curió realizam protesto

16 de novembro – Mensagens de ameaças em Fortaleza espalham-se por Whatsapp; PM desmente boatos

16 de novembro – Após divulgar vídeo com ameaças, adolescente pede desculpas à polícia

16 de novembro – Viatura da polícia é incendiada, e quartel é alvejado por tiros em Fortaleza

16 de novembro – Ministério Público vai investigar mortes da chacina na Grande Messejana

17 de novembro – Presidente de associação lamenta que sociedade não se sensibiliza mais com morte de policiais

17 de novembro – Dois carros com atiradores encapuzados metralham quatro pessoas em dois bairros de Fortaleza

17 de novembro – #TamoJuntoCurió: Página de apoio às vítimas de chacina vira febre em poucas horas

18 de novembro – Moradores do Curió prometem “marcação cerrada” ao governo por justiça após chacina

18 de novembro – Secretário de Segurança promete investigar denúncia sobre grupo de extermínio na Polícia

19 de novembro – Parentes e amigos querem que vítimas de chacina deem nome a ruas do Curió

20 de novembro – Mãe de jovem morto em chacina contesta que ele respondia a ação por pensão alimentícia

23 de novembro – Vítima da chacina de Messejana deixou viúva de 16 anos, já mãe de bebê de 3 meses

22 de dezembro – Detento suspeito de envolvimento na Chacina de Messejana é encontrado morto em presídio

12 de janeiro – Maior chacina da história do Ceará completa 2 meses, ainda sem autoria conhecida

14 de janeiro – Coordenadoria da Prefeitura critica Governo por lentidão na investigação da chacina de Messejana

11 de fevereiro – 3 meses depois da chacina da Messejana, nada de resposta na investigação policial