Sobrinho de Dandara é executado a tiros no Conjunto Ceará

CASO SERÁ INVESTIGADO

Sobrinho de Dandara é executado a tiros no Conjunto Ceará

A família da travesti, brutalmente assassinada em fevereiro, teve nova perda, com a morte de Rodrigo Ferreira

Por Lyvia Rocha em Segurança Pública

11 de maio de 2017 às 09:22

Há 3 anos
O sobrinho foi morto no Conjunto Ceará (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

O sobrinho foi morto no Conjunto Ceará (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Os índices de homicídios em Fortaleza seguem uma tendência crescente desde abril, e na madrugada desta quinta-feira (11) mais um foi registrado. O caso aconteceu no Conjunto Ceará, e a vítima foi Rodrigo Ferreira, de 24 anos, sobrinho do travesti Dandara, brutalmente assassinada em fevereiro deste ano.

Segundo informações de familiares e de moradores da Avenida H, localizada na 4ª etapa do Conjunto Ceará, a vítima foi realizar a compra de um refrigerante, quando um carro se aproximou e dois homens dispararam vários tiros, sem chance de defesa para o jovem que faria 24 anos no próximo domingo (14).

A motivação do crime será investigada pela Polícia. Os parentes de Rodrigo Ferreira confirmaram que ele já teve envolvimento com o tráfico de drogas, e estava em liberdade a apenas dois meses, depois ter ficado preso por dois anos e dois meses pelo crime de tráfico.

Caso Dandara

Dandara foi morta no dia 15 de fevereiro por pelo menos cinco homens, mas o crime brutal só ganhou repercussão dia 3 de março, depois de as imagens da violência serem compartilhadas na internet. No vídeo, Dandara está sentada ao chão, sem forças para levantar, e balbucia algumas palavras, dentre elas a sua idade e diz que quase morre. Dandara pede para que não batam mais nela e é novamente agredida com pedrada no ombro.

Ouve-se frases como: “você vai morrer, safado”, “sai logo fora”, ” negrada vai te matar se tu não sair fora” e “sai fora logo senão vão te matar aí mesmo”. Ninguém presta socorro.

Depois de ser agredida com chutes, pedradas e pauladas, a travesti é colocada pelos agressores em um carro de mão e levada para outro local que não aparece nas imagens.

Publicidade

Dê sua opinião

CASO SERÁ INVESTIGADO

Sobrinho de Dandara é executado a tiros no Conjunto Ceará

A família da travesti, brutalmente assassinada em fevereiro, teve nova perda, com a morte de Rodrigo Ferreira

Por Lyvia Rocha em Segurança Pública

11 de maio de 2017 às 09:22

Há 3 anos
O sobrinho foi morto no Conjunto Ceará (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

O sobrinho foi morto no Conjunto Ceará (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Os índices de homicídios em Fortaleza seguem uma tendência crescente desde abril, e na madrugada desta quinta-feira (11) mais um foi registrado. O caso aconteceu no Conjunto Ceará, e a vítima foi Rodrigo Ferreira, de 24 anos, sobrinho do travesti Dandara, brutalmente assassinada em fevereiro deste ano.

Segundo informações de familiares e de moradores da Avenida H, localizada na 4ª etapa do Conjunto Ceará, a vítima foi realizar a compra de um refrigerante, quando um carro se aproximou e dois homens dispararam vários tiros, sem chance de defesa para o jovem que faria 24 anos no próximo domingo (14).

A motivação do crime será investigada pela Polícia. Os parentes de Rodrigo Ferreira confirmaram que ele já teve envolvimento com o tráfico de drogas, e estava em liberdade a apenas dois meses, depois ter ficado preso por dois anos e dois meses pelo crime de tráfico.

Caso Dandara

Dandara foi morta no dia 15 de fevereiro por pelo menos cinco homens, mas o crime brutal só ganhou repercussão dia 3 de março, depois de as imagens da violência serem compartilhadas na internet. No vídeo, Dandara está sentada ao chão, sem forças para levantar, e balbucia algumas palavras, dentre elas a sua idade e diz que quase morre. Dandara pede para que não batam mais nela e é novamente agredida com pedrada no ombro.

Ouve-se frases como: “você vai morrer, safado”, “sai logo fora”, ” negrada vai te matar se tu não sair fora” e “sai fora logo senão vão te matar aí mesmo”. Ninguém presta socorro.

Depois de ser agredida com chutes, pedradas e pauladas, a travesti é colocada pelos agressores em um carro de mão e levada para outro local que não aparece nas imagens.